Brasis

Os melhores parques de Curitiba

Capital paranaense é famosa pelo número de áreas verdes em seu entorno com muito espaço para caminhada ou um agradável piquenique

Por Fernando Leite Atualizado em 30 jul 2021, 12h20 - Publicado em 5 abr 2018, 18h38

Atualizado em março de 2019.

Reconhecida como uma cidade verde com boas ações sustentáveis, Curitiba trata com muito carinho seus parques e bosques – 29, segundo o Portal da Prefeitura. Foi a partir do início dos anos 70, com a ascensão do arquiteto e urbanista Jaime Lerner à prefeitura, que o número de áreas verdes começou a crescer pela cidade.

Listamos nove parques e bosques curitibanos. Coincidentemente, todos são assistidos pela Linha Turismo, um ônibus que passa pelos principais atrativos da cidade, com direito a três desembarques.

1 – Jardim Botânico

O Jardim Botânico de Curitiba é conhecido pela grande estufa transparente, inspirada em um palácio de cristal londrino, que abriga mais de 50 espécies de plantas Foto: JOEL R./Divulgação
O Jardim Botânico de Curitiba é conhecido pela grande estufa transparente, inspirada em um palácio de cristal londrino Joel R.

A primeira impressão é impactante: um tapete de flores ladeado de jardins geométricos conduz a uma imponente estrutura metálica em estilo art-nouveau inspirado em um palácio de cristal londrino do século 19. Só esse cenário já explica a razão do local ser tão querido por turistas e moradores.

Na verdade, a estrutura é uma estufa climatizada exclusiva de exemplares nativos da Mata Atlântica brasileira.

Óbvio que conhecer a estufa é a primeira coisa a fazer, mas saiba que há muito mais o que ver por lá – muita gente visita a estufa e vai embora. O Jardim das Sensações conta com 50 plantas de diferentes cores, aromas, cheiros e texturas para serem tocadas e cheiradas – pode-se fazer o percurso às cegas. O Jardim das Sensações não funciona às segundas-feiras. Com 400 mil plantas secas catalogadas, o Museu Botânico é um dos maiores herbários do país.

Muita gente vai ao jardim Botânico apenas para caminhar pelos jardins e pelo bosque de araucárias.

Onde fica: Rua Ostoja Roguski, s/n (Jardim Botânico)

Horário: diariamente, das 6h às 19h30 (durante o horário de verão, fecha às 20h)

2 – Tanguá

Um grande espelho d´água dá as boas vindas a quem chega ao Parque Tanguá, em Curitiba
Um grande espelho d´água dá as boas vindas a quem chega ao Parque Tanguá, em Curitiba Matheus.zanon/Wikimedia commons

Um dos campeões de audiência em Curitiba – pelo menos em número de turistas – ocupa o lugar de duas pedreiras desativadas. Originalmente as pedreiras dariam lugar a uma usina de lixo industrial, mas alguém teve a brilhante ideia de transformar o local em um parque e todos nós agradecemos.

Dividido em duas partes, quem chega pelo alto, encontra um belíssimo jardim francês com espelho d’água, plantas, pequena cachoeira artificial, restaurante e um mirante show de bola com vista espetacular do parque.

Uma escadaria leva à parte baixa, onde o barato é sentar-se no deque e apreciar os superlativos lago e cachoeira (artificiais, mas muito cênicos). Um túnel escavado na rocha ligando a área das duas pedreiras está fechado para visitação.

Dica para quem tem problemas de locomoção: ambas as partes do Tanguá têm estacionamento. Ao invés da escadaria, os visitantes podem se deslocar com o próprio carro. O restaurante do local está temporariamente fechado.

Onde fica: Rua Doutor Benbem, s/n (Pilarzinho)

Horário: diariamente, das 8h às 18h

3 – Tingui

O Memoial Ucraniano é uma das atrações do Parque Tingui
O Memoial Ucraniano é uma das atrações do Parque Tingui Faestorili/Wikimedia Commons/Wikimedia Commons

Por ser um parque comprido, com várias entradas, é preciso um pouco de disposição para conhecê-lo. Tanto que o Tingui é um dos prediletos dos curitibanos quando o assunto é caminhada – há uma pista de 5 km ligando o parque. Lagos e pontes cobertas de madeira conferem um charme ao parque

Aberto de terça a domingo, das 10h às 18h, o Memorial Ucraniano é o maior diferencial do local. Uma réplica de uma igreja serve para mostrar o artesanato ucraniano, todos aprendem mais sobre a pêssanka, aquele ovo colorido a mão.

O nome deriva de uma antiga tribo indígena que habitava a região.

Onde fica: Avenida Fredolin Wolff, s/n (Pilarzinho)

Horário: funciona 24 horas

4 – Barigui

Parque Barigui é a principal área de lazer de Curitiba, com grande área verde, churrasqueiras, espaço para exposições e museu
Parque Barigui é a principal área de lazer de Curitiba, com grande área verde, churrasqueiras e Museu do Automóvel Cesar Brustolin/Reprodução

Antes da existência do Google Maps e do Waze, quando alguém perguntava como sair de Curitiba e ir para o interior do Paraná, a resposta era: “basta seguir as placas do Parque Barigui”. Gigante, com 1,4 milhões de m², o Barigui pertence a quatro bairros curitibanos e é a grande área de lazer da cidade.

O enorme lago ao lado da BR-277 é ladeado por uma pista de cooper, várias quadras esportivas e quiosques com churrasqueiras.

Trilhas para caminhada estão espalhadas pelo parque, que ainda conta com três bosques com matas nativas e muita fauna. Avistar aves e capivaras é uma certeza, já para ver um jacaré-do-papo-amarelo que habita o lago há anos, é preciso um pouco de sorte.

Próximo da portaria da Avenida Cândido Hartmann, um grande galpão abriga o Museu do Automóvel, que expõe 80 dos 150 veículos do acervo, que se alternam na exposição – torça para que a Mclaren guiada por Emerson Fittipaldi esteja em exposição.

Onde fica: Avenida General Mário Tourinho, s/n (Campina do Siqueira), Avenida Cândido Hartmann (Santo Inácio) e Avenida Manoel Ribas (Santa Felicidade)

Horário: funciona 24 horas

5 – Bosque Alemão

Diferentemente dos outros parques de Curitiba, o Bosque Alemão não tem tantos jardins, mas abriga uma sala de concertos, mirante e trilha com letreiros que contam a história de João e Maria, dos irmãos Grimm
Diferentemente dos outros parques de Curitiba, o Bosque Alemão não tem tantos jardins, mas abriga uma sala de concertos, mirante e trilha com letreiros que contam a história de João e Maria, dos irmãos Grimm Orlando Kissner/Divulgação

Quem viaja com crianças precisa colocar o Bosque Alemão como uma das atrações obrigatórias. E quem viaja sem os pequenos garanto que não irá se decepcionar. O bosque ocupa a antiga chácara da Família Schaffer, ou seja, não é tão grande. Mas a homenagem ao povo alemão é perfeita

Continua após a publicidade

Envolto em uma densa mata nativa, a entrada se dá por um imenso portal com arcos. A história de João e Maria é contada através de totens no meio da mata, culminando com a visita à Casa Encantada, a residência da bruxa do famoso conto, que, na verdade, funciona como uma biblioteca de livros infantis.

Prosseguindo pelo bosque, a Torre dos Filósofos nem é muito alta, mas traz uma bela vista da área central de Curitiba. No fim do terreno, o Oratório Bach, uma réplica de uma igreja presbiteriana, usada para concertos musicais.

Onde fica: Rua Francisco Schaffer, s/n (Vista Alegre)

Horário: diariamente, das 8h às 20h

6 – Bosque do Papa João Paulo II

Bosque do Papa João Paulo Segundo, Curitiba, Paraná
Bosque do Papa João Paulo II: inaugurado depois da visita do Papa a Curitiba, em 1980 Juliano Martins/Divulgação

Se o Parque Tingui homenageia os ucranianos, aqui a reverência vai para os vizinhos poloneses. Inaugurado na época da visita do Papa João Paulo II a cidade em 1980, sete construções com pinheiros encaixados de colonizadores poloneses foram removidas das cercanias de Curitiba e transportadas para a área mais central com 300 araucárias.

Vizinho ao Museu Niemeyer e não muito grande, é ideal para caminhadas leves em meio à mata. Dentro de uma das casas funciona o Museu da Imigração Polonesa (3ª/dom 9h/18h) com artesanato típico e mobiliário. Em outra construção, há uma loja de souvenires e lanchonete.

Onde fica: Rua Mateus Leme, s/n (Centro Cívico)

Horário: diariamente, das 8h às 18h

7 – Bosque Zaninelli/Universidade Livre do Meio Ambiente

Essa passarela de madeira leva à Universidade Livre do Meio Ambiente, um dos mais belos lugares de Curitiba
Essa passarela de madeira leva à Universidade Livre do Meio Ambiente, um dos mais belos lugares de Curitiba Luiza Altmam Bomchakier/Wikimedia Commons

Uma rápida trilha suspensa de madeira em meio à mata leva a um dos cenários mais bonitos da cidade: na chegada, você se depara com um lago junto a uma antiga pedreira desativada (mais uma) e uma torre de madeira acessada por uma passarela espiral até chegar a um mirante. Aves coloridas ajudam a compor a bela paisagem

O Bosque Zaninelli foi o lugar escolhido para abrigar a Universidade Livre do Meio Ambiente, um local de cursos e seminários sobre educação ambiental. As salas ficam ao largo da torre, acessadas pela passarela aberta.

A visita por lá costuma ser bem rápida, a não ser que você faça um piquenique enquanto contempla o cenário.

Onde fica: Rua Victor Benato, 210 (Pilarzinho)

Horário: diariamente, das 8h às 18h

8 – Parque São Lourenço

Parque São Lourenço: bom para pedaladas e caminhadas ao redor do lago
Parque São Lourenço: bom para pedaladas e caminhadas ao redor do lago Juviegas/Wikimedia Commons/Wikimedia Commons

Quem diria que uma das áreas mais queridas dos curitibanos nasceu de um infortúnio. Em 1970, a enchente do Rio Belém fez romper a Represa de São Lourenço causando danos em uma fábrica de cola às margens do rio.

Pois bem, o parque foi inaugurado dois anos depois, tendo como estrela da companhia, um lago contornado por pistas para caminhadas e até para andar de rolimã. Se você está de bike, aqui é um ótimo local para pedaladas. Quem preferir tranquilidade, pode fazer um piquenique no gramado.

A fábrica? Virou o Centro de Criatividade, com oficinas de artes plásticas e exposições

Onde fica: Rua Mateus Leme, s/n (São Lourenço)

Horário: funciona 24 horas

9 – Passeio Público

Parque Passeio Público, localizado no centro de Curitiba, é o primeiro parque de Curitiba e está localizado na região central da cidade
Parque Passeio Público, localizado no centro de Curitiba, é o primeiro parque de Curitiba e está localizado na região central da cidade Cesar Brustolin

O decano dos parques da cidade não poderia ficar de fora da lista – apesar do problema com prostituição nas imediações e pedintes dentro da área verde.

Inaugurado em 1886, já foi o jardim botânico e o zoológico curitibano. Um pulmão verde no centro da cidade, com muitas espécies de árvores e dois lagos, um deles pode ser atravessado por uma ponte pênsil. Quem gosta de uma caminhada leve pode ir sem erro.

Do antigo zoológico, restou o aquário e o aviário, além das aves que circulam livremente por lá.

Onde fica: Rua Doutor Carlos Cavalcanti, 327 (Centro)

Horário: diariamente, das 6h às 20h

Leia tudo sobre o Paraná

Busque hospedagem em Curitiba

 

 

Continua após a publicidade

Publicidade