Turista desliga auto-falantes de templo budista e é preso em Mianmar

Por Pedro Henrique Tavares 30 set 2016, 20h32

A paciência dos budistas não é pra qualquer um. Pelo menos não para um holandês que resolveu arrumar uma confusão em Mianmar. Após ser acusado de desligar o som de um sermão budista na cidade de Mandalay, ele foi preso por “insultar a religião”.

De acordo com a polícia, Klass Haytema, de 30 anos, desconectou um dos cabos dos alto-falantes de um templo religioso, que emitia as preces budistas à noite, porque estaria sendo perturbado. Ele estava num hotel a poucos metros da reunião dos monges, mas desde a última sexta (23) Haytema dorme em uma cela. Se for indiciado pelo crime, o holandês poderá ser condenado a até dois meses de prisão, segundo o código penal do país.

+ Após 4 dias sem conseguir carona, mochileiro fica furioso e toca o terror na Nova Zelândia
+ Bêbado, escocês compra passagem para o Brasil e (quase) se arrepende
+ Irlandês faz confusão com pau de selfie e filma a si mesmo durante toda a viagem

Ele não é o primeiro estrangeiro que se complica por questões religiosas do país. Em julho, um turista espanhol foi deportado depois que monges reclamaram de um buda tatuado em sua perna. Já no ano passado, um neozelandês que administrava um bar na região também foi detido depois de utilizar a imagem de buda, mas para promover uma noite de drinks baratos.

+ Veja fotos de Mianmar

A questão religiosa é um dos principais problemas sociais de Mianmar. Com uma maioria budista, a crença tem sido usada para questões nacionalistas e como instrumento de opressão de uma minoria muçulmana, que representa 5% da população.

Continua após a publicidade
Publicidade