Piacere, Itália! Depois de passar um mês rodando a Toscana, Bárbara Ligero caiu de amores pela terra da bota e se matriculou em um curso de italiano. Atualmente, está aprendendo a gesticular com perfeição

Na Itália, você pode economizar se hospedando em conventos

Com quartos simples e limpos, os conventos atraem os viajantes pela possibilidade de se hospedar nos centros das cidades a preços baixos

Por Barbara Ligero 15 out 2019, 18h24

Historicamente, os conventos sempre foram construídos como edifícios enormes, com vários quartos. A procura pela vida religiosa diminuiu, o espaço nessas casas sobrou e assim as freiras tiveram a ideia de oferecer cama e café da manhã para os turistas.

Há uns anos atrás, esse assunto gerou polêmica porque, afinal de contas, instituições religiosas possuem isenção fiscal e os conventos estavam começando a lucrar com o esquema. Até o Papa se pronunciou sobre o caso e, na lei, ficou estabelecido que os conventos que exercessem essa atividade deveriam pagar impostos como qualquer outro hotel.

  • Só que essa forma de hospedagem continua longe de ser comum: os lugares seguem tendo sua função sagrada e a rotina das freiras permanece igual, independente da presença dos que estão só de passagem. Veja alguns prós e contras de ficar em um convento:

    Istituto Salesiano dell’Immacolata em Florença Istituto Salesiano dell'Immacolata/Divulgação

    Prós

    – Além de serem históricas, as construções que abrigam os conventos muitas vezes ficam bem localizadas, próximas de atrações turísticas.

    – As diárias costumam ser bem baratas em comparação a outras formas de hospedagem, principalmente se você levar em conta a localização central. Há opções em Florença, por exemplo, por 34.

    – Alguns conventos oferecem café da manhã.

    – As freiras são caprichosas na limpeza dos quartos e banheiros.

    – O silêncio impera ali dentro.

    Continua após a publicidade

    Contras

    – A decoração dos quartos é franciscana: não espere encontrar mais do que uma cama básica e um armário.

    – Em alguns conventos, o banheiro é compartilhado.

    – O café da manhã costuma ser bem simples também.

    – Alguns conventos possuem toque de recolher, o que impede que você passeie até muito tarde.

    Quarto no Il Villino, em Bolonha Il Villino/Divulgação

    Minha experiência

    Fiquei hospedada em um convento em Roma, bem próximo do Vaticano. Na chegada, uma freira entregou a chave do quarto e da porta de entrada e mostrou onde seria servido o café da manhã. Não havia toque de recolher: ela só pediu que trancássemos a porta principal à noite. Também não me fizeram muitas perguntas.

  • Depois disso, só vi freiras novamente quando elas foram repor alguns itens do café da manhã. Você não é obrigado a acordar cedo para rezar e nem nada do tipo. O banheiro era compartilhado, mas bem limpo, e o quarto era equivalente a um hostel basicão.

    Nesse convento, as freiras só hospedavam viajantes que fossem conhecidos de alguém. Mas dá para encontrar boas opções em sites como o Instituti Religiosi, o Ospitalità Religiosa e o Monastery Stays.

    Tem mais dicas de Itália no meu Instagram: @barbara.ligero

    Continua após a publicidade
    Publicidade