Estrada Surreal – Onde é melhor

Airuoca, Carrancas e Conceição do Ibitipoca: onde ficar, comer e passear

Por Marcelo Cobra Atualizado em 16 dez 2016, 09h16 - Publicado em 8 set 2011, 16h03

AIURUOCA

Ficar

As pousadas ficam no Vale do Matutu, a 17 km de Aiuruoca. São rústicas, com chão de pedra e, muitas vezes, sem energia elétrica. A Pedra Fina (Vale do Matutu, 17 km de terra, 3344-1898, www.pedrafina.com.br; diárias desde R$ 230) tem cinco chalés espaçosos, todos com vista. Na área de lazer, o destaque fica para a piscina natural com cascata. A Matutu (Vale do Matutu, 14 km de terra, 3344-1530, www.pousadamatutu.com.br; diárias desde R$ 180, com pensão completa) é a pioneira (começou a funcionar em 1989). O carro não chega ali: um funcionário leva as bagagens no lombo de um burro ou em carrinho de mão e o percurso de 800 metros é feito a pé. A hospedaria, construída no estilo colonial brasileiro, tem clima sereno e lembra uma fazenda antiga. No caminho até a casa principal há um curral, uma escola e uma igrejinha – não se ouve nada além dos pássaros. Os hóspedes também chegam a pé ou a cavalo à Casa de Hóspedes Patrimônio do Matutu (Vale do Matutu, 17 km, 3344-1444, www.patrimoniodomatutu.com; diárias desde R$ 200), que não tem energia elétrica. O serviço de aquecimento a gás, porém, garante banho quentinho. Para chegar, são 40 minutos a pé em trechos bem íngremes. No alto, o salão principal, quase todo envidraçado, tem uma vista impactante. Eles dizem que é a “Tela Quente” do lugar. Quem quer ficar na área urbana, em uma pousada de acomodações bem simples, pode tentar a Ajuru (Rua Antônio Gonçalves, 149, 3344-1601, www.ajuru.com.br). Os donos, Marcus e Marlon, são guias famosos por ali.

Comer

No Kiko & Kika (Estrada para Alagoa, 3 km de terra, 3344-1453), o carro-chefe é a truta, que pode ser defumada. Para acompanhar o peixe, o molho mais pedido é o de amora.

Passear

O Vale do Matutu reúne as principais atrações de Aiuruoca, entre elas as cachoeiras Batuque, Deus-Me-Livre e Fadas. A mais bonita, no entanto, é a Cachoeira dos Garcias, com 30 metros de queda (o acesso, por estrada de terra a partir da BR-267, é intransitável quando chove). Outra aventura é o trekking até o Pico do Papagaio. A trilha começa no Vale dos Garcias e leva quatro horas para ser percorrida. Um guia é indispensável. O Casarão do Matutu (Vale do Matutu, 17 km de terra, 3344-1761) funciona como posto de informações sobre a região – lá é possível contratar um guia.

* O DDD de Aiuruoca é 35

CONCEIÇÃO DE IBITIPOCA

Ficar

A pousada Serra do Ibitipoca (acesso pela estrada para o parque, 2 km de terra, 3281-8148, www.serradoibitipoca.com.br; diárias desde R$ 180; Cc: M, V; Cd: M, R, V) tem chalés com lareira e cama king-size. Neste ano ganhou quatro suítes novinhas, equipadas com hidromassagem. A Fazenda Alpha Ville (Estrada Lima Duarte-Ibitipoca, 3281-8102 e 8405-9278, www.alphavil.com.br; diárias desde R$ 117; Cc: M, R, V; Cd: M, V) fica na entrada da vila e, por isso, é a mais distante do parque. Em compensação, tem boa área de lazer, com ofurô, hidro e piscina térmica (cobrados à parte). A Pousada Janela do Céu (Rua do Céu, 3281-8118, www.janeladoceu.com.br; diárias desde R$ 120; Cc: A, M, V; Cd: M, R, V) é para casais. Tem ambiente charmoso, com ofurô na área social (pago à parte). Todos os quartos têm cama de casal e lareira.

Comer

O restaurante Gula do Lobo (Rua da Pedra Florada, 8, 3281-8144; Cc: V; Cd: V) fica no centro da cidade. Arrumadinho, serve uma variedade de crepes e trutas.

Passear

A grande atração é o Parque Estadual do Ibitipoca (3281-1101), a 4 km do centro. Lá está a Cachoeira Janela do Céu, uma corredeira que despenca de repente na paisagem. Até lá, a subida é forte (de duas a três horas de caminhada), passando por grutas e pelo ponto culminante do Ibitipoca, a 1 722 metros de altitude. O parque funciona das 7h às 18h, mas a bilheteria fecha às 17h (campistas entram até as 17h30). Guias são encontrados na Casa do Turista (Rua Cônego Carlos Dias, 8411-8549).

Continua após a publicidade

* O DDD de Conceição do Ibitipoca é 32

CARRANCAS

Ficar

A Pousada Verdes em Cantos (Estrada para Itutinga, 2 km, 3327-1429, www.trecosdeminas.com.br; diárias desde R$ 140; Cc: V; Cd: V) tem jardins e piscina natural. As peças de decoração dos chalés, feitas pelos donos, estão à venda. A Pousada Sete Quedas (Estrada para Itutinga, 8 km, sendo 3 km de terra, 8819-9099, www.pousadasetequedas.com.br; diárias desde R$ 120) tem sauna, piscina aquecida e acesso a sete cascatas. Na Pousada Céu e Serra (Estrada para Itutinga, 2,5 km, 3327-1188, www.pousadaceueserra.com.br; diárias desde R$ 85; Cc: M; Cd: M, R), todos os chalés e apartamentos têm DVD player. O clima é esotérico – há um templo para meditação e práticas terapêuticas, onde também são exibidos documentários. A Pousada das Candeias (Rua Augusta Guimarães, 30, 35/3327-1234, www.carrancas.tur.br; diárias desde R$ 50) tem 12 apartamentos modestos na área urbana de Carrancas.

Comer

O Adobe (Praça Manoel Moreira, 22, 3327-1486, 11h/22h) é famoso pelas trutas, mas também tem receitas da cozinha mineira. A dona, Lucimar, faz trufas para a sobremesa.

Passear

A Cascata da Zilda é o mais famoso conjunto de quedas d’água, mas há vários outros na região. O Complexo da Fumaça, mesmo com água imprópria para banho, vale a visita. São quatro quedas – a Serrinha é a única que tem piscina natural boa para banho. Por ser escondida, essa cachoeira também é chamada “Diretoria”. O Poço do Coração faz parte do Complexo da Toca, que cobra R$ 3 de entrada e fica a 11 km por estrada de terra. Na Minas Trilhas (Rua Coronel Rosendo, 77, 3327-1227) dá para contratar guias para conhecer o Poço da Esmeralda e fazer o passeio à Fazenda Traituba, a 28 km da cidade. Ela até recentemente funcionava como hotel, mas agora apenas recebe os interessados em conhecer seu casarão dos tempos do Império e objetos centenários.

* O DDD de Carrancas é 35

Leia mais:

Estrada Surreal

Estrada Surreal – o essencial

Continua após a publicidade

Publicidade