Brasis

Diversão em Ilhéus com praias, cacau e Centro Histórico

As histórias de Jorge Amado ajudaram a colocar a cidade no mapa turístico brasileiro

Por Fernando Leite Atualizado em 22 jul 2021, 15h37 - Publicado em 6 jun 2017, 13h48

Pelas linhas escritas por Jorge Amado, Ilhéus ganhou projeção nos romances Terras do Sem Fim Gabriela Cravo e Canela, esse último principalmente depois do estrondoso sucesso na novela global de 1975 que alçou Sônia Braga ao estrelato. Personagens fortes e cativantes circulando em meio a fazendas de cacau e belas praias.

O turismo na maior cidade do sul da Bahia perdeu um pouco do viço, especialmente depois do asfaltamento da estrada para Itacaré, no final dos anos 90, transformando Ilhéus numa espécie de hub – o povo desembarca no aeroporto e segue direto para os resorts ao sul ou Itacaré ao norte.

Porém, as atrações abaixo mostram que vale ficar um tempo na cidade.

1 – Vesúvio/Bataclan

Ilhéus (BA)
Bar Vesúvio: cenário vivo do romance Gabriela Cravo e Canela, de Jorge Amado Ricardo Freire

Dois “personagens” do romance Gabriela Cravo e Canela estampam o Centro Histórico de Ilhéus e fazem você adentar pelas páginas do livro. Após reforma, o Bar Vesúvio reabriu em 2017. Era nesse bar do turco Nacib que Gabriela encantava os homens de Ilhéus pela sua beleza e pelos quibes magistralmente preparados.

A 200 metros dali, na Avenida Dois de Junho, o Bataclan foi retratado no livro como o cabaré de Maria Machadão, onde os coronéis do cacau e os mais abastados curtiam a noite ilheuense. Após virar ruína, passou por um processo de reforma na década de 90 e hoje abriga um centro cultural, com restaurante, espaço para exposições e a réplica do quarto da cafetina.

Onde fica: Praça Dom Eduardo, 190 (Bar Vesúvio) e Avenida Dois de Julho, 77 (Bataclan)

2 – Casa de Cultura Jorge Amado

O escritor Jorge Amado passou sua infância nessa casa
O escritor Jorge Amado passou sua infância nessa casa Bahiatursa/Wikimedia Commons/Wikimedia Commons

Bom, foi aí que o homem passou parte da infância e adolescência e onde escreveu seu primeiro romance, O País do Carnaval, em 1931. Se não quiser entrar, deve ao menos passar em frente e admirar o belo palacete construído por seu pai, João Amado. Na verdade era uma casa modesta, mas João foi contemplado com um prêmio da loteria federal – algo como se ganhasse na Mega-Sena hoje. Guias auxiliam na visita pelos cômodos da casa, onde estão expostas roupas, fotos, documentos – ou seja, coisas típicas de museus históricos. Mas eram da família do Jorge Amado, né!

Onde fica: Rua Jorge Amado, 21 (Centro)

3 – Catedral de São Sebastião

Catedral de São Sebastião e bar Vesúvio, Ilhéus, Bahia
Catedral de São Sebastião com Bar Vesúvio: a foto clássica de Ilhéus Valter Pontes/Coperphoto

Apesar de estar ao lado do Bar Vesúvio, a igreja não aparece nas obras de Jorge Amado. Pudera, a catedral até começou a ser construída na época dos coronéis do cacau, porém só foi inaugurada em 1967. Externamente, chama a atenção pela altura de 48 metros em estilo neoclássico, com colunas arredondadas e belos vitrais. Quem imagina um interior também pomposo, pode esquecer. É bem singelo, com pintura branca e poucas imagens.

Continua após a publicidade

Onde fica: Praça Dom Eduardo, s/n (Centro)

4 – Fazenda Yrerê

Região importante da produção cacaueira na Bahia, Itabuna, a 32km de Ilhéus, tem fazendas abertas para visita
O cacau faz a fama de Ilhéus. Vamos conhecer uma plantação? Kim-Ir-Sen

Além das praias e do Centro Histórico, há uma atração essencial e imperdível para entender o contexto da região: a visita a uma fazenda cacaueira. Atualmente, mais próxima a Ilhéus, apenas a Fazenda Yrerê recebe turistas mediante agendamento prévio. Em duas horas de visita, as pessoas fazem uma tranquila trilha pelo roçado do cacau, passando por todos os processos da transformação em chocolate, incluindo aí a famosa pisada no fruto. No final, degusta-se um lanche movido a chocolate e suco de cacau.

Onde fica: Rodovia Ilhéus-Itabuna, km 11

5 – Praia dos Milionários

Ilhéus, Bahia
Nascer do sol na Praia dos Milionários Felipe Reis/Flickr/Creative Commons

Outrora o território favorito dos barões do cacau que lá construíram suas casas de veraneio – daí o nome – atualmente a praia é a mais frequentada de Ilhéus. Vários atributos para uma praia de sucesso estão presentes: faixa de areia generosa e ótima para caminhadas, um mar menos revoltoso que as orlas vizinhas, grande quantidade de barracas e restaurantes, algumas boas pousadas. Ou seja, um porto seguro para quem viaja com crianças. Mas para se dar bem por aqui, você terá que ter o coração tranquilo para uma trilha sonora movida a forró, axé e funk.

Distância do Centro: 8 km

6 – Praias do Norte

Antes destino de turistas interessados nos cenários imortalizados por Jorge Amado, hoje os principais atrativos de Ilhéus são as praias distantes do centro e os resorts em direção à vizinha Una
Antes destino de turistas interessados nos cenários imortalizados por Jorge Amado, hoje os principais atrativos de Ilhéus são as praias distantes do centro Guilherme Andrade

Se as praias ao sul são repletas de gente, o contrário ocorre do lado oposto. A estrada para Itacaré atravessa um longo trecho de praias quase desertas com vastos coqueirais e generosa faixa de areia. São 34 km de orla até a subida da Serra Grande – aliás, para tirar a melhor fotografia da região, não deixe de subir no mirante no alto da serra. As praias Mamoã e Pé da Serra, esta segunda na verdade fica na vizinha Uruçuca, são as mais movimentadas com estrutura de bares na areia.

Busque hospedagem em Ilhéus

Leia tudo sobre a Bahia

Continua após a publicidade

Publicidade