Anvisa autoriza serviço de bordo, mas mantém máscaras em voos

A máscara poderá ser retirada para comer e beber, mas deve ser recolocada em seguida

Por Agência Brasil 13 Maio 2022, 11h42

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou na quinta-feira (12) a flexibilização das medidas sanitárias em aeroportos e aeronaves. As atualizações foram feitas após o decreto do fim da Emergência em Saúde Pública de Importância Nacional (ESPIN) em decorrência da Covid-19. As novas regras passam a valer em 22 de maio.

De acordo com as novas normas, está permitida a volta do serviço de bordo, a retirada da máscara para alimentação e o retorno da capacidade máxima de passageiros nos transportes que levam da área interna do aeroporto até a aeronave. Porém, a entidade ressaltou que a máscara só poderá ser retirada para comer e beber e deve ser recolocada em seguida.

Além da obrigatoriedade do uso de máscaras dentro do avião e nas áreas restritas dos aeroportos, também foi mantido o desembarque por fileiras e os procedimentos de limpeza e desinfecção de ambientes e superfícies. Já o distanciamento físico continua recomendado sempre que possível.

Europa

Um dia antes, a Agência Europeia para a Segurança da Aviação (Easa) e o Centro Europeu de Prevenção e Controle de Doenças (ECDC) anunciaram que o uso de mascará deixará de ser exigido nos aeroportos e nos aviões a partir da segunda-feira (16). No entanto, países como Itália, Portugal e França vão manter a obrigatoriedade em transportes públicos, incluindo aeronaves. Em comunicado conjunto, as entidades reforçaram, porém, que “a máscara facial continua a ser uma das melhores proteções contra a transmissão” do SARS-CoV-2, especialmente para pessoas mais vulneráveis à doença.

Estados Unidos

Vale lembrar que os Estados Unidos já tinham derrubado a obrigatoriedade do uso de máscaras nos aviões através de uma decisão judicial emitida no dia 18 de abril.

Leia tudo em Manual do Viajante

Continua após a publicidade

Publicidade