Inhotim reabre icônica obra de Cildo Meireles

A instalação 'Desvio para o Vermelho I, II e II' estava fechada desde o início da pandemia e passou por um processo de restauração

Por Da Redação Atualizado em 21 fev 2022, 12h34 - Publicado em 21 fev 2022, 10h20

Uma das obras mais icônicas do Inhotim está de volta. Desvio para o Vermelho I, II e II (1967 – 1984), do artista Cildo Meireles, acaba de reabrir para visitação após um processo de pintura do mobiliário e das paredes, higienização dos objetos e substituição de carpete e forro. A instalação, que estava fechada desde o início da pandemia, foi restaurada por uma equipe de 20 profissionais.

O título da obra faz referência ao fenômeno físico “desvio para o vermelho”, um caso particular do Efeito Doppler, que indica a cor vermelha como frequência de ondas de luz percebida pelo observador quando os corpos celestes se afastam.

Instituto Inhotim, Brumadinho, Minas Gerais, Brasil
Bastidores do processo de restauração. Crédito: Instituto Inhotim/Divulgação

O trabalho é estruturado em três ambientes articulados. O primeiro deles, nomeado Impregnação, reúne uma coleção de móveis, objetos e obras de arte em tons de vermelho, organizados em uma sala.

A saturação monocromática do primeiro ambiente contrasta com a penumbra do segundo, Entorno, no qual o público pode observar uma pequena garrafa caída no chão, cujo líquido vermelho derramado produz uma grande mancha no espaço.

Este caminho do líquido conduz o público a uma sala totalmente escura, Desvio, onde o passeio é guiado pelo som de água corrente. A escuridão é quebrada apenas por uma pia deslocada, por onde sai uma água vermelha que cria a sonoridade do ambiente.

Serviço

Inhotim está funcionando de quarta-feira a domingo e aos feriados com capacidade para mil visitantes por dia. A entrada é gratuita em toda última sexta-feira do mês, exceto em feriados, com o mesmo limite de público. A compra e retirada de ingresso é realizada exclusivamente online e com antecedência pela Sympla, já que as entradas não estão sendo vendidas na bilheteria física.

O instituto também pede que os visitantes apresentem comprovante de, no mínimo, duas doses da vacina contra Covid-19. A medida é válida para visitantes a partir de 12 anos de idade. São aceitos o cartão físico, foto do cartão ou o certificado gerado pelo aplicativo Conecte SUS, sendo que também é feita a conferência de um documento de identidade com foto.

Continua após a publicidade

Leia tudo sobre Minas Gerais

Busque hospedagem em Brumadinho

 

 

 

 

Continua após a publicidade

Publicidade