Brasil é aceito no Global Entry, ‘fura-fila’ da imigração dos EUA

O país passou a fazer parte do programa que, mediante o pagamento de uma taxa, permite utilizar quiosques automáticos nos aeroportos americanos

Por Bárbara Ligero Atualizado em 26 abr 2022, 12h18 - Publicado em 8 fev 2022, 11h30

Atualização: Brasileiros estão relatando dificuldades em se cadastrar no Global Entry. No dia 13 de março, o programa confirmou que não está aceitando as aplicações, mas disse que o serviço seria restabelecido em algumas semanas.

Cidadãos brasileiros com qualquer tipo de visto americano válido já podem se candidatar ao Global Entry, que elimina a necessidade de passar pelas filas de imigração nos Estados Unidos. O anúncio da entrada do país no programa foi feito pelo governo federal e pela Embaixada dos Estados Unidos no Brasil nesta segunda-feira (7).

Lançado no início dos anos 2000, o Global Entry é um programa do serviço da Alfândega e Proteção de Fronteiras dos Estados Unidos que permite que viajantes pré-aprovados e considerados de baixo risco passem por quiosques automáticos de autoatendimento, ao invés do controle regular com o agente de imigração, em mais de 75 aeroportos do país.

Até então, apenas cidadãos norte-americanos e de outros doze países eram elegíveis ao serviço. Estima-se que, em 2018, mais de cinco milhões de pessoas já usufruíam do trâmite simplificado.

“Este programa vai não só facilitar as viagens de negócios e investimentos, como também agilizar as visitas de muitos outros brasileiros nos Estados Unidos“, afirmou o encarregado da Embaixada e Consulados dos Estados Unidos, Douglas Koneff.

É importante ter em mente, porém, que a adesão ao Global Entry não altera as regras de emissão dos vistos americanos, sejam eles de trabalho, de estudo ou de turismo (veja o passo a passo aqui). O serviço se destina principalmente a quem viaja com frequência para os Estados Unidos e, por isso, deseja economizar o tempo na alfândega.

“Trata-se de uma fila muito mais acelerada, em que o viajante precisa fazer apenas uma leitura biométrica em um quiosque e seguir para a restituição de bagagens. Certamente, vai eliminar muito estresse”, explica o advogado especializado em imigração e sócio-fundador da AG Immigration, Felipe Alexandre.

Continua após a publicidade

Como aderir ao Global Entry?

Global Entry
Cada aeroporto participante possui um escritório do Global Entry para entrevistas presenciais. Crédito: U.S. Customs and Border Protection/Flickr/Divulgação

Os interessados podem fazer sua solicitação por meio deste site, onde é feito o preenchimento de um formulário online e o pagamento de uma taxa não reembolsável de US$ 100. Nas duas semanas seguintes será feita uma rigorosa verificação de antecedentes e checagem dos documentos para certificar de que a pessoa cumpre todos os requisitos.

Caso o pedido seja aprovado, o viajante deverá então agendar uma entrevista presencial no aeroporto de sua próxima chegada aos Estados Unidos, Nessa ocasião, é feita a checagem física dos documentos e a coleta das informações biométricas. O Global Entry será válido por cinco anos e pode ser solicitado quantas vezes for necessário, com a diferença que, na renovação, a entrevista pode ser feita online.

Leia tudo sobre os Estados Unidos

Busque hospedagem nos Estados Unidos

Continua após a publicidade

Publicidade