Além-mar Rachel Verano rodou o mundo, mas foi por Portugal que essa mineira caiu de amores e lá se vão, entre idas e vindas, quase dez anos. Do Algarve a Trás-os-Montes, aqui ela esquadrinha as descobertas pelo país que escolheu para chamar de seu

Verão na Comporta: um bar superdescolado

O Jardim Minerva é um pop-up que funciona do café da manhã ao pôr-do-sol em pleno centro da vila

Por Rachel Verano Atualizado em 21 jan 2020, 17h30 - Publicado em 30 jul 2018, 21h19
O astral do Jardim Minerva: o bar que eu queria para chamar de meu
O astral do Jardim Minerva: o bar que eu queria para chamar de meu Bruno Barata/Reprodução

Andando pela rua principal da vilinha da Comporta num sábado de manhã fui atraída por uma música que vinha de algum canto misterioso até que fui parar numa viela lateral e dei de cara com o Jardim Minerva. Uau. Pensamento imediato: se eu tivesse um bar era exatamente assim que eu gostaria que ele fosse. Me explico.

Detalhe das lindas mesas em marchetaria e do contâiner revestido em madeira: tudo portátil
Detalhe das lindas mesas em marchetaria e do contâiner revestido em madeira: tudo portátil Bruno Barata/Reprodução

Balanços de macramê pendurados numa árvore enorme e frondosa. Mesas comunitárias em marchetaria. Balcão em contâineres revestidos de madeira. Cardápio do dia escrito a giz numa lousa. Menu biológico. Chão de areia. Golpe de misericórdia: tudo portátil, pronto para entrar no contâiner e ir parar num outro canto qualquer do mundo quando der na telha. Minha alma cigana deu cambalhotas de emoção.

Os irmãos Saidjah e Pedro: belgas criados região
Os irmãos Saidjah e Pedro: belgas criados região Bruno Barata/Reprodução

O pop-up bar Jardim Minerva nasceu da imaginação dos irmãos Pedro e Saidjah Caels, belgas criados na região de Grândola. “A ideia é viver de verão”, resume Pedro, agricultor biológico que também vende cestas com seus produtos ali. Até setembro, ele garante, não arredam o pé dali do café da manhã ao pôr-do-sol. Tem tudo para ser um dos points deste verão.

  • Pebolim no quintal: à moda antiga
    Pebolim no quintal: à moda antiga Bruno Barata/Reprodução

    Na cozinha (também um contâiner), o chef João Baião prepara petiscos e pratos simples que privilegiam ingredientes locais. Isso significa que a oferta varia a cada dia, mas pode incluir o veggie bowl (quinoa ou cuscuz com legumes, tofu e salada), ceviches, frango picante de inspiração asiática, chocos fritos, croquetes…

    Veggie Bowl: cuscuz (ou quinoa) com tofu, legumes e salada
    Veggie Bowl: cuscuz (ou quinoa) com tofu, legumes e salada Bruno Barata/Reprodução

    Para acompanhar, o menu de drinques inclui mojito, caipirinha e Aperol Spritz. Mas as estrelas da casa são as cervejas belgas de pressão – uma bela homenagem à origem dos donos.

    Reserve a sua hospedagem na Comporta com o Booking.

    Continua após a publicidade
    Publicidade