Machu Picchu terá novas rotas de acesso em 2020

Duas trilhas alternativas serão construídas para aliviar os caminhos principais. Além disso, um projeto de manutenção da cidade inca está em andamento

Por Giovanna Simonetti Atualizado em 13 fev 2020, 17h51 - Publicado em 13 fev 2020, 16h31

Ainda este ano, viajantes terão novas maneiras de visitar o Machu Picchu. Isso porque o governo do Peru está construindo rotas alternativas para chegar ao sítio arqueológico, com o objetivo de diversificar o turismo na área e aliviar os caminhos principais – que precisam ser mais preservados em meio às multidões de visitantes.

Serão duas novas trilhas: a primeira, chamada de “Acesso Amazônico”, conectará a comunidade de Intihuatana às áreas de San Miguel, Inkarakay, Mandor, Puente Ruinas e Machu Picchu. O segundo acesso ligará a vila de Choquellusca (na fronteira do distrito de Ollantaytambo) com San Antonio de Torontoy, a caminho da cidade inca. 

O Conselho do Machu Picchu aprovou um orçamento de 1,2 milhão de dólares para implementação das rotas e conservação de Machu Picchu como um todo. Dessa forma, parte do dinheiro será usado para renovar trilhas já existentes, construir novos mirantes, centros de informação, áreas de descanso, locais de tratamento de lixo e também para cultivar espécies nativas – mais de um milhão de árvores e plantas margearão os caminhos de acesso.

  • De acordo com o conselho, os projetos serão desenvolvidos em 2020, com a intenção de diversificar as atrações turísticas da região e incentivar a economia local, além de destacar sua riqueza natural, cultural e social. 

    Já existem várias maneiras de chegar ao Machu Picchu, sendo a Trilha Inca a mais clássica entre os visitantes. Outras, como a Trilha Inca de Salcantay e a Mountain Lodge, são menos exploradas. Saiba mais sobre como acessar a cidade inca aqui

  • Leia tudo sobre o Machu Picchu 

    Busque hospedagem na região de Machu Picchu

    Continua após a publicidade
    Publicidade