8 motivos para conhecer Turim, a capital do Piemonte

Fora as belas praças e os cafés elegantes, Torino preserva construções da época que foi capital da Itália e guarda três importantes museus

Apesar de ser a quarta maior cidade do país, Turim (ou Torino, em italiano) está longe de estar entre as mais procuradas pelos turistas brasileiros. Geralmente, ela é associada como a casa do time Juventus e a sede da Fiat, mas não chega a entrar nos roteiros dos viajantes. Fato curioso considerando que essa foi a primeira capital da Itália após a sua reunificação, no século 19, e que a cidade guarda verdadeiros tesouros históricos. Veja alguns (bons) motivos para visitá-la:

Encontre aqui hospedagens em Turim

1. Localização

A cadeia montanhosa que cerca Turim

A cadeia montanhosa que cerca Turim (Turismo di Torino/Divulgação)

Aos pés dos Alpes e às margens do Rio Pó, Turim fica a 145 quilômetros de Milão. Como essa distância pode ser vencida em duas horas de carro ou em uma hora de trem, é fácil combinar a estadia milanesa com um bate-e-volta até a cidade. Chegando lá, é possível conhecer quase tudo a pé, já que as principais atrações ficam bem próximas uma das outras.

2. Construções históricas

A fachada do Palazzo Carignano

A fachada do Palazzo Carignano (Fotero/Flickr)

Uma das mais importantes famílias nobres italianas foi a Casa de Savoia, que chegou a controlar o Reino da Sicília, o Reino da Sardenha e, posteriormente, o próprio Reino da Itália. Em 1562, eles estabeleceram Turim como a capital de seu Ducado e a partir daí a cidade ganhou uma série de palacetes luxuosos. É o caso do Palazzo Reale di Torino, o Palazzo Carignano e o Palazzo Madama, que até hoje conferem elegância à cidade. Isso sem falar dos pórticos, que cobrem nada menos que 18 quilômetros de suas calçadas.

Veja também

3. Santo Sudario

O suposto manto que envolveu Jesus

O suposto manto que envolveu Jesus (Butko/Wikimedia Commons)

O sudário nada mais é do que um pano de linho que teria sido utilizado para envolver o corpo de Jesus Cristo após a sua crucificação: manchas de sangue e marcas que acompanham os traços de um rosto atestariam isso. Há muitas polêmicas envolvendo a autenticidade dessa relíquia, mas o fato é que ela está guardada na Capela do Santo Sudario, dentro do Duomo di Torino. O que se vê durante a visita é na verdade uma réplica do tecido, já que o original só pode ser exibido de acordo com a vontade da Igreja Católica. Ainda assim, vale a pena conhecer o templo, primeiro exemplo de arquitetura renascentista da cidade.

4. Museo Egizio

O interior do museu

O interior do museu (Alirjd/Flickr)

Quem diria que uma das principais coleções de artefatos egípcios do mundo fica na Itália? Por mais incrível que pareça, o Museu Egípcio de Turim só perde para o Museu do Cairo em importância. Com quase 200 anos de existência, ele guarda 6 500 peças dessa antiga civilização, que vão de estátuas de deuses a sarcófagos, passando por vasos e manuscritos em papiro.

Veja também

5. Museo Nazionale del Cinema

Objetos que fazem parte do vasto acervo do museu

Objetos que fazem parte do vasto acervo do museu (Museo Nazionale del Cinema/Divulgação)

Um vestido usado por Marilyn Monroe está entre as peças do acervo, considerado uma dos mais preciosos do mundo nessa temática. Há fotos, materiais publicitários, rolos de filme, livros, aparelhos e móveis que acompanham a trajetória cinema não só italiano como mundial. Como se não bastasse, o museu fica dentro do monumento-símbolo de Turim, o Mole Antonelliana. Com uma torre de 167 metros de altura, o prédio estava sendo construído como uma suntuosa sinagoga até a obra se tornar cara demais e a responsabilidade de finalizá-la cair nas mãos da prefeitura.

6. Museo dell’Automobile

Vai uma Ferrari?

Vai uma Ferrari? (Museo dell'Automobile/Divulgação)

A cidade da Fiat guarda também um museu dedicado a mostrar a evolução do carro. Não é preciso ser uma apaixonado pelo universo automobilístico para se intrigar diante dos primeiros modelos e cobiçar os mais novos.

7. Parco del Valentino

O Parco del Valentino, em Turim

O Parco del Valentino, em Turim (Nicolò Villa/Flickr)

O fato de Turim ser dona de três importantíssimos museus não significa que você passará a maior parte do seu tempo em espaços fechados. A cidade também é ótima para estar ao ar livre, seja em suas grandiosas praças cercadas de cafés elegantes ou às margens do Rio Pó, onde os moradores locais costumam fazer picnics. Mas nesse quesito o grande destaque é mesmo o Parco del Valentino, que guarda um burgo medieval de mentirinha que reproduz como se vivia no Piemonte durante o século 13.

8. Doces

O Bicerin, bebida típica da região

O Bicerin, bebida típica da região (Jeremy Husinger/Flickr)

Para fazer render mais o caro cacau, alguém teve a brilhante ideia de misturar o chocolate com um pouco de creme de avelã. O que antes era economia se tornou a gianduia, deliciosa especialidade do Piemonte que pode ser provada por toda Turim na forma de sorvetes e bombons. E se é para falar de doces, não deixe de provar o Bicerin, típica bebida local que leva café, chocolate e creme de leite. Uma curiosidade é que Turim foi o local de nascimento da rede Eataly, hoje com unidades na Via Nizza e na Via Giuseppe Luigi Lagrange.

Encontre aqui hospedagens em Turim

Siga-me no Instagram: @barbara.ligero

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s