Halloween: Veja 5 destinos sinistros pelo mundo

Cemitério de bruxas, bonecas penduradas em árvores, casas vampirescas e outras atrações de dar arrepios

Por Gustavo Kolonko Atualizado em 29 out 2021, 10h52 - Publicado em 31 out 2020, 08h14

Não há nada melhor do que uma boa história de terror no Halloween. Ao contrário do que muitos pensam, a celebração não foi criada nos Estados Unidos, mas sim na Irlanda, como parte de um festival celta que se popularizou no século 18. De 300 anos para cá, muitas foram as adaptações que a festa sofreu, e hoje é um verdadeiro fenômeno cultural mundial. Abaixo selecionamos alguns destinos assustadores onde é Halloween todo dia, não só em 31 de outubro:

Salem, Massachusetts, Estados Unidos

Salem, Massachusetts - Fundada em meados de 1600, a cidade é famosa pelas perseguições das supostas bruxas de Salem, que foram enforcadas na cidade. Hoje, a fama e turismo na cidade gira em torno deste evento, e muitos locais onde as bruxas foram julgadas ainda existem, em especial a Casa Jonathan Corwin, onde morava o juiz que condenou as mulheres, que hoje abriga um museu. Além disso, o Cemitério Old Burying Point é dado como assombrado pela população.
Salem Witch Museum. Crédito: Salem Witch Museum/Reprodução

Fundada em meados de 1600, a cidade é famosa pelas perseguições de suas supostas bruxas, que foram enforcadas na cidade. Hoje, a fama e o turismo na cidade giram em torno deste evento, e muitos locais onde as bruxas foram julgadas ainda existem. A Casa Jonathan Corwin, onde morava o juiz que condenou as mulheres, abriga um museu. Além disso, o Cemitério Old Burying Poit é dado como assombrado pela população.

Floresta Aokigahara, Yamanashi, Japão

Floresta Aokigahara, Yamanashi - A cerca de 100 km de Tóquio, localizada na base noroeste do monte Fuji, por lá existe a lenda de que uma grande quantidade de ferro existe sob o solo, que faz as bússolas de viajantes parem de funcionar corretamente, fazendo com que o turista fique perdido. A verdade é bem mais triste que isso, já que o local é, na verdade, muito procurado por pessoas que querem tirar suas vidas, com cerca de 100 suicídios relatados ao ano no local.
Floresta Aokigahara. Crédito: Jake Weirick/Unsplash/Reprodução

A cerca de 100 km de Tóquio, na base noroeste do monte Fuji, existe a lenda de que uma grande quantidade de ferro no subsolo faz as bússolas de viajantes pararem de funcionar corretamente, fazendo com que o turista fique perdido. A verdade é bem mais triste que isso, já que o local é, na verdade, muito procurado por pessoas que querem tirar suas vidas, com cerca de 100 suicídios relatados ao ano.

Ilha das Bonecas, Xochimilco, México

Ilha das Bonecas
Ilha das Bonecas, Xochimilco. Crédito: Andrea Di Castro/Flickr
Continua após a publicidade

Além da fama pela culinária, praias e sítios arqueológicos que preservam a cultura Asteca, o México ainda abriga uma das paradas mais macabras do mundo. Escondidas em meio às árvores e um lago na região de Xochimilco, na Cidade do México, estão centenas de bonecas penduradas em galhos e espalhadas pelo chão. Mesmo com uma cara de cenário de filme, o local era lar de um homem que, após encontrar o corpo de uma garota morta sob o lago, decidiu pendurar as bonecas a fim de espantar os possíveis maus espíritos do local.

St. Kilda, Escócia

St. Kilda, Escócia - Um pouco distante da costa escocesa, o arquipélago fica no limite das Ilhas Britânicas, mas ainda atrai visitantes que querem explorar um destino remoto. Abandonada a mais de 100 anos, historiadores afirmam que o local começou a ser habitado há mais de 7 mil anos, depois foi lar da civilização viking nos séculos 9 e 10, e mais tarde de monges cristãos, que viveram ali por volta do século 17. Com ruínas de casas de pedra, hoje a única vida no local são de diferentes espécies de aves.
St. Kilda, Escócia. Crédito: Jim Richardson/Flickr

Um pouco distante da costa escocesa, o arquipélago fica no limite das Ilhas Britânicas, mas atrai visitantes que querem explorar um destino remoto. Historiadores afirmam que o local começou a ser habitado há mais de 7 mil anos, depois foi lar da civilização viking nos séculos 9 e 10, e mais tarde de monges cristãos, que viveram ali por volta do século 17. Abandonada há mais de 100 anos, tem ruínas de casas de pedra, e, hoje, a única vida no local são diferentes espécies de aves.

Sighisoara, Romênia

Sighisoara, Romênia - A cidade medieval foi local de nascimento de Vlad, o Empalador, príncipe que deu origem à lenda do Conde Drácula (seu castelo, no entanto, não fica na cidade). Sombria, ali encontra-se colinas repletas de casarões, ruas de pedras e igrejas góticas, uma delas, com um cemitério macabro, está no alto da cidade. A Casa Vlad-Dracul foi onde Vlad nasceu em 1431, e hoje é um restaurante e museu decorado de maneira vampiresca.
Sighisoara, Romênia. Crédito: Alisa Anton/Unsplash/Reprodução

A cidade medieval foi local de nascimento de Vlad, o Empalador, príncipe que deu origem à lenda do Conde Drácula (seu castelo, no entanto, não fica na cidade). Sombria, tem colinas repletas de casarões, ruas de pedras e igrejas góticas, uma delas, com um cemitério macabro, está no alto da cidade. A Casa Vlad-Dracul foi onde Vlad nasceu em 1431, e hoje é um restaurante e museu decorado de maneira vampiresca.

Continua após a publicidade

Publicidade