Além-mar Por Blog Rachel Verano rodou o mundo, mas foi por Portugal que essa mineira caiu de amores e lá se vão, entre idas e vindas, quase dez anos. Do Algarve a Trás-os-Montes, aqui ela esquadrinha as descobertas pelo país que escolheu para chamar de seu

Que tal aproveitar a sua viagem a Portugal e visitar o Marrocos?

Marrakesh está a menos de duas horas de voo de Lisboa e as passagens estão baratíssimas; veja o que fazer ao pousar na cidade

Por Rachel Verano Atualizado em 22 jun 2017, 13h47 - Publicado em 21 jun 2017, 23h06

Uma das enormes vantagens de morar em Portugal é a possibilidade de, num pulo, se teletransportar para um mundo completamente diferente. Um mundo tipo… o Marrocos.

O minarete da Mesquita Koutoubia: monumento do século 12
O minarete da Mesquita Koutoubia: monumento do século 12 Bruno Barata/Reprodução

Marrakesh é uma das cidades mais fascinantes que já conheci. Um caos absolutamente viciante onde carros dividem as ruas com cavalos, charretes, carrinhos de mão, motos e bicicletas tresloucadas e desafiam as leis da física praticamente ocupando o mesmo lugar no tempo e no espaço.

Um dos corredores dos souks: labirintos fascinantes
Um dos corredores dos souks, os tradicionais mercados marroquinos: labirintos fascinantes Bruno Barata/Reprodução

A medina, parte do centro histórico cercado de muralhas, é um labirinto de cores e cheiros surreais. O centro de tudo é a Praça Jemma-el-Fna, para onde tudo converge: vendedores, encantadores de serpentes, adestradores de macacos, músicos, mulheres que fazem tatuagens de henna, barracas de comida de rua.

Vendedor de cerâmicas no souk: a vida passa lentamente...
Vendedor de cerâmicas no souk: a vida passa lentamente… Bruno Barata/Reprodução

Da praça saem os souks, os famosos mercados. De potinhos coloridos a colares, sapatos, lanternas e especiarias, passando por tapetes e artigos de couro, são uma festa para os olhos.

O rooftop do Cafe des Epices: bela surpresa
O rooftop do Cafe des Epices: bela surpresa Bruno Barata/Reprodução

A arquitetura de Marrakesh é uma zona completa capaz de milagres. Do lado de fora é tudo meio bizarro. Do lado de dentro, verdadeiros oásis. Qualquer espelunca tem potencial de se transformar um rooftop delicioso ao alcance de um lance de escada (ou dois, ou quatro).

Tajine de frango com peras caramelizadas do Cafe des Epices: imperdível
Tajine de frango com peras caramelizadas do Cafe des Epices: imperdível Bruno Barata/Reprodução

A comida é um capítulo à parte. Eu, que nunca abri mão do cuscuz, de repente me vi vidrada nos tajines. O Café des Epices serve um delicioso de frango com peras caramelizadas e sementes de gergelim. Juro que amanhã vou repetir antes de ir embora.

Continua após a publicidade
Textura de uma parede no centro histórico: espetáculo de cores
Textura de uma parede no centro histórico: espetáculo de cores Bruno Barata/Reprodução

Marrakesh faz tempo que já não é um segredo para muita gente. Mas a vantagem de estar em Portugal é que qualquer dois dias já justificam a escapada. Eu, por exemplo, estou aqui por duas noites. Como já conheço os palácios, museus e jardins, estou só curtindo a piscina do riad (providencial para o calor de quase 40 graus), os restaurantes, o mercado.

  • Vendedores de suco de laranja na Praça Jemaa-el-Fna: parece cenário
    Vendedores de suco de laranja na Praça Jemaa-el-Fna: parece cenário Bruno Barata/Reprodução

    E a bagunça, que eu a-do-ro.

    Pirâmides de temperos no Mercado de Especiarias
    Pirâmides de temperos no Mercado de Especiarias Bruno Barata/Reprodução

    A TAP opera voos diretos a partir de Lisboa que duram 1h40 e custam desde 100 e poucos euros. Quem tiver milhas da cia vai precisar de apenas 12.000 para ida e volta na baixa temporada (agora).

    E mais especiarias: vontade de levar tudo na mala
    E mais especiarias: vontade de levar tudo na mala Bruno Barata/Reprodução

    NOTA: durante o Ramadã, o mês sagrado do Islã que celebra a revelação do Corão ao profeta Maomé, os muçulmanos jejuam durante o dia e se abstêm de bebidas alcóolicas, cigarros e sexo – este ano ele termina agora no dia 24 de junho. Eles acreditam que a prática os aproxima de deus e estimula a generosidade entre as pessoas.

    Artesão em ação no souk: perdição das compras
    Artesão em ação no souk: perdição das compras Bruno Barata/Reprodução

    Verdade seja dita: isso não os impede de trapacear turistas o tempo todo. Fique de olho. Também não se encontra bebida alcóolica em canto algum. 

  •  

    Acerte a garrafa: clima de quermesse durante o ramadã na Praça Jemaa-el-Fna
    Acerte a garrafa: clima de quermesse durante o ramadã na Praça Jemaa-el-Fna Bruno Barata/Reprodução

    Em compensação, o clima à noite é de festa de quermesse, com brincadeiras de rua com cara de antigamente e centenas de crianças brincando até tarde.

  • Continua após a publicidade
    Publicidade