Theatro Municipal completa 110 anos com programação especial

Faz parte das comemorações de aniversário um novo tipo de tour pelo monumento, que mistura espetáculo e exposição

Por Bárbara Ligero e Caroline Dalla Vecchia 10 set 2021, 20h28

Quando o Theatro Municipal de São Paulo foi inaugurado no dia 12 de setembro de 1911, era evidente que o arquiteto Ramos de Azevedo havia se inspirado na Ópera de Paris. A construção, que foi uma das primeiras do Brasil a ser iluminada com energia elétrica, atendia perfeitamente os desejos da elite paulista da época, que ansiava por um espaço e uma programação cultural à altura das capitais europeias.

Passados 110 anos, o Theatro Municipal continua recebendo as melhores produções de todo o Brasil, mas agora se esforça para trazer manifestações artísticas mais inclusivas e diversas. Não à toa, uma prostituta e duas travestis farão performances individuais durante a ópera-tango María de Buenos Aires, obra de Astor Piazzolla que acompanha a vida de uma prostituta no submundo noturno da capital da Argentina.

A apresentação, que faz parte das comemorações de aniversário, também trará um conceito inédito no Theatro Municipal: o chamado “cine-ópera live”. Na prática, isso significa que cenas urbanas gravadas previamente em Buenos Aires e São Paulo serão sobrepostas a filmagens do que está acontecendo ao vivo no palco. Ficou curioso? Infelizmente, os ingressos já estão esgotados em todo o período que a ópera ficará em cartaz, de 10 a 19 de setembro.

Prova que os paulistanos continuam ávidos por cultura, ainda mais depois da pandemia: María de Buenos Aires quebra um jejum de dois anos sem óperas em São Paulo. O jeito é se contentar com as lives (mais uma estratégia de inclusão) que o Theatro Municipal promoverá nos dias 13 e 14 de setembro, às 19h: a primeira sobre as origens do tango e o universo da prostituição e a segunda sobre os bastidores da produção.

View this post on Instagram

A post shared by Theatro Municipal de São Paulo (@theatromunicipal)

Programação e visitas guiadas

Quem não conseguiu garantir o seu ingresso para María de Buenos Aires ainda pode encontrar conforto no restante da programação já divulgada pelo Theatro Municipal. Para setembro, está prevista uma apresentação do Quarteto da Cidade com Hercules Gomes no dia 23 (R$ 10 a R$ 20) e o concerto Do Sagrado ao Profano nos dias 24 e 25 (R$ 10 a R$ 40).

Em outubro, haverá apresentação dos 85 anos do Coral Paulistano (R$ 10 a R$ 30), execução de Ligeti e Dvorak pela Orquestra Sinfônica Municipal (R$ 10 a R$ 60), programação especial para a Semana da Criança (R$ 40), música barroca pelo Quarteto da Cidade (R$ 10 a R$ 20)… Além disso, o Balé da Cidade volta a se apresentar na Praça das Artes com o espetáculo Isso dá um baile! (R$ 40), que ficará em cartaz de 22 de outubro a 6 de novembro.

View this post on Instagram

A post shared by Theatro Municipal de São Paulo (@theatromunicipal)

Continua após a publicidade

Outra opção é conhecer o Theatro Municipal durante um passeio guiado. As visitas educativas, que percorrem o salão de entrada, o salão nobre, as salas de espera, os camarotes e a sala de espetáculos em si já foram retomadas e são bastante válidas: além de gratuitas, elas contam com o acompanhamento de monitores que vão destacando detalhes da arquitetura e contando curiosidades sobre os costumes da elite que frequentava o espaço antigamente. Elas acontecem de quarta-feira a sábado às 11h, 11h30, 13h, 13h30, 14h30 e 15h – só não se esqueça de fazer a reserva no dia anterior à visita através do site (excepcionalmente, não haverá tours entre 8 e 14 de setembro).

Porém, os visitantes poderão conhecer o interior do Theatro Municipal de uma forma diferente durante a comemoração do seu 110º aniversário. Mistura de espetáculo, exposição e passeio, a instalação ‘Fantasmagoria Theatro Municipal de São Paulo‘ guia os participantes por dentro do monumento durante uma hora – com a diferença que pelo caminho há apresentações performáticas de grupos artísticos, projeções nas paredes e figurinos, adereços e cenários que fazem parte do acervo histórico do teatro. A experiência acontecerá de 12 de setembro a 31 de outubro e custa R$ 40 (reserve com antecedência aqui).

View this post on Instagram

A post shared by Theatro Municipal de São Paulo (@theatromunicipal)

De dentro para fora

O Theatro Municipal tem buscado estratégias de difundir a cultura erudita para além do edifício-monumento projetado por Ramos de Azevedo. Por isso, também faz parte da sua programação especial de aniversário a reforma das carroças de três catadores de materiais recicláveis, que ganharão equipamentos de som para espalhar gravações de óperas clássicas, como Fígaro e O Barbeiro de Sevilha, pelas ruas de São Paulo. A iniciativa, batizada de ‘Carroças Líricas‘, é fruto de uma parceria com o movimento Pimp my Carroça e o coletivo Bijari.

Através do projeto ‘Cine-Ópera‘, gravações de vídeo dessas mesmas produções tradicionais do Theatro Municipal serão exibidas em bairros periféricos de São Paulo, como Guaianases e Cidade Tiradentes, a partir deste domingo (12). As próximas paradas serão divulgadas ao longo dos próximos meses.

A ideia, porém, é que a comemoração dos 110 anos se espalhe por todo o Brasil. De setembro a dezembro, o teatro vai compartilhar em seu canal no Youtube um episódio por mês da websérie “Memória Viva da Capital“. Dividido em quatro partes, o documentário discutirá desde a arquitetura do Theatro Municipal até as suas propostas para o futuro, passando pelo o seu impacto cultural ao longo dos anos e pelos seis corpos artísticos que integram a instituição: o Balé da Cidade de São Paulo, o Coral Paulistano, o Coro Lírico, a Orquestra Experimental de Repertório, a Orquestra Sinfônica Municipal e o Quarteto da Cidade de São Paulo.

Busque hospedagem em São Paulo

Leia tudo sobre São Paulo

  • Continua após a publicidade
    Publicidade