Não só de Van Gogh vive Amsterdã: dois museus para descobrir  

Vá além do óbvio em Amsterdã e descubra novos museus!

A santíssima trindade dos museus de Amsterdã para quem visita a cidade pela primeira vez não tem erro: Rijksmuseum, Van Gogh Museum e Anne Frank Museum. Mas a cidade tem um arsenal poderosíssimo de instituições menos conhecidas para quem quiser ir além do beabá.

Stedelijk Museum

Os moradores de Amsterdã costumam dizer que a metrópole tem 800 mil prefeitos. Palpitar e discutir acaloradamente sobre as obras e outras questões da cidade é um must nas rodinhas de amigos. Apelidado de “banheira”, o edifício anexo do Stedelijk Museum na Museumplein, de arte moderna e contemporânea, desperta reações de amor e ódio – com a balança pendendo fortemente para o segundo. O crítico de arte do New York Times não mediu as palavras: “Não me lembro de ter visto um edifício mais ridículo do que o do novo Stedelijk Museum (tenho a sensação de que ele não viu o edifício do Edfício Forum, dos badaladésimos arquitetos suíços Herzog e De Meuron, aqui em Barcelona). Não sei se seria para tanto — acho até que a banheira tem seu charme. Mas a polêmica é um motivo a mais para que você conheça o lugar e tire suas próprias conclusões.

A banheira da discódia, que demorou muito mais do que o previsto para ficar pronta e estourou o orçamento (também acontece na Holanda, vejam só...)A banheira da discórdia, que demorou muito mais do que o previsto para ficar pronta e estourou o orçamento (também acontece na Holanda, vejam só…)

Matisse na banheiraMatisse na banheira

Museum Van Loon

Sou uma grande fã de pequenos museus, daqueles para saborear com calma, sem o peso e a obrigação de digerir milênios de história da arte em poucas horas. Também adoro casas-museus, capazes de nos transportar ao estilo de vida de determinada época. O Museum Van Loon é uma combinação perfeita desses dois quesitos. A casa pertenceu a Willen Van Loon (1537-1618), empresário de sucesso e co-fundador da Companhia Holandesa das Índias Orientais, criada para administrar o comércio com o oriente.

O casarão é um exemplo vivo da riqueza e da opulência que a cidade viveu na chamada Golden Age (a Idade de Ouro), recheado de tapetes persas, obras de arte, porcelanas chinesas, lustres de cristal e outra peças magníficas e cheias de história. A família Van Loon não apenas ainda é dona do museu como vive no andar de cima! A creme de la creme foi ter tido a oportunidade de jantar in loco, numa mesa ornamentada ao estilo da Golden Age, com louças e talheres originais. Foi um evento especial, mas a experiência está ao alcance de qualquer um que contrate um tour privado ou uma refeição no museu (ideia incrível para quem está comemorando de lua de mel cidade).

Um dos salões ricamente decorados do museu Van LoonUm dos salões ricamente decorados do museu Van Loon

Os jardins do museu

Os jardins do museu

Siga @drisetti no Instagram e no Twitter

Busque hospedagem em Amsterdã

Comentários

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.