Quero viajar mas não sei falar inglês – ou outro idioma

Estes dias li um comentário de um leitor que já viajou para 18 países sozinho sem falar inglês (sim! A língua universal dos viajantes!) ou qualquer outro idioma.

Não, ele não fala mais ou menos, ele não arranha, ele simplesmente não fala e admite sua total falta de talento para idiomas. E viaja sozinho. Ponto.

Fiquei pensando que se ele tiver algum problema grave a coisa pode complicar mas, descartando esta possibilidade (e contando com a sorte) não é de fato um grande problema.

Perde-se com isso, claro. Mas perde-se muito mais não viajando.
Estive aqui pensando e indico 5 dicas pra facilitar a vida do viajante monoglota.

[foto: thinkstockphotos]

[foto: thinkstockphotos]

  1. Reservas de hotéis, restaurantes e atrações Telefones são proibidos, faça as reservas por e-mail. Traduza tudo para o inglês e pronto, está feito. Se o idioma do lugar for outro, e o estabelecimento for mais simples, pode acontecer da pessoa do outro lado não falar inglês também. Adapte-se, confie no tradutor novamente, traduza e retraduza pra ver se não está falando nenhuma barbaridade e segura na mão de Deus.
  2. Pedir informações Eu não sei como as pessoas faziam antes do advento da internet, certamente era muito mais difícil. Hoje existem ferramentas incríveis para se fazer entender sem falar, desde digitar frases e pedir pro Google Translator traduzir macarronicamente para outro idioma até aplicativos mais sofisticados. Falemos mais disso em outro post!
  3. Relaxar Não adianta ter crise de ansiedade, você não vai aprender inglês, francês ou mandarim em duas horas. O que conta é a criatividade, a expressão corporal e a disposição para entender e se fazer entender. Decorar um “desculpa, eu não falo seu idioma” é simpático e costumar abrir caminhos, só não esquece de fazer cara de gente boa. Se encontrar um casca grossa, desencane e passe para outra vítima.
  4. Locomoção Ter sempre a mão, por escrito, o nome das coisas pra não correr o risco de pronunciar errado e parar num canto perdido, a 20 quilômetros de onde gostaria.
  5. Cardápios Esta eu uso! Meu conhecimento de nome de comidas em inglês é limitado e em outros idiomas, quase inexistente. Eu estudo um pouco antes, claro. Chegando lá sou cara de pau e pergunto tudo. Se não for o suficiente peço o que estiver mais fácil. Como não sou muito enjoada pra comer (e adoro comer quase tudo) as vezes tento fazer com que a pessoa me sugira algo típico que ela goste. Outro jeito divertido é apontar a comida de alguma mesa ao lado se te apetecer.

Se tiver alguma sugestão manda pra gente!
Se você quiser ver como enxergo minhas viagens, siga-me no Intagram: @anaclaudiacrispim

 

Comentários

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.