Templo de Diana

Apesar do nome, esse símbolo da presença romana em solo português não fazia alusão à deusa da caça quando foi erguido, no século 1. Vários historiadores defendem que seria uma homenagem a Esculápio; outros, ao imperador Augusto. O fato é que as ruínas do outrora majestoso templo são hoje Patrimônio Mundial pela Unesco e carregam em seu DNA (várias vezes modificado por invasores) fatos marcantes da história de Portugal. Erigida em mármore e granito, a construção é rodeada por colunas coríntias colocadas sobre um pódio que se encontra praticamente completo, para deleite de turistas e historiadores.

Publicidade