Roteiro: 48 horas em Nova York para iniciantes

Um roteiro de dois dias, perfeito para os que desembarcam na Big Apple pela primeira vez

Por Luna Kalil, de Nova York Atualizado em 7 jul 2021, 17h32 - Publicado em 10 fev 2012, 17h51

Atualizado em fevereiro de 2019

A primeira visita a Nova York não pode ignorar clássicos como a Times Square, a Ponte do Brooklyn, o Empire State Building, o MoMA, uma peça da Broadway, o Central Park, mas também pode incluir o melhor hambúrguer da cidade, passeios despretensiosos por Chelsea, Williamsburg e Dumbo, no Brooklyn, e uma refeição em um dos muitos restaurantes moderninhos de Hell’s Kitchen. Esses últimos da lista são lugares que certamente só os “turistas antenados” vão conhecer.

Para que a sua estadia na Big Apple dos clichês tenha um tempero especial, siga este roteiro de 48 horas em Nova York. Ainda vai ficar faltando muita coisa para conhecer em Manhattan, no Brooklyn e no Queens, os principais “boroughs” (regiões) da cidade, mas boas lembranças e um gostinho de quero mais voltarão com você ao Brasil. Da próxima vez, você poderá optar pelo roteiro dos experts na cidade, pois já terá experimentado os tradicionais programas nova-iorquinos.

Dia 1

Se o dia estiver bonito, comece pelo Empire State Building. Há dois observatórios, um no 86° andar e outro no 102° andar (os tickets podem ser comprados separadamente para cada um dos mirantes, ou combinados). Alguns turistas preferem a vista do Top of the Rock, no Rockefeller Center, porque de lá se pode ver, inclusive, o Empire State Building, além do imperdível Central Park. São cerca de 20 quadras de diferença e alguns dólares. Você escolhe.

Empire State Building, Nova York
No Empire State Building (o prédio mais alto, ao fundo da foto), é possível ter visões panorâmicas de Nova York a partir dos andares 86 e 102 Reprodução/Reprodução

A Times Square pode ser a sua próxima parada. E a melhor coisa que o turista pode fazer é visitá-la logo que chegar na cidade. As milhares de luzes, cartazes, painéis e, principalmente, as multidões de pessoas que vão e vem nas ruas que cruzam a 42nd Street, a 7ª avenida e a Broadway podem te deixar um pouco tonto. Essa sensação de muita informação, muita luz e muita gente é comum entre os visitantes. Mas passa, não se preocupe.

M&M's World New York - Nova York
A movimentadíssima Times Square pode te deixar um pouco tonto no início, mas logo acostuma-se com todo aquele frenesi; na foto, a loja de confeitos de chocolate M&Ms World New York Reprodução/Reprodução

Não deixe de assistir a um musical. Se o seu inglês não estiver tão afiado, opte por uma peça mais dançante do que teatral. Também vale tentar alguma cuja história já é conhecida internacionalmente. Peças mais sérias ou com muitos diálogos exigem um nível avançado de conhecimento da língua.

O início da tarde é o melhor horário para conseguir descontos nos teatros, mesmo aos finais de semana, quando a demanda é maior. Veja primeiro as ofertas do TKTS, rede de venda de tickets com até 50% de desconto, localizado na Duffy Square, na Broadway com a 47th Street, e, se ainda não estiver satisfeito com o valor do ingresso, tente ir direto ao local do show que você escolheu. É possível conseguir os chamados “rush tickets”, de última hora, direto nas bilheterias dos teatros por preços que chegam a menos da metade da tarifa cheia, com pagamento somente em dinheiro.

Nova York, Estados Unidos
Quer assistir a um espetáculo na Broadway? No TKTS, é possível conseguir tíquetes para os musicais por até 50% do preço original Reprodução/Reprodução

Depois de correr atrás dos ingressos na Broadway, você vai ficar com fome. Aproveite para provar um dos hambúrgueres mais consagrados da cidade (e olha que a concorrência é grande!). O Burguer Joint fica “escondido” dentro do Hotel Le Parker Meridien, no número 119 da 56th Street e tem uma trilha sonora excelente. Na lanchonete, peça o clássico cheeseburguer, com uma porção de batata frita e seja feliz. Se a fila estiver muito grande, tente o Shake Shack, concorrente das paradas de melhor hambúrguer de Nova York e localizado no Madison Square Park.

Burguer Joint, NY
Depois de tanto bater perna no primeiro dia, nada melhor do que experimentar um legítimo hambúrguer novaiorquino; o da foto é nossa sugestão, do Burguer Joint Burguer Joint/Reprodução

Suba a 5ª Avenida e, enquanto caminha, aproveite para observar o point das lojas de grife de Nova York. Sim, estão todas lá: Salvatore Ferragamo, Fendi, Prada, com lojas que ostentam charme e luxo, e outras mais acessíveis como Zara, H&M e Gap. A loja de três andares da Uniqlo vale uma visita. E fique de olho: marcas famosas estão sempre abrindo novas lojas nesse pedaço mais famoso da 5ª Avenida.

5ª avenida, Nova York
A 5ª Avenida partilha seus metros quadrados milionários entre mansões, lojas de grifes e símbolos da cidade, como a loja da Apple (à direita, na foto), logo do outro lado da entrada do Central Park Reprodução/Reprodução

Caminhar sem rumo pelo Central Park pode ser uma boa pedida para fazer a digestão. São só algumas quadras até o início do parque (menos de 5 minutos a pé), na 59th Street. Bem pertinho da entrada ficam a Apple Store e a a famosa loja de brinquedos FAO Schwarz. Mesmo no inverno, quando as temperaturas chegam a três graus negativos, é possível dar uma voltinha no Central Park (proteja as orelhas!). Como é muito grande, eleja alguns pontos que quer conhecer. No site oficial há um mapa interativo onde é possível navegar e escolher os lugares que quer visitar. Conhecido como Strawberry Fields, entre a 71st Street e a 74th Street, o tributo ao Beatle John Lennon é um dos destaques.

Central Park, em Nova York
Estima-se que 25 milhões de pessoas passam pelo Central Park todos os anos; se você cansou-se do consumo e dos estímulos visuais e sonoros, pode se refugiar entre a calmaria e o verde do lugar e ser um destes 25 mi Mark Wyman/Creative Commons/Flickr
Continua após a publicidade

Você já voltou ao hotel, tomou um banho e rumou para o espetáculo da Broadway. Foi divertido, mas agora a fome apertou. Bora jantar? Na 9ª Avenida, num pedaço conhecido como Hell’s Kitchen, há diversas opções de cozinhas, da tailandesa à turca, da americana tradicional à japonesa. Os preços são convidativos, e o local é animado à noite.

Dia 2

Cruzar a Ponte do Brooklyn a pé, a partir de Manhattan, é um pouco cansativo, mas a vista e a experiência compensam a caminhada. Quando chegar do outro lado, procure o Brooklyn Bridge Park, na região conhecida como Dumbo – você estará bem próximo dali – e aprecie o skyline. A Brooklyn Ice Cream Factory, sorveteria que serve somente sabores tradicionais como baunilha, chocolate, morango e café, tem um dos melhores sorvetes da cidade.

Nova York, Estados Unidos
Turistas cruzam a Ponte do Brooklyn a pé no fim de semana; o segundo dia da sua viagem pode começar por aqui Reprodução/Reprodução
Brookling Bridge Park, em Nova York, Estados Unidos, região conhecida como Dumbo
Depois de caminhar pela ponte do Brookling, nada melhor do que relaxar na grama do Brookling Bridge Park, na região conhecida como Dumbo Reprodução/Reprodução

Já que você está no Brooklyn, tome um táxi até a Avenida Bedford. A região, que chama Williamsburg, é a Vila Madalena do Brooklyn. Bares descolados, lojas de design, pessoas moderninhas e bazares de roupa estão espalhados pelos quarteirões desse pedaço. Sem falar na especialíssima Brooklyn Brewery, uma cervejaria nada convencional que serve mais de cinco tipos de cerveja, mas não tem comida. Você pode levar os seus “snacks” ou encomendar um delivery de algum restaurante próximo.

No final do dia, volte para Manhattan e não deixe de passar no MoMA. Sabe aqueles quadros que você viu em livros de arte e história na escola? A maioria está aqui. O museu abriga mais de 150 mil trabalhos, entre pinturas, esculturas e fotografias. Começe pelo 4° andar, principalmente se tiver pouco tempo, e dê um pulo na lojinha, que é o máximo!

A Noite Estrelada, de Vicent van Gogh, no MoMA em Nova York
Dos livros didáticos à vida real: no MoMA, em Nova York, é possível ficar de frente a frente a telas como a famosíssima A Noite Estrelada, do holandês Vincent van Gogh Reprodução/Reprodução

Se preferir fazer compras à noite, vá direto até a 34th Street, onde está a Macy’s. Nessa rua, você também encontra Sephora, Gap, H&M e Victoria’s Secret. Quer coisas mais baratas? A Century 21 é um clássico dos brasileiros. A maior e mais antiga fica próxima do 9/11 Memorial, um espaço criado para relembrar a tragédia do 11 de Setembro na cidade (se quiser visitar o memorial, o ideal é ir logo pela manhã).

Se você tiver um dia a mais…

O High Line Park é um dos pontos turísticos de Nova York que está na “crista da onda”. E de fato é interessante conhecê-lo. Construído sobre uma antiga linha de trem, o parque abre das 7h às 19h, diariamente. Ali, observe os prédios, a arquitetura, e as obras de arte que ficam pelo caminho.

Highline Park Nova York, Estados Unidos
Tem um dia sobrando em Nova York? Vá conhecer o parque High Line, construído sobre uma antiga linha de trem desativada, no lado oeste da ilha de Manhattan Reprodução/Reprodução

Quando chegar na 14th Street, desça as escadas e você estará no Chelsea, um dos bairros mais agradáveis de Manhattan. A vida parece passar mais devagar ali, diferentemente dos arredores da Times Square.

Bairro do Chelsea em Manhattan Nova York Estados Unidos
A vida parece passar devagarinho no tranquilo bairro do Chelsea, em Manhattan Reprodução/Reprodução

Vá até o Chelsea Market e, se gostar de frutos do mar, não deixe de parar no The Lobster Place. Aponte e escolha a sua lagosta, que será pré-cozida na hora. O prato vem acompanhado de manteiga cremosa, combinação perfeita. Encontrar lugar para sentar não é tarefa fácil, mas eventualmente os japoneses te darão um espacinho.

Chelsea Market, Nova York, Estados Unidos
Escolha a sua lagosta no The Lobster Place, dentro do Chelsea Market, e desfrute do crustáceo fresquinho Reprodução/Reprodução

Busque sua hospedagem em Nova York

Leia tudo sobre Nova York

Continua após a publicidade

Publicidade