Brasis

Roteirão da Rio-Santos: o que fazer entre Maresias e Ubatuba

Por fernandoeloi Atualizado em 27 fev 2017, 14h37 - Publicado em 8 nov 2016, 12h34

A viagem começa como terminou a primeira perna (leia o relato aqui). Um trecho bem sinuoso, só que um pouco maior – 18 km até a Praia de Guaecá – abre os trabalhos. Sem dúvida, um dos pontos mais perigosos (e belos) da rodovia, exigindo concentração do motorista e deleite dos passageiros que podem curtir a mata e o oceano tão próximos. Praias cênicas aparecem na sequência: Paúba, Santiago, Toque-Toque Pequeno (que é grande) e Toque-Toque Grande (que é pequena, vai entender). A partir daí, Ilhabela também faz parte do cenário. Reconhecida pelos belos mirantes ao longo da rodovia, um pouco antes de Guaecá fica o primeiro.

+ Roteirão da Rio-Santos
As atrações do trecho entre Guarujá e Maresias
Onde estão as cachoeiras entre Ubatuba e Paraty
O útimo trecho, entre Paraty e Rio, com Angra no caminho

Praia de Toque-Toque Pequeno: um dos cenários mais inspiradores do Litoral Norte Paulista (foto: divulgação/Prefeitura Municipal de São Sebastião)

Praia de Toque-Toque Pequeno: um dos cenários mais inspiradores do Litoral Norte Paulista (foto: divulgação/Prefeitura Municipal de São Sebastião)

Se você viaja com crianças, Guaecá é um porto seguro para o banho, mas saiba que não figura entre as mais lindas desse trecho do litoral.

Em 10 minutos de estrada, você estará no Centro de São Sebastião. Pode passar reto ou dar um rolezinho rápido pelas construções históricas, com direito a um sorvete na também histórica Rocha.

+ Curtindo São Sebastião: 16 praias e o Centro Histórico

Prepare-se: os próximos 25 km até Caraguatatuba são daqueles que torcemos para passar logo. Mas demoram, em média, 40 minutos. Isso porque a partir da divisa dos municípios, a estrada é duplicada. Mas é um trecho chato, movimentado, sem praias relevantes. Como consolo, vale almoçar no Ostra & Ouriço.

Continua após a publicidade

A Rio-Santos volta a mostrar seu viço apenas na extensa orla de Massaguaçu, a 10 km do centrinho de Caraguá. Famosa pelos campeonatos de pesca, a praia é perigosa para banhos. Prefira a sequência Cocanha, Mococa e Tabatinga.

Massaguaçu, em Caraguatatuba: boa para curtir a vista, mas banho perigoso (foto: Silvio Emanuel Fernandes/Wikimedia Commons)

Massaguaçu, em Caraguatatuba: boa para curtir a vista, mas banho perigoso (foto: Silvio Emanuel Fernandes/Wikimedia Commons)

Ubatuba chega com tudo apresentando Maranduba e Lagoinha, duas praias ótimas para famílias. A partir daí até o Centro, começa um sobe e desce de morros com muitas praias pelo caminho. Outra característica desse trecho é a presença de penínsulas, em que as praias são alcançadas por trilhas ou por singelas estradinhas. Quem não quer fazer uma caminhada, pode pegar a estrada de 8 km que leva à bela Praia de Fortaleza.

Mais dois mirantes pela frente: o de Domingas Dias, com recuo mínimo no acostamento, e o do Saco da Ribeira, mais seguro com um monte de embarcações no campo visual – o Saco da Ribeira é o polo do turismo náutico ubatubense.

Você dirige pela Rio-Santos e de repente dá de cara com essa vista (foto: Fernando Podolski/iStock)

Você dirige pela Rio-Santos e de repente dá de cara com essa vista (foto: Fernando Podolski/iStock)

O fim dessa perna apresenta Enseada, Toninhas e Praia Grande, uma tríade de orlas bem urbanas e pouco empolgantes.

Continua após a publicidade
Publicidade