Sem pimenta, por favor – o essencial

Tailândia: como chegar, quem leva, documentos, quando ir, dinheiro e transporte

Por Adriana Setti Atualizado em 16 dez 2016, 09h17 - Publicado em 8 set 2011, 11h26

COMO CHEGAR

A tarifa mais barata para Bangcoc é com a Air France (4003-9955, airfrance.com), desde US$ 1 889. O voo tem duração de 30h, sendo oito de conexão em Paris. Via Amsterdã, as passagens na KLM (4003-1888, klm.com) custam desde US$ 2 204. Via Dubai, elas saem desde US$ 2 294 com a Emirates (11/5503-5000, emirates.com/br).

QUEM LEVA

A Princess Travel (11/3388-5288, princessoperadora.com.br) tem pacote de 11 noites, divididas entre Bangcoc, Pitsanuloke, Lampang, Chiang Rai, Chiang Mai e Mae Hong Son, com café da manhã diário e sete almoços e jantares, desde US$ 4 465. Para quem tem menos tempo e quer mais conforto, a Raidho (11/3383-1200, raidho.com.br) tem roteirode seis noites dividas entre hotéis de primeira categoria em Bangcoc com café da manhã e em Mae Hong Son, Chiang Rai e Chian Mai com pensão completa, desde US$ 3 639. Passando apenas pela capital e pelas ilhas do sul – Puket, Pha-Ngan e Phi Phi -, o pacote de oito noites da Bon Voyage (11/3258-6522, bonvoyagetur.com.br) inclui dois almoços e visita ao Mercado Flutuante e ao Rose Garden, desde US$ 4 236. Consulte também seu agente de viagens.

DOCUMENTOS

Brasileiros não precisam de visto para estadias de até três meses. Ao chegar ao país, basta apresentar o passaporte com validade mínima de seis meses e o certificado internacional de vacinação contra febre amarela. A vacina (que vale por dez anos) e o certificado podem ser obtidos nas agências da Anvisa (0800-611997, anvisa.gov.br).

QUANDO IR

Chove muito na Tailândia de junhoa outubro. Quem vai para as praias pode até arriscar (ainda que não seja o ideal), mas Bangcoc se transforma em uma verdadeira Veneza, principalmente durante o mês de setembro. O resto do ano é dividido entre os meses mais frescos – novembro a fevereiro – e mais quentes – março a maio. A primeira opção é, sem dúvida, a melhor. Na costa, o calor atinge fácil os 30 graus durante o dia. Mas à noite sopra uma brisa fresquinha que permite dormir apenas com um ventilador. Nesta época, a temperatura em Bangcoc, onde a máxima média jamais baixa de 31 graus, também fica um pouco mais tolerável. Para quem vai à região de Chiang Mai, porém, a melhor pedida é ir logo após a temporada de chuvas, quando os arrozais ainda estão alagados e verdes.

Continua após a publicidade

DINHEIRO

A moeda oficial é o baht (US$ 1 = 33 bahts, em janeiro de 2010). Em geral, os bancos têm as melhores cotações e os hotéis (principalmente nas ilhas ou em outros lugares turísticos), as piores. Cartões de crédito são aceitos em muito hotéis e alguns restaurantes, principalmente em Bangcoc e Chiang Mai. Mas é bom ter dinheiro em espécie sempre à mão, principalmente quem pretende se hospedar em guest houses e comer na rua.

TRANSPORTE

Ônibus e vans são os meios de transporte tailandeses por excelência. E uma caótica rede operada por incontáveis empresas faz com que seja possível traçar qualquer roteiro sem grandes problemas. Tíquetes combinados incluem as passagens de barco e ferry. A qualidade do veículo pode variar de um ônibus de luxo com “rodomoça” a uma van caindo aos pedaços. Perguntar detalhes antes de comprar o tíquete ajuda mas não garante que a sua viagem não terá nenhuma “emoção”. Há algumas linhas férreas que cruzam o país, todas elas passando por Bangcoc. No entanto, os trens são bem mais lentos que os ônibus. Mas, antes de enfrentar uma viagem longa por terra, confira as tarifas das companhias aéreas de baixo custo que pipocaram nos últimos anos, como a ótima Air Asia (66-2/515-9999, airasia.com) e a Nok Air (66-2/627-2000, nokair.com). A Thai Airways (2/356-1111, thaiair.com), maior companhia aérea do país, vende um passe que permite voar entre três cidades por US$ 199.

Leia mais:

Sem pimenta, por favor

Sem pimenta, por favor – Onde é melhor

Continua após a publicidade

Publicidade