Achados Adriana Setti escolheu uma ilha no Mediterrâneo como porto seguro, simplificou sua vida para ficar mais “portátil” e está sempre pronta para passar vários meses viajando. Aqui, ela relata suas descobertas e roubadas

Por que o Bafo da Prainha é um dos melhores bares do mundo

Por dentro do boteco carioca que ocupa o nono lugar no ranking da Time Out

Por Adriana Setti Atualizado em 2 fev 2022, 17h48 - Publicado em 28 jan 2022, 08h14

Um dos botecos mais celebrados do Rio de Janeiro atualmente, o Bafo da Prainha ocupa a nona posição do ranking dos melhores novos bares do mundo, segundo a toda-poderosa Time Out, que publica guias das cidades mais interessantes do mundo. No topo da lista está o Aspen & Meursalt, de Londres, seguido pelo Sidney’s Five, em Nova York, e pelo Offsuit, que fica em Boston.

Altamente despretensioso, o Bafo ocupa uma das casinhas coloniais coloridas do Largo São Francisco da Prainha, uma joia em plena zona portuária do Rio de Janeiro. Vencedor do Prêmio Rio Show na categoria Melhor Ao Ar Livre, o boteco foi inaugurado no início de 2021 e embalou justamente por isso: tudo acontece do lado de fora. Mesinhas são dispostas no largo de forma meio caótica e os clientes só entram para usar o banheiro – e olhe lá. Outra sacada genial é a “serenata ao contrário”. O “palco” dos shows é a simpática varandinha do andar de cima, de forma que todo mundo consegue assistir sem ter que se aglomerar ao redor da banda.

Na vibe de celebrar as coisas simples e boas da vida, a especialidade da casa é o churrasquinho feito no tambor de latão. O cupim e a costela derretem na boca, servidos em uma bandejona de alumínio com vinagrete. E, pra acompanhar, cerveja trincando como tem que ser.

Mesmo antes da Time Out revelar essa joia ao mundo, o bar já estava bombando. E, claro, encontrar mesa pode não ser tarefa fácil. Aí entra uma dica importante: em alguns dos bares vizinhos, você também pode pedir a comida do Bafo e consegue assistir ao show do mesmo jeito. No fim das contas, a sensação é de que toda a Prainha é uma coisa só.

A cabeça por trás do Bafo da Prainha é a do produtor cultural Raphael Vidal, um daqueles caras que sempre acertam – a vizinha Casa do Porto também é dele. Por isso, fique de olho: ele acaba de inaugurar o Ginga, um quiosque em pleno calçadão do Leme especializado em frutos do mar, que deve dar o que falar nesse verão.

Leia tudo sobre o Rio de Janeiro

Busque hospedagem no Rio de Janeiro

Continua após a publicidade

Publicidade