Igreja e Convento de São Francisco

Do lado de fora, o amplo largo com um cruzeiro convida a conhecer o templo, erguido com recursos do governo português e doações de fiéis. A fachada tem duas torres relativamente simples e um frontão mais elaborado. Na capela e no claustro, pinturas em quase 55 mil azulejos mostram a vida de São Francisco.

Por que é 5 estrelas? A quantidade de ouro, a riqueza de detalhes e o tamanho fazem com que este seja considerado o principal representante do barroco da Bahia.

Preste atenção: Repare nos 37 painéis de azulejos do claustro que retratam cenas pagãs e trazem epígrafes do poeta romano Horácio. No interior, repare nos altares, com entalhes dourados de influências barroca e rococó.

A melhor foto: Só são permitidas fotos sem flash. A partir do altar-mor você tem o melhor ângulo para retratar a quantidade de ouro usada na construção.

Tempo de visita: No mínimo 30 minutos, para captar a exuberância do lugar. Para os mais interessados em arte e história, a visita pode render um dia inteiro.

Quando ir: Evite os horários de missa (3ª, às 7h, 8h, 16h e 18h, sábado, às 7h30, domingo, às 8h), quando a entrada é grátis, mas é proibido circular pela capela e visitar o claustro.

Serviço: Largo do Cruzeiro de São Francisco (Pelourinho), 3322-6430; 2ª, das 9h às 17h30, 3ª, das 9h às 16h, 4ª a sábado, das 9h às 17h30, domingo, das 10h às 15h. R$ 5,00. A visita pode ser feita sem monitoria: os guias não costumam alcançar a complexidade artística da igreja, e nem sempre têm informações seguras.

Publicidade