Maravilhas subterrâneas no metrô de Moscou

Legado dos tempos de Stálin, as estações de metrô de Moscou parecem galerias de arte

Por Júlia Gouveia (edição) Atualizado em 5 jul 2021, 21h42 - Publicado em 3 Maio 2012, 12h33

Não é comum fazer turismo sob a terra. Mas, em Moscou, faça como os moscovitas: tome o metrô. Não só para se deslocar, mas para contemplar algumas das mais belas estações do mundo. Com 12 linhas e 180 estações, o sistema estreou em 1935. Sua suntuosidade obedece à ideia do ditador Josef Stálin de “levar arte” ao povo. Conheça cinco estações superluxuosas.

Komsomolskaya (Linhas 1 e 5)

Colunas de mármore, piso de granito e teto abobadado: materiais e soluções que poderiam estar numa galeria em Milão ou num museu parisiense, mas são parte integrante da estação Komsomolskaya, inaugurada em 1952, que compõe a linha Kol’tsevaya (Circular). O domo é adornado com um mosaico em que refulge a gloriosa estrela vermelha.

Novokusnetskaya (Linha 2)

Quem percorre a estação sem olhar para o alto deixa de ver um verdadeiro acervo de arte. No total são sete mosaicos, com cenas da indústria russa e de soldados do Exército Vermelho. As paredes de mármore também merecem atenção: há mosaicos e esculturas em baixo-relevo.

Novokusnetskaya: estação de metrô em Moscou, Rússia Novokusnetskaya: estação de metrô em Moscou, Rússia

Mosaico nas paredes de mármore da estação Novokusnetskaya

Mayakovskaya (Linha 2)

Inaugurada em 1938, a estação é uma pequena Capela Sistina. É preciso olhar para cima para ver o que ela tem de melhor. O teto da estação tem 35 nichos preenchidos por mosaicos do artista Alexander Deyneka que mostram o cotidiano do povo soviético. Há ainda pela estação mármore dos Montes Urais.

Continua após a publicidade

Mayakovskaya: estação de metrô em Moscou Mayakovskaya: estação de metrô em Moscou

Detalhe na estação de Mayakovskaya 

Electrozavodskaya (Linha 3)

Batizada em homenagem a uma usina elétrica das redondezas, a estação tem um teto abobadado com 318 lâmpadas dispostas em seis colunas. O saguão da bilheteria traz ainda medalhões com os retratos de importantes engenheiros.

Arbatskaya (Linhas 3 e 4)

A um quarteirão da Ulitsa (Rua) Arbat, uma das mais boêmias de Moscou, e próxima da Praça Vermelha, a estação impressiona sobretudo por seus luxuosos lustres de bronze enfileirados ao longo das plataformas, assim como por suas brancas paredes de mármore e seu piso de granito.

Leia mais:

Maio de 2012 – Edição 199

 

Continua após a publicidade
Publicidade