Ramadã tem início em nações islâmicas

Muçulmanos celebram com jejum o mês em que o profeta Maomé recebeu a revelação do Corão

Por Anderson Estevan Atualizado em 16 dez 2016, 08h32 - Publicado em 20 jul 2012, 18h02

Nesta sexta-feira (20), os muçulmanos de grande parte dos países do Oriente Médio deram início ao mês sagrado do Ramadã, em que os praticantes da religião praticam o jejum ritual, em que só é permitida a ingestão de alimentos e bebidas, além de relações sexuais, entre o pôr-do-sol e a alvorada do dia seguinte. O Ramadã de 2012 segue até o dia 18 de agosto. Segundo a tradição islâmica, foi neste mês que o profeta Maomé recebeu a revelação do Corão.

Símbolo de renovação e fé, o Ramadã é um dos cinco pilares do Islã. Os outros quatro são o Chahada (aceitar e professar o credo), o Salá (orar cinco vezes ao dia), Zakat (pagar dádivas rituais ou esmolas) e o Hajj (peregrinação à Meca, pelo menos uma vez na vida).  Na manhã de hoje, milhares de muçulmanos vindos de todas as partes do mundo já estavam na Esplanada das Mesquitas, em Jerusalém, para rezar no primeiro dia do ciclo.

Sempre no nono mês do calendário islâmico, o início do ritual é marcado após a confirmação da lua crescente, constatada por religiosos do mais alto grau do Islã. O Egito e países do Golfo Pérsico, Sudão, Jordânia e Iêmen são algumas das nações que já estão vivendo o Ramadã. Na Síria, devido aos conflitos políticos internos, ainda há incertezas se toda a nação está adotando a prática.   

O turista que pretende viajar para algumas das nações que participam do Ramadã deve se prevenir para eventuais mudanças nos horários e no funcionamento dos serviços. Embora a grande maioria dos sistemas de transporte, restaurantes e atividades culturais funcionem normalmente, há o risco de alguns estabelecimentos fecharem no horário da quebra do jejum, quando grandes festins tomam conta das comunidades. 

Leia mais:

Sudão do Sul: um sonho de paz

Continua após a publicidade

Somália Devastada

Perigo no coração do Paquistão

Hotéis, restaurantes e atrações na Turquia

Turquia: dois continentes a sua escolha

Muçulmanos devem plantar árvores para casar na Indonésia

Continua após a publicidade
Publicidade