Memorial 9/11 e One WTC marcam a nova fase de Nova York

Onze anos após os ataques terroristas, o Ground Zero inspira memória e planos para o futuro

O mundo parou em frente às TVs naquele 11 de setembro de 2001. De repente, as aulas estavam paralisadas e trabalhadores assistiam atônitos as imagens dos aviões chocando-se contra as torres gêmeas do World Trade Center. O espetacular colapso dos colossos marcou o fim da inocência no mundo do turismo. Agora, há scanners de corpo, ninguém mais embarca nos aviões com líquidos suspeitos e até sapatos precisam ser revistados. E Nova York, a mais rica e dinâmica cidade do Ocidente, passou a viver com fantasmas.

Mas mesmo as chagas mais profundas têm a oportunidade de cura. O dia 30 de maio de 2012 marcou silenciosamente o fim oficial dos trabalhos de limpeza do ground zero. A inauguração do Memorial 9/11 no ano passado e a premente finalização do One World Trade Center, o 1 WTC, para o fim de 2013, marcam uma nova fase na vida da cidade.

Localizadas nas exatas posições das torres caídas, as fontes do memorial são um poderoso testemunho de união dos norte-americanos e inspiram um olhar para o futuro. Onde antes havia pó e caos, hoje predominam o agradável som das águas e a harmonia entre visitantes e os arranha-céus do entorno, que jogam sombras sobre os pés do novo símbolo da cidade, o One World Trade Center. O ambicioso edifício terá 541 metros (1776 pés) quando for finalizado e já é o mais alto de Nova York, superando o Empire State Building. Em seus escritórios estarão companhias como a editora Condé Nast, um claro sinal de que a vida comercial da baixa Manhattan ganhará uma nova lufada de ar. Apesar de ser o destaque do plano de renovação da área, o gigante de aço e vidro não será o único edifício a se sobressair no ground zero. Ganhadores do prestiagiado Prêmio Pritzker de Arquitetura – o mais importante neste campo – como Norman Foster, Richard Rogers e Fumihiko Maki deram suas contribuições para os edifícios adjacentes, tornando a região um verdadeiro fórum moderno das artes, cultura e comércio.

E de memória e reflexão, marcas para sempre ligadas ao dia 11 de setembro.

 

 

Leia mais:

48 Horas em Nova York para iniciantes

Especial compras em Nova York, Miami e Orlando

9 dicas para comprar ingressos na Broadway

Os melhores hambúrgueres de Nova York

Nova York: onde comer, o que fazer, onde ficar

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s