Achados Adriana Setti escolheu uma ilha no Mediterrâneo como porto seguro, simplificou sua vida para ficar mais “portátil” e está sempre pronta para passar vários meses viajando. Aqui, ela relata suas descobertas e roubadas

Rio de Janeiro: o guia hipster do Baixo Botafogo

Os melhores endereços do bairro mais moderninho da capital carioca

Por Adriana Setti Atualizado em 13 fev 2020, 18h24 - Publicado em 12 fev 2020, 12h33

Despretensioso e à sombra das grandes estrelas cariocas, como Leblon e Ipanema, Botafogo sempre foi conhecido como um bairro “de passagem”, com seu comércio basicão, escritórios e casarões antigos. Nos últimos anos, porém, o vizinho do Flamengo passou por uma metamorfose brusca, sendo “invadido” por bares e cafés pilotados por jovens empreendedores, que pipocaram em endereços antes impensáveis, revolucionando a dinâmica da região (alô, gentrificação!).

Concentrada nas proximidades do metrô – área que ficou conhecida como Baixo Botafogo – a maioria desses lugares segue as tendências de San Francisco e Nova York, muitas vezes com auto-atendimento, dispensando garçons e frescuras em geral. A seguir, a crème de la crème da hipsterland carioca, com curadoria do meu amigo Hudson Vianna, roteirista, diretor, hipster (alcunha que ele nega até a morte, como qualquer hipster que se preze) e co-autor deste post:

Onde beber e beliscar

COMUNA

É um dos precursores do movimento de hipsterização de Botafogo. Não tem garçons, investe pesado na programação cultural e faz a rua Sorocaba parecer um eterno bloco de carnaval. De quebra, renovou até a frequência do Alfa Bar, um pé sujo logo em frente que também virou point pela cerveja barata. Destaque pro hambúrguer com maionese caseira de wasabi.

Interior do Colab, desbravando um novo naco de Botafogo Colab/Reprodução

COLAB

Aberto por três amigos numa rua que não tinha nenhum movimento, deu vida a um canto meio patinho feio do bairro. Fazem a própria cerveja, o pão, o café, os drinks… De dia rola brunch e almoço e, à noite, lota a rua da frente. É outro que vem estimulando a abertura de mais bares vizinhos. Destaque para os currys, mate da casa com rum e o English breakfast.

VOID

É a versao bar-loja da antiga revista de surf gaúcha de mesmo nome, que se transformou na meca dos moderninhos e encabeçou a, claro, hipsterização do Largo da Batata, em São Paulo. Vende roupas, tênis, chaveiros, gadgets de maconha, comida vegana, entre outras hipsteridades. Estão presentes em Botafogo, Ipanema, Leblon, Flamengo e Jardim Oceânico (Barra da Tijuca). Um fenômeno!

Continua após a publicidade
Quartinho Bar, para tomar uns bons drinques Quartinho Bar/Reprodução

QUARTINHO BAR

Aberto recentemente por um dos mixologista que passou pela dupla Comuna e Colab. É um ótimo barzinho-conceito de drinks, com belisquetes bem feitos e – yupy! – preço bom. Destaque para o MDMAte (drink a base de mate), o empadão de camarão com manga e o bolinho de ragu de costela.

Fusca, na esquina mais animada de Botafogo Fusca/Reprodução

FUSKA BAR 2.0

O bar é apenas um dos pretextos para estar na esquina da rua capitão Salomão com a Visconde de Caravelas, que funciona como uma espécie de baixo Gávea de Botafogo, lotada nível carnaval. É o tal negócio: todo mundo fica na rua em clima de oba-oba, escolhendo em que bar entrar segundo o tamanho das filas do banheiro e da cerveja.

Onde comer

Agitinho em frente ao South Ferro South Ferro/Reprodução

SOUTH FERRO

Pertinho do Colab, é pilotado pelo chef nova-iorquino Sei Shiroma, que fez a fama por sua pizza de fermentação natural, servida em sua outra casa (Ferro e Farinha). Aqui a pegada é fusão oriental, com receitas que vão do ramen ao sushi.

  • CHOP CHOP

    É o restaurante oriental da galera do COLAB, ao lado da Comuna. E dá-lhe mais ramen, o queridinho hipster do oriente, além de um giro pela Ásia que vai do phad thai a gostosuras chinesas.

    THE SLOW BAKERY

    Não basta ser hipster, tem que fazer pão – ou atravessar a cidade e enfrentar fila por um que seja melhor que o seu. O sourdough é a estrela da casa. Além da fábrica de onde saem as fornadas, tem um café que obviamente serve brunch. Tudo e orgânico, artesanal, sazonal, do bem, etc. E é uma delícia!

    Procure acomodação no Rio de Janeiro

    Continua após a publicidade
    Publicidade