Achados Adriana Setti escolheu uma ilha no Mediterrâneo como porto seguro, simplificou sua vida para ficar mais “portátil” e está sempre pronta para passar vários meses viajando. Aqui, ela relata suas descobertas e roubadas

Mochilão na Europa: comprar entradas das principais atrações pela internet é questão de sobrevivência

Por Adriana Setti Atualizado em 27 fev 2017, 15h47 - Publicado em 26 Maio 2012, 12h06

Fila na Sagrada Família (em foto reproduzida do blog JR Viajando): programar as férias certamente não é pior do que passar por isso

 

Continua após a publicidade

 

Continua após a publicidade

Eram bons aqueles tempos em que improvisar era possível. Mas assim como a fórmula Eurailpass + albergue não funciona mais para o mochilão (clique aqui para ler o post sobre o assunto), deixar para decidir na hora se entra, ou não, nas principais atrações da Europa é mico na certa.

 

Continua após a publicidade

Eu também detesto programar tudo com antecedência. Férias e relógio não combinam. Acho um saco ter dia e horário certo para me divertir. Mas não há dúvidas de que enfrentar filas  é muito pior (você há de concordar).

 

Continua após a publicidade

Os amigos que têm vindo me visitar tomam um choque quando chegam ao Museu Picasso, às casas do Gaudí (Batlló e La Pedrera) e à Sagrada Família. Minha queridíssima prima Andrea, que está aqui nesse momento, me contou que havia uma fila gigantesca para até entrar na loja de suvenires da Sagrada Família. Na loja, gente!

 

Continua após a publicidade

Em cidades como Firenze e Veneza é ainda pior. O sujeito tem que madrugar pra chegar no museu antes das portas abrirem para conseguir entrar, algumas horas depois. Tem coisa mais anti-férias do que isso?

 

Continua após a publicidade

Se você está a caminho da Europa, principalmente agora que a alta temporada já começou (sim, o caos não se restringe mais ao verão), faça um favor a você mesmo. Tire um dia para fazer lição de casa. Faça uma listinha dos lerês turísticos que você não quer perder de jeito nenhum, entre nos respectivos sites e cheque se é possível comprar entrada com antecedência (assim você pelo menos escapa da fila da bilheteria) ou, melhor ainda, agendar visita com hora marcada (na Sagrada Família e no Vaticano isso não só é possível como é questão de sobrevivência). Não precisa engessar totalmente a sua viagem com uma agenda de executivo paulistano. Basta garantir alguns blockbusters de antemão. É chato, eu sei, mas é para o seu bem.

 

Continua após a publicidade

Siga @drisetti no Twitter

Continua após a publicidade

Publicidade