Achados Adriana Setti escolheu uma ilha no Mediterrâneo como porto seguro, simplificou sua vida para ficar mais “portátil” e está sempre pronta para passar vários meses viajando. Aqui, ela relata suas descobertas e roubadas

A novidade do ano em Barcelona: inaugurado o Arenas, shopping high-tech na antiga Plaza de Toros

Por Adriana Setti Atualizado em 27 fev 2017, 15h52 - Publicado em 4 abr 2011, 10h11

Vista aérea do Arenas de Barcelona e sua cúpula: um dos projetos arquitetônicos mais impressionantes dos últimos tempos (imagem reproduzida do site oficial de Richard Rogers)

Parecia que esse dia não chegaria. Os guindastes e tapumes na Plaça de Espanya já faziam parte da paisagem. Ao longo de oito intermináveis anos de obra, aconteceu de tudo: crise econômica, mudança de proprietários, embargos, polêmicas. Mas, enfim: o shopping Arenas de Barcelona, uma das obras arquitetônicas mais impressionantes dos últimos tempos, cujo projeto leva a assinatura do inglês Richard Rogers (prêmio Pritzker de arquitetura em 2007, que tem no currículo obras como o Centre Pompidou em Paris), acaba de inaugurar em Barcelona.

O que o Arenas tem de tão especial? O centro comercial ocupa o edifício onde funcionou a primeira plaza de toros de Barcelona. Suas arenas receberam touros e toureiros até 1 977, quando as corridas migraram para a Monumental, maior e mais moderna. Desde então, a belíssima construção em estilo neomudéjar ficou fechada.

A ambientação num lugar histórico como este já seria algo especial. No entanto, o grande apelo do Arenas é o seu faraônico projeto arquitetônico – uma daquelas façanhas que fazem você dar-se conta de como a humanidade é extraordinária. Toda a monumental fachada foi mantida e, numa obra de engenharia de ousadíssima, levantada do chão e apoiada sobre uma estrutura de metal e concreto: o colossal centro comercial de 100 mil metros quadrados, hoje em dia, “flutua” sobre a Plaça de Espanya. E como se não bastasse, dr. Rogers cobriu o edifício com uma cúpula em forma de disco voador que, por sua vez, também parece “pairar” sobre o conjunto.

Não é de estranhar, portanto, que o custo da brincadeira tenha roçado os 200 milhões de euros.

De lambuja, a cidade ganhou uma grande praça gramada, um refúgio gostoso ao lado da Plaça de Espanya que já está sendo muito bem aproveitado. Na última sexta-feira na hora do almoço, havia várias pessoas fazendo piquenique, descansando, tomando sol…

Vista do Las Arenas da nova praça

O mirante high-tech acoplado a um elevador panorâmico (que ainda não está funcionando)

Reparem na estrutura da plaza de toros apoiada sobre a coluna de metal vermelho: isto é incrível

Uma das entradas, por uma porta da linda estrutura original

O edifício anexo com escritórios e, no térreo, uma filial da rede Tapa Tapa (que, por enquanto, é uma das melhores pedidas para comer)

O interior high-tech: algumas lojas são bacanérrimas, como a da Desigual (no andar de cima)

Um das entradas vista de dentro: a estrutura metálica, colorida, fica exposta

Continua após a publicidade

Eu sempre me perguntava: numa cidade que não curte touradas (elas foram proibidas no ano passado) e nem shoppings (o povo aqui prefere as lojas de rua), será que esse negocio vai pegar com os catalães, ou será exclusivamente uma atração turística?

Já pegou. Estive lá este fim de semana e fiquei boba de ver tanta gente daqui visitando – e amando – o lugar. Eram, disparado, a maioria. “Ostia, que maço!” (algo como “Nossa, que bacana!), foi literalmente a primeira frase que ouvi ao meu redor no momento em que cruzei uma das portas do Arenas.

E o que rola por lá? Lojas, restaurantes, vários cinema (todos com filmes dublados em espanhol – argh – como é praxe por aqui), uma superacademia, um supermercado, um museu do rock (??) e um espaço para eventos espetacular sob a cúpula. A seleção de lojas podia ser melhor, é verdade. Mas entre elas se destacam: Desigual, L’Occitane, Mango, Nespresso e FNAC. Há uma pequena praça de alimentação no subsolo (que também poderia ser bem melhor), crème de la crème, restaurantes que ocupam o andar superior, com uma vista 360 graus de Barcelona. Por enquanto há apenas um funcionando, mas o lugar promete.

Não vejo a hora de passar lá durante a noite, para curtir o visu da cidade iluminada e as fontes colidas da praça em ação.

No mais, as imagens dizem tudo.

A praça de alimentação poderia ser bem melhor, mas é moderinha e tem um ou outro restaurante que se salva, como o Udon

Todos os andares dão para um átrio que vai do subsolo até a cúpula

Vista para a Plaça de Espanya

Piso superior, ao ar livre, com vista 360 graus de Barcelona, onde haverá vários restaurantes (por enquanto, só um está aberto)

Dá pra ver até a Segrada Família, lá longe

No piso superior, há alguma “varandas”: como se você estivesse voando

Vista do mirando anexo para o edifício: sob a cúpula (não dá pra ver direito na sombra) há uma pista de cooper que pertence à academia (incrível, mas ainda não está funcionando)

O espaço para eventos sob a cúpula, ainda não inaugurado

Siga @drisetti no Twitter

Continua após a publicidade

Publicidade