Achados Adriana Setti escolheu uma ilha no Mediterrâneo como porto seguro, simplificou sua vida para ficar mais “portátil” e está sempre pronta para passar vários meses viajando. Aqui, ela relata suas descobertas e roubadas

Comilanças no País Basco, parte 1: La Cuchara de San Telmo, em San Sebastián

Por Adriana Setti Atualizado em 27 fev 2017, 15h50 - Publicado em 1 set 2011, 13h11

Me achando a bala que matou o Kennedy, sentada na mesa impossível

Eu amo o País Basco. E meu amor é correspondido. Em uma terra onde chove a níveis irlandeses, eu jamais havia visto o céu tingido de cinza. Dessa vez, a previsão era a pior possível. E não é que San Sebastián me recebeu novamente com o melhor de seu azul?

E já que foi assim… Eu não sabia que era impossível, então fui lá e fiz: consegui uma mesa no bar mais lendário do centro antigo, La Cuchara de San Telmo. Celebridade entre os famosos bares de pintxos da cidade mais gourmet da Espanha (as tapas em estilo basco: alta gastronomia em miniatura), “La Cuchara” é um terreno onde mimar o seu paladar depende da habilidade de seus cotovelos. Com apenas quatro mesas no tranquilo lado de fora (eles não fazem reservas e nem organizam a “fila”), resta à multidão de famintos degladiar-se no afã de provar as suas pequenas doses de felicidade, servidas em pratinhos comedidos.

Leia também:
Comilanças no País Basco, parte 2: os peixes na brasa de Getaria
Achados no País Basco: a questão do terrorismo e do separatismo na sua viagem

Instalada como um nababo em uma de suas mesas, e na companhia de amigos escolhidos a dedo, não me restava opção a não ser provar todas as receitas que meu estômago comportasse.

Continua após a publicidade

Então chegaram eles: foie gras com compota de maçã, carrillera (sim, o rostinho da mimosa) de vaca ao vinho tinto, cochinillo (leitão) assado, risoto cremoso…

O frisson tem razão de ser.

Eskerrik asko por mais essa, San Sebastián!

Siga @drisetti no Twitter

Veja mais País Basco aqui no blog

Continua após a publicidade

Publicidade