Caminho do Queijo reúne queijarias premiadas no interior paulista

Propriedades referência na produção de queijo artesanal oferecem visitas guiadas, almoços e degustações

Por Bruno Chaise Atualizado em 18 fev 2022, 11h09 - Publicado em 11 fev 2022, 17h38

Além do Circuito das Frutas e da Rota das Flores, o interior de São Paulo também possui o Caminho do Queijo Artesanal PaulistaCriado em 2017, o roteiro abrange 13 propriedades rurais de cidades diferentes que produzem queijos de vaca, búfala, cabra e ovelha – todos os produtos identificados por um selo de qualidade de produção.

São elas a Fazenda Atalaia (Amparo), Fazenda Santa Helena (Sete Barras), Fazenda Santa Luzia (Itapetininga), Laticínio Artesanal Montezuma (São João da Boa Vista), Leiteria Santa Paula (São José do Rio Pardo), Pardinho Artesanal (Pardinho), Pé do Morro (Cabreúva), Queijaria Belafazenda (Bofete), Queijaria Rima (Porto Feliz), Cabanha Mulekinha (Ibiúna), Lano-Alto (Catuçaba), Q.JO Martina (Boitúva) e Capril do Bosque (Joanópolis).

Em 2021, duas delas foram premiadas no concurso internacional Mondial du Fromage, que é realizado anualmente na França: a Pardinho Artesanal, com o Mandala 12 meses, e a Fazenda Santa Luzia, com os queijos Gregório, Fernão e Tropeirinho.

Algumas funcionam apenas no sistema delivery e fazem entregas para cidades vizinhas, como é o caso da Queijaria Rima. Mas a maioria recebe visitantes para compra e degustações no local.

View this post on Instagram

A post shared by Caminho do Queijo Paulista (@caminhodoqueijopaulista)

Veja, a seguir, como funciona o passeio em quatro delas:

Fazenda Atalaia, Amparo 

Ver essa foto no Instagram

Uma publicação compartilhada por Fazenda Atalaia (@fazendaatalaia)

Instalada em uma fazenda do século 19, a 128 quilômetros da capital paulista, a queijaria começou a sua produção de forma informal há mais de 20 anos. Hoje, a Fazenda Atalaia reúne no catálogo produtos premiados como o Tulha, queijo de casca dura, picante e frutado que foi medalha de ouro no World Cheese Award 2016-17. Não deixe de experimentar também as duas versões de sabor suave do queijo Mantiqueira: o primeiro de casca maturada com alecrim e, o segundo, mais cremoso e lavado na cerveja Stout. A loja funciona diariamente das 9h às 17h. Mas, de quarta-feira a domingo, a fazenda também serve café da manhã (das 9h às 11h30) e almoço (12h30 às 15h30). Já nos finais de semana e feriados, há uma visita guiada para conhecer a história da fazenda. Em nenhum dos casos é necessário reservar com antecedência.

Capril do Bosque, Joanópolis

Ver essa foto no Instagram

Uma publicação compartilhada por Capril do Bosque (@caprildobosque)

Continua após a publicidade

Sob a batuta da mestre queijeira Heloisa Collins, a fazenda a 120 quilômetros de São Paulo se tornou referência na produção de queijos de cabra no Brasil. Um dos destaques é o Cacauzinho, maturado sobre uma cobertura de cacau e baunilha do Pará. Aos sábados, domingos e feriados, das 12h às 17h, a fazenda promove um tour pela criação das cabras e almoço com pratos à base de queijo de cabra no Bistrô do Bosque. É preciso reservar com antecedência pelos Whatsapp (11) 9 5069-6850 e (11) 95555 9232. Além disso, há uma loja vendendo os produtos Capril do Bosque, aberta diariamente das 10h às 16h.

Quejo com Arte Fazenda Santa Luzia, Itapetininga

Ver essa foto no Instagram

Uma publicação compartilhada por Queijo com arte (@queijo_com_arte)

A Fazenda Santa Luzia é considerada pioneira na produção de queijo artesanal em São Paulo porque existe desde a década de 1950. Atualmente, a propriedade a 171 quilômetros da capital pertence ao casal Martin e Maristela e produz 20 tipos diferentes de queijo. Os destaques da casa são o Gregório, Fernão e Tropeirinho, premiados pelo concurso Mondial du Fromage em 2021. É possível comprá-los na loja, aberta de segunda-feira a sábado, das 9h às 17h. Mas também fica na propriedade o Bistrô Queijo com Arte, que funciona mediante reserva e somente aos sábados, das 10h às 18h. Ali servem-se tábuas de queijo para degustação e pratos feitos a partir dos queijos da casa, como sanduíches, massas, quiches e doces.

Queijaria Pé do Morro, Cabreúva

Ver essa foto no Instagram

Uma publicação compartilhada por Pé do Morro – Japi (@pedomorro_japi)

Fundada em 2016 por Erico Kolya, a Pé do Morro funciona em um sítio de 15 hectares em meio à Serra do Japi, a pouco mais de 80 quilômetros de São Paulo. Um dos destaques do local é o Sol do Japi, um queijo de massa semi-cozida inspirado nos queijos alpinos, mas adaptado ao clima brasileiro, que é maturado por três, seis ou nove meses. A degustação dos queijos funciona da seguinte forma: você monta uma cesta com os produtos que deseja experimentar e escolhe uma das mesas ou um cantinho do gramado para fazer um piquenique ao ar livre – eles oferecem inclusive as toalhas e as esteiras para a refeição no chão. Esse brunch acontece aos sábados e domingos, das 13h às 17h. De terça a sexta-feira, a propriedade abre no mesmo horário, mas somente para venda dos queijos.

Leia tudo sobre São Paulo

Busque hospedagem em São Paulo

Continua após a publicidade

Publicidade