Espanha se abre para turistas vacinados, exceto brasileiros

Governo espanhol manteve as restrições em razão da situação epidemiológica do Brasil; França também mantém brasileiros fora da reabertura

Por Bruno Chaise Atualizado em 8 jun 2021, 22h37 - Publicado em 7 jun 2021, 18h08

A partir desta segunda-feira (7), a Espanha anunciou que permitirá a entrada de viajantes que tenham sido totalmente vacinados, com no mínimo 14 dias de antecedência, com uma das vacinas aprovadas pela Agência Europeia de Medicamentos (AME) ou pela Organização Mundial da Saúde (OMS). As fronteiras estarão abertas para viajantes vindos de praticamente todos os países do mundo, exceto Brasil, África do Sul e Índia.

O anúncio foi um balde de água fria na esperança que circulou na semana passada. Quando a União Europeia anunciou a abertura de fronteiras para turistas estrangeiros em 24 de maio, a Espanha foi a única a dizer que aceitaria vacinas aprovadas tanto pela EMA quanto pela OMS. O comunicado espanhol despertou um fio de esperança para o Brasil, uma vez que a OMS incluiu a CoronaVac no rol de vacinas aprovadas para uso emergencial.

Em comunicado oficial, o governo espanhol afirmou que as restrições de entrada para pessoas provenientes do Brasil continuam vigentes até pelo menos 22 de junho devido à situação epidemiológica. A exceção será para espanhóis, andorranos, residentes legais ou passageiros que se destinem a um país fora do espaço Schengen e com escala inferior a 24 horas, devendo permanecer na zona de trânsito do aeroporto.

Além das novas medidas para entrada de turistas, a Espanha também planeja exigir um passaporte de vacinação a partir de 1º de julho, com esperança de salvar a temporada de verão. O país registrou mais de 78 mil mortes em meio a 3,6 milhões de casos de Covid-19. Até o início da  pandemia, a Espanha era o segundo país mais visitado do mundo. Com a paralisação, o turismo estrangeiro despencou quase 80%, deixando cidades como Barcelona às moscas. Hoje, 40% da população está vacinada com pelo menos uma dose e 20% completamente imunizada.

França prepara reabertura, mas brasileiros também ficam de fora 

A França se prepara para aliviar as restrições para a entrada de turistas a partir do dia 9 de junho. Brasileiros também estão impedidos de entrar, mas ao contrário da lista tríplice espanhola, a lista francesa é mais extensa, com 17 países, incluindo boa parte dos sul-americanos, como Argentina, Chile e Uruguai. “Os cidadãos provenientes dessa lista não podem ingressar na França a menos que sejam residentes permanentes ou que mostrem um motivo imperioso. Esses cidadãos, sim, têm que fazer a quarentena de 10 dias, fazer um teste PCR menos de 36h antes da partida e um outro na chegada (no aeroporto). Após 7 dias, um último teste”, anunciou o Escritório de Turismo da França no Brasil. O presidente francês Emmanuel Macron espera revogar todas as medidas restritivas até o dia 30 de junho, caso os relatórios de saúde pública continuem melhorando.

  • Continua após a publicidade
    Publicidade