Achados Adriana Setti escolheu uma ilha no Mediterrâneo como porto seguro, simplificou sua vida para ficar mais “portátil” e está sempre pronta para passar vários meses viajando. Aqui, ela relata suas descobertas e roubadas

A ilha paradisíaca de Siargao, Filipinas: o que você precisa saber antes de ir

Por Adriana Setti Atualizado em 27 fev 2017, 15h44 - Publicado em 9 jan 2013, 08h51

Piscina natural em Siargao

Por que ir?

Para surfistas, não há dúvida. A ilha é mundialmente conhecida (em termos surfísticos) pelo Cloud 9, um break de altíssimo nível que já fez parte do circuito dos campeonatos internacionais. Para quem não surfa, a ilha é um catálogo completo de beldades naturais tipicamente asiáticas: praias perfeitas, coqueirais infinitos, arrozais habitados por búfalos e garças, cachoeiras e selva.

Uma vez que o Sudeste Asiático tem tantas ilhas paradisíacas, vale a pena apostar em algo tão remoto e pouco desenvolvido?

Depende muito do gosto do freguês e de quanto tempo você tem de férias. Recomendaria Siargao para uma segunda viagem pela Ásia (ou terceira, ou quarta…). Ou seja, acho que é mais indicado para quem já viu os grandes highlights praianos da região e busca algo alternativo e pouco batido — e sobretudo para quem viaja com tempo. O grande apelo da ilha é a pouquíssima quantidade de turistas, que permite que você esteja praticamente só na praia, na cachoeira… (algo praticamente impossível de encontrar na Tailândia, por exemplo). E tudo isso gastando pouquíssimo.

Continua após a publicidade

Existe conforto pleno em Siargao?

Sem dúvida. O resort onde passei o ano novo, Island Dream (islanddreamsiargao.com), era um belo conjunto de bangalôs espaçosos ao redor de uma deliciosa piscina à beira mar (a um preço que parece surrealista para quem está acostumado com as diárias brasileiras: paguei US$ 35 por um quarto bacaninha com ar condicionado). Ao seu lado, está o elegante hotel butique Kalinaw (kalinawresort.com). E para quem está podendo mesmo, a ilha ainda tem o superluxuoso Dedon Island (dedonisland.com). Para quem viaja com pouco dinheiro, há dezenas de pousadinhas bem aprumadas, algumas delas cheias de charme, como a La Luna.

Chegar é realmente muito difícil?

Não necessariamente. O perrengue que tive que enfrentar foi resultado de uma mistura de azar (topei com um tufão que interditou todos os portos) e erro estratégico (preferi ir por terra do que voar, achando que não seria muito complicado). A ótima companhia Cebu Pacific tem quatro voos semanais direto de Cebu City, a segunda maior cidade das Filipinas, onde há um aeroporto internacional. Ou seja: é longe pra caramba, mas pode não ser difícil na mesma proporção.

A região do Mindanao não é perigosíssima?

Parte da província do Mindanao está na lista negríssima dos alertas de viagem do departamento de estado americano, pelo perigo de atentados terroristas por parte de uma minoria separatista, que reivindica um estado islâmico independente (Filipinas é um país católico e esta região concentra uma minoria muçulmana). O norte do Mindanao (onde Siargao está localizada), no entanto, é uma zona 100% cristã e está fora da zona de conflito. O próprio departamento de estado americano não inclui o norte do Mindanao na área de risco.

Continua após a publicidade
Publicidade