Ao som de mariachis

Um passeio pela Cidade do México, uma megalópole fervilhante com quase 20 milhões de habitantes

Por Heloisa Joly (edição) Atualizado em 14 dez 2016, 12h06 - Publicado em 8 set 2011, 15h17

Toda cidade mexicana tem uma praça intitulada Zócalo. Mas na capital, que também é uma das maiores metrópoles do mundo, o Zócalo é mais que uma simples praça. Conhecida hoje como Plaza de la Constitución, foi a primeira praça do país. Foi lá que, no século 19, o governo planejou erguer um monumento comemorativo à independência exatamente no lugar em que antes era o altar de celebrações de Tenochtitlán, capital da civilização asteca. E é por lá que você pode começar a explorar o centro histórico. Passe pelo Palacio Nacional (Plaza de la Constitución, 9158-1259), a casa do presidente – e que também abriga os belíssimos murais pintados por Diego Rivera, marido de Frida Kahlo, que contam a história do país. Pertinho dali, fica a Catedral Metropolitana (Plaza de la Constitución, 5512-7096), a primeira da “Nova Espanha”, erguida em 1567. Já a Plaza Garibaldi (Avenida Eje Central com Calle Honduras) é o lugar para se render ao clima turistão, colocar o sombrero e curtir o som de um dos grupos de mariachis que se apresentam – não se esqueça de brindar com um shot de tequila, à venda em bares nos arredores da praça, como o tradicional Salón Tenampa (Plaza Garibaldi, 12, 5526-6176, www.salontenampa.com). E, já que estamos falando de coisas típicas, experimente as enchiladas (panquecas de milho recheadas com carne ou frango e bem apimentadas) do Cafe de Tacuba (Calle Tacuba, 28, 5512-8482; Cc: todos), uma instituição da cidade desde 1912. Para conhecer mais sobre a civilização asteca, vá ao Templo Mayor (Calle Seminario, 8, 5542-4943, www.templomayor.inah.gob.mx; US$ 4). Lá estão as ruínas do principal templo dos astecas. Elas foram descobertas por acaso em 1978 por equipes de instalação de telefones. Há um museu no local. O prédio do Palácio de Bellas Artes (Avenida Juárez com Eje Central, 5512-2593, www.bellasartes.gob.mx; US$ 3,50), construído no estilo art nouveau e em mármore branco, vale, por si só, uma visita. Em seu interior há um Museu da Arquitetura e um simpático café. Pra fechar qualquer passeio pela capital, o Museo Frida Kahlo (Calle Londres, 247, 5554-5999, www.museofridakahlo.org.mx; US$ 4,50) é parada obrigatória. No bairro de Coyacán, o museu funciona na famosa casa azul com paredes lotadas de autorretratos em que nasceu e morreu a conturbada pintora autodidata. Além dos autorretratos de Frida, há objetos pessoais da pintora, cartas e quadros inacabados, como um retrato de Stalin.

*O DDI do México é 52 e o DDD da Cidade do México é 55

Publicidade