Mistérios e surpresas de um deserto

Sobre o assombro, a magnitude e a pequenez humana de quando nos deparamos com um mar de dunas pela primeira vez

Você que ainda não embarcou nessa aventura, já considerou colocar um deserto como seu próximo destino de viagem?

Sou um apaixonado por desertos. Misteriosos, eles guardam mais segredos e vidas do que a maioria das pessoas pode imaginar. E é preciso ter ambição para sobreviver ao deserto, afinal de contas, os recursos são escassos e a vida se sustenta em um frágil e belo equilíbrio, que pode nos reservar surpresas.

Este texto conta também com certa dose de ambição, pois tem o desafio quase impossível de traduzir em palavras a sensação de se aproximar de um deserto pela primeira vez.

Nem só de areia vivem os desertos. Pense, por exemplo, no grande deserto polar coberto de geleiras que é o continente antártico, ou no Salar de Uyuni, o maior deserto de sal do mundo. Mas aqui vou falar dos desertos de areia com enormes dunas, pois imagino eu, essa seja a imagem mais comum que surge na cabeça das pessoas ao ouvirem a palavra “deserto”.

Veja também

Feche os olhos e tente imaginar. Você está em uma estrada, bem cansado, afinal a jornada deve ter sido longa. A cada quilômetro vencido você vai percebendo a transformação do cenário. A vegetação vai ficando escassa e a paisagem cada vez mais seca, os sinais de vidas estão cada vez mais raros e você começa a perceber o surgimento da areia, areia essa que vai lhe acompanhar durante dias, semanas, quem sabe até meses depois do retorno para casa.

A paleta de cores é de tons quentes, você enxerga várias nuances de amarelo, laranja e vermelho. Distraído em uma reta de perder de vista, você se assusta quando finalmente nota, lá estão elas, as dunas, que começam pequenas e vão crescendo em tamanho e quantidade conforme você adentra a paisagem.

Os desertos são perfeitos para observar o céu noturno

Os desertos são perfeitos para observar o céu noturno (Diego Macedo/Arquivo pessoal)

Falhei. Não consigo sequer criar um esboço do sentimento que tomou conta de mim quando vi as enormes dunas da Namíbia pela primeira vez. Mas me dê uma segunda chance, talvez você se lembre de como foi ver o mar pela primeira vez. Ou quem sabe do dia em que você viu um céu estrelado, sendo rasgado por algum cometa, com a via láctea se exibindo para você, que incrivelmente observava tudo a olho nu. Ou daquela vez em que você estava em um lugar tão intocado que pela primeira vez você foi capaz de ouvir o silêncio.

O deserto é tudo isso em um único lugar.

Você estará em meio a um mar de ondas, uma infinidade de areia em forma de dunas e mais dunas, até onde seus olhos conseguirem alcançar. Definitivamente, você vai estar em um daqueles lugares que justificam o clichê, sentindo-se como se fosse apenas um grãozinho de areia no meio do universo, diante de toda magnitude da natureza.

E não é exagero dizer que o nascer do sol do deserto será um dos mais lindos que você verá na vida. Quando o sol começa a surgir, as dunas e suas areias mudam de cor a cada segundo. De um lado das dunas, as sombras ainda reinam e a areia permanece gelada, do outro, as areias começam a ganhar tons de laranja, vermelho, até brilharem em um dourado reluzente, aquecendo rapidamente e já mostrando o poderoso calor que está por vir. E a beleza também vale para o final do dia: o pôr do sol é igualmente um espetáculo!

O nascer do sol é sempre espetacular em meio às dunas

O nascer do sol é sempre espetacular em meio às dunas (Diego Macedo/Arquivo pessoal)

E o que dizer do céu noturno?

Está cada vez mais difícil encontrar um lugar ainda livre de toda poluição luminosa que causamos, essa nossa interferência é um dos principais motivos por vermos um céu praticamente sem estrelas nas áreas urbanas. Talvez você não tenha tido o privilégio de ver um céu verdadeiramente estrelado e os desertos são, por natureza, lugares perfeitos para isso. Ver a via láctea a olho nu e se dar conta de que, sim, existem mais estrelas no universo do que grãos de areia no deserto será uma experiência incrível. Estrelas, cometas, a via láctea e muitas histórias aquecendo as noites frias em volta de uma fogueira, tudo isso lhe espera.

Mais histórias e fotos no Instagram: @dms.macedo

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s