Que preguiça monstruosa do Halloween

Com tanta festa popular incrível que temos por aqui, por que importar esse mico dos gringos?

Moro há 20 anos fora do Brasil e garanto pra vocês que, até o ano 2000, não existia Halloween em terras tupiniquins. Talvez os mais jovens nem saibam, e os mais velhos os já não se lembrem, mas essa tradição foi clonada dos Estados Unidos, onde a festa celebra o dia dos mortos. No meu tempo, essa data servia pra chorar no túmulo da bisa.

Tenho uma preguiça MONSTRUOSA dessa nova moda. Nada contra incluir mais uma festa no animadíssimo calendário brasileiro. Acharia ótima ideia se trocássemos flores e livros no dia de São Jorge, como se faz aqui na Catalunha. Também adoraria encher as ruas de pozinhos coloridos, como no Holi da Índia, ou ver o céu se encher de lanternas voadoras imitando o Festival das Luzes da Tailândia. Mas se vestir de monstro e entupir as crianças de doce? Pra que isso, minha gente? Com as festas populares incríveis que temos no Brasil, pra que copiar esse mico dos gringos? Bora fazer o Boi de Parintins em São Paulo e Ciro de Nazaré em BH. Seria muito mais divertido.

Junto com as abóboras, nos últimos anos também importamos uma Black Friday, só que com tudo pela metade do dobro. Mas não é de hoje que clonamos tradições do hemisfério norte. Há várias décadas, nossos bons velhinhos quase morrem de desidratação com aquele traje de Papai Noel sob medida para o inverno… finlandês. Isso sem falar no drama de meter um tênder no forno com o calor de dezembro (fique atento, porque logo mais estaremos assando perus para Ação de Graças também!). Não sei se você já notou, mas nosso dia dos namorados só continua sendo 12 de junho porque em 14 de fevereiro, meu bem, pode cair bem no carnaval.

Veja também
Comentários

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.