Além-mar Rachel Verano rodou o mundo, mas foi por Portugal que essa mineira caiu de amores e lá se vão, entre idas e vindas, quase dez anos. Do Algarve a Trás-os-Montes, aqui ela esquadrinha as descobertas pelo país que escolheu para chamar de seu

Leitão da Bairrada: uma experiência gastronômica imperdível

Comida de verdade, sem mimimi. Eleito uma das maravilhas gastronômicas de Portugal, o prato merece um pit-stop para quem sai de Lisboa em direção ao Norte

Por Rachel Verano 24 jan 2018, 16h38
Os tenros pedaços de leitão, com a casquinha crocante e perfeita: refeição inesquecível
Os tenros pedaços de leitão, com a casquinha crocante e perfeita: refeição inesquecível Rachel Verano/Arquivo pessoal

A casquinha é dourada, crocante, de aparência vitrificada. Por baixo dela, a carne é macia, tenra, úmida. Nos arredores de Coimbra, uma cidadezinha de menos de 5 mil habitantes conseguiu a proeza e a merecida fama de elevar o leitão a uma outra categoria gastronômica. Bem-vindos a Mealhada, a terra do Leitão da Bairrada.

Eleito uma das sete maravilhas gastronômicas de Portugal em uma votação recente, o Leitão da Bairrada segue um verdadeiro ritual de preparo. Para começar, os porquinhos, abatidos entre um mês e um mês e meio de vida (com no máximo 8 quilos), precisam ser das raças bísaro, malhado de Alcobaça ou bairradinus. A única alimentação é o leite materno.

O prato perfeito: batatas fritas e salada com laranja
O prato perfeito: batatas fritas e salada com laranja Rachel Verano/Arquivo pessoal

Garantida a procedência, vem a sabedoria dos cozinheiros locais. Em um forno constantemente a 300ºC, o leitão assa em lenha de videira ou eucalipto por cerca de duas horas, levando borrifos de vinho branco de tempos em tempos (alguém falou em pele crocante, ou, como dizem os portugueses, estaladiça? ). O tempero? Alho, sal, pimenta, salsa, toucinho, manteiga de porco e louro. E só.

É quase nada – ou tudo isso – que garante o sabor, a textura e a emoção do Leitão da Bairrada. A vila é recheada de dezenas de restaurantes que preparam a iguaria, mas um deles se destaca na multidão. Com portas abertas desde 1949, o Pedro dos Leitões é unanimidade nacional. Daqueles restaurantões enormes, que recebem muitas gerações de uma mesma família num salão que acomoda mais de 400 pessoas. Clima de churrascaria do interior no Brasil.

Para acompanhar os quadrados perfeitos de carne, a tradição manda vir batata frita em rodelas, bem sequinhas, e salada de alface com fatias de laranja. O brinde perfeito é feito com o espumante da Bairrada, o mais antigo produzido em Portugal (desde 1890), a partir da casta Baga. Para comer rezando.

A torta de laranja da sobremesa: grand finale
A torta de laranja da sobremesa: grand finale Rachel Verano/Arquivo pessoal

Anote ai: a Mealhada fica a cerca de 220 quilômetros de Lisboa e pouco mais de 25 de Coimbra. É o pit-stop perfeito em uma viagem de carro entre a capital e o norte de Portugal, embora eu já tenha feito várias vezes bate-e-volta de Lisboa (meu pai simplesmente não cigita vir a Portugal e não dar um pulinho lá). No Pedro dos Leitões, o prato é vendido por quilo (€ 40/kg). Uma refeição completa, com espumante, entradinhas e uma sobremesa caseira delícia, como a torta de laranja, custa cerca de € 60 por casal.

Reserve a sua hospedagem em Coimbra, nos arredores da Mealhada, no Booking.

  • Continua após a publicidade
    Publicidade