Glamour carioca

Um roteiro pelo melhor do art déco do Rio, a cidade com o maior número de construções do estilo no Brasil

Por Flávia Belaciano Atualizado em 16 dez 2016, 09h07 - Publicado em 17 set 2011, 21h17

O Rio não é South Beach nem Nova York, mas tem também um belíssimo acervo de construções em art déco, o estilo decorativo que floresceu nos anos 1920 e 30 e deixou marcas na pintura, no design e na arquitetura. Influenciado pelo cubismo, o déco usa simetrias e formas geométricas, em contraponto à art nouveau, mais rebuscada e sinuosa, que a precede. A cidade se prepara para sediar o 11º Congresso Mundial Art Déco, em agosto. O Rio tem cerca de 300 “ocorrências” do estilo, como a estátua do Cristo Redentor. O historiador Márcio Alves Roiter, presidente do Instituto Art Déco Brasil, guiou com exclusividade a VT por lugares art déco do Rio.

1 Edifício Biarritz

Mesmo espremido entre dois edifícios modernos, é notável. Projetado em 1940 por Henri Paul Pierre Sajous e Auguste Rendu, tem varandas curvas e grades ornamentais. O requintado portão de ferro segue o estilo de serralheria das varandas. (Praia do Flamengo, 268, Flamengo)

2 Edifício Brasil

Construído em 1936 por Leopoldo Queiroz, o prédio tem portaria exuberante, outra marca do art déco. Os lustres originais se destacam no hall. (Rua Fernando Mendes, 19, Copacabana)

3 Edifício Ipu

Construção emblemática da vertente paquebots, influenciada pela arquitetura dos navios. As janelas lembram escotilhas, e as varandas arredondadas, os deques dos transatlânticos. De 1935, foi desenhado por Ari Leon Rei e Floriano Brilhante. (Rua do Russel, 496, Glória)

4 Edifício Tabor Loreto

O prédio residencial de luxo foi construído seis anos depois do vizinho Edifício Biarritz e pelo mesmo arquiteto, Henri Sajous. O portão se distingue pelo trabalho de serralheria, cheio de rendilhados em verde. (Praia do Flamengo, 244, Flamengo)

5 Edifício Itahy

Exemplo explícito da influência indígena no art déco brasileiro. No pórtico, uma sereia índia dá as boasvindas. Projetado em 1932 por Arnaldo Gladosch. (Avenida Nossa Senhora de Copacabana, 252, Lido)

6 Central do Brasil

Construída em 1937 por Roberto Magno de Carvalho e Robert Prentice, o edifício tem estilo aerodinâmico (ou streamline, uma das correntes do art déco) e se serve bastante das formas geométricas. A torre de 135 metros de altura com o relógio de quatro faces no topo é o elemento de distinção. (Avenida Presidente Vargas, Centro)

7 Mulher com Ânfora

Encomendada pelo prefeito Pedro Ernesto, em 1934, a escultura de bronze de Humberto Cozzo já esteve em diversos pontos da cidade até chegar à vizinhança da Igreja da Candelária. Formas femininas estão entre os motivos preferidos dos artistas do art déco. (Praça Pio X, Centro)

Continua após a publicidade

Leia mais:

Sumário de Julho de 2011 – Edição 189

48 Horas no Rio de Janeiro

É disso que a gente gosta## – 10 melhores praias do Brasil

Rio de Janeiro se candidata ao título de patrimônio mundial da Unesco

Rio, uma epifania## – Miniguia VT

48 horas em Visconde de Mauá

48 Horas em Petrópolis

Continua após a publicidade

Publicidade