Está oficialmente proibido nadar nas fontes de Roma

Quem for pego comendo e bebendo nas proximidades de fontes históricas da cidade também será multado

Por Julia Latorre Atualizado em 12 jun 2017, 19h23 - Publicado em 12 jun 2017, 18h46

No final de maio, já havia rumores de que a Fontana Di Trevi teria novas regras para visitação, de acordo com o post-Italy. E está confirmado: a prefeita de Roma, Virginia Raggi, aprovou hoje um decreto que proíbe nadar, escalar, sentar no mármore e até dar banho nos cachorros nas fontes da cidade.

A lei pode parecer um tanto óbvia para quem nunca esteve em Roma durante o verão, mas o fato é que, com os termômetros ultrapassando os 30ºC na alta temporada, os monumentos históricos da capital italiana passam a ser vistos como piscininhas para se refrescar por alguns turistas.

No mesmo decreto também passa a ser proibido acampar, atirar objetos, comer, beber ou lavar roupas nas fontes e suas proximidades. Há apenas uma importante cláusula de exceção na lei: atirar moedinhas e fazer desejos continua sendo permitido.

Por enquanto, esta lei é temporária e deve ficar em vigor até o dia 31 de outubro. A multa para quem for pego violando alguma das proibições em 15 fontes históricas da cidade, incluindo as bem famosas Fontana Di Trevi, Fontana della Barcaccia e Nettuno, pode variar entre R$ 148 (48 euros) e R$ 886 (240 euros).

A prefeitura diz que é necessário defender o patrimônio histórico, artístico e arqueológico da cidade. Vale considerar o fato de que a Fontana Di Trevi foi reaberta em novembro de 2015 após uma restauração milionária, que se fez necessária por causa dos danos causados pelo comportamento inadequado dos turistas com a construção.

  • Continua após a publicidade
    Publicidade