É hora de ir para a neve na América do Sul

As novidades da temporada nas estações mais bacanas da Argentina e do Chile

Depois de algumas temporadas fracas, prejudicadas pelo terremoto no Chile em 2010, pelas cinzas do Vulcão Puyehue na Argentina em 2011, e de uma pequena retomada em 2012, este ano promete ser melhor para o esqui na América do Sul. Aproveitando a neve, que sobra para nossos vizinhos, brasileiros seguem aumentando a presença nas estações: no ano passado, fomos 60 mil no Valle Nevado e 20 mil em Bariloche. Veja a seguir a seleção da VT dos melhores centros de esqui, entre eles a tradicional Portillo, a austral Cerro Castor, a charmosa Chapelco e a top Valle Nevado, campeã das novidades para 2013 (leia sobre mais uma estação, Cerro Bayo,na página 86). Os preços são menores no final de junho, quando elas abrem (mas com menos garantia de neve), chegam ao auge na segunda quinzena de julho e seguem caindo durante agosto e setembro. Para encurtar as viagens até as estações mais distantes, como a argentina Las Leñas, atente para voos diretos extras durante a temporada.

ARGENTINA

Bariloche

Vencedora do PRÊMIO VT 2012/2013, é o point dos brasileiros na neve. Neste ano, a principal montanha, Cerro Catedral (catedralaltapatagonia.com), com 120 quilômetros de área esquiável, reformou o sistema de leitura de passes para tentar agilizar as longas filas dos teleféricos e ampliou a área para iniciantes. A cidade tem infra supercompleta com hotéis, baladas, bares e restaurantes, além de outros passeios, como esquibunda em Piedras Blancas. (barilocheturismo.gob.ar)

  • Boa para Quem não se incomoda com a combinação esqui e muvuca.
  • Como chegar Há voos diretos fretados (só a CVC tem 2 598 lugares) e charter com a Aerolíneas (aerolineas.com.ar), com duas saídas semanais saindo de São Paulo em julho.
  • Quem leva A CVC (cvc.com.br) tem pacote de sete noites com passeios desde US$ 1 598.

Cerro Castor

A 28 quilômetros de Ushuaia, é a estação mais austral do continente, com neve powder de primeira que dura até outubro nas 29 pistas. Em 2013, inauguraram um meio de elevação, uma pista e um centro de serviços com restaurante e loja. Além do fato de o parque hoteleiro ter opções com bom custo/benefício, outro plus é que lá você esquia quase ao nível do mar, o que significa que você faz menos esforço físico do que nas estações das montanhas.(cerrocastor.com)

  • Boa para Quem gosta de explorar novos cenários, como Ushuaia.
  • Como chegar A Aerolíneas e a LAN (lan.com) levam a Ushuaia, com conexão em Buenos Aires, desde US$ 514.
  • Quem leva Com a Monreal (monrealturismo.com.br), sete noites com passes de esqui custam desde US$ 1 706.
É hora de ir para a neve É hora de ir para a neve

É hora de ir para a neve (/)

Chapelco

Uma das melhores do continente, a estação tem 25 pistas, lifts rápidos e modernos e fica colada a San Martín de los Andes, um pitoresco vilarejo de montanha com hotéis, restaurantes

e lojinhas. Há ainda recreação para crianças desde 3 anos e bonitas trilhas par passeios de trenó puxados por cães. Para os experientes, o terreno é bom para snowboard e as rotas fora de pista têm boa neve powder. (cerrochapelco.com)

  • Boa para Esquiadores que gostam de infra de cidadezinhas fofas.
  • Como chegar Há voos para San Martín de los Andes, via Buenos Aires, com a Aerolíneas, desde US$ 799. Desde Bariloche, de ônibus são 260 quilômetros.
  • Quem leva Pela Moinhotur (moinhotur.com.br), sete noites com meios de elevação custam desde US$ 1 875.

Las Leñas

Rivaliza com Valle Nevado como centro de esqui mais top do continente – em 2012, recebeu um teleférico que triplicou sua capacidade. Lá ficam seis hotéis ski-in/ski-out, uma conceituada escola de esqui e 30 pistas (a maioria intermediária ou difícil). Para famílias, a novidade de 2013 é o Parque Aventura,que tem atrações como tubing, Um agitado après-ski rola nas baladas e bares. (laslenas.com)

  • Boa para Esquiadores iniciados.
  • Como chegar A Aerolíneas tem um voo semanal direto saindo de São Paulo em julho e agosto, com traslado até a estação já incluído na tarifa aérea.
  • Quem leva A Interpoint (interpoint.com.br) tem sete noites com meia-pensão e passes desde US$ 2 468.

 

CHILE

Chillán

Sua marca registrada são as águas termais, que fazem a festa dos hóspedes nos spas e nas piscinas dos hotéis. São 32 pistas, nove meios de elevação (alguns um pouco antiquados e lentos) e bons restaurantes. Entre as novidades de 2013 há o Jardim de Neve, para crianças de 3 a 6 anos, e uma pista de esqui nórdico com 8 quilômetros. Para não fazer confusão: há dois conjuntos de hotéis dentro da estação, Nevados de Chillán (nevadosdechillan.com) e Termas de Chillán (termaschillan.cl), ambos com opções ski-in/ski-out.

  • Boa para Quem não se importa em trocar a neve pelo spa um dia ou dois.
  • Como chegar Voe até a cidade de Concepción (a 50 minutos de Santiago; desde US$ 117 com a LAN) e lá pegue o transfer dos hotéis.
  • Quem leva A NS Tour (skinet.com.br) tem sete noites com pensão completa, com passes para os meios de elevação, desde US$ 1 900.

El Colorado e Farellones

Coladas na capital chilena, contam com boa estrutura para passar o dia. El Colorado tem um snowpark admirável e inaugura nesta temporada um centro de serviços com escola de esqui e restaurante. Se você não sabe esquiar e deseja só curtir a neve, Farellones é a mais indicada. Lá também há atividades off-pista, como tubing. (elcolora do-centroski.com e farellones-ski.com)

  • Boas para Brincar na neve ou experimentar o esqui pertinho de Santiago.
  • Como chegar São cerca de 40 quilômetros desde Santiago. Procure o passeio com empresas de transfer.
  • Quem leva A CVC (cvc.com.br) tem três noites em Santiago com tour a El Colorado e aula de esqui incluída desde US$ 1 418.
É hora de ir para a neve É hora de ir para a neve

É hora de ir para a neve (/)

Portillo

Tradicional e exclusiva, a estação só abriga 450 hóspedes por semana em seu resort all-inclusive e outros dois lodges – neste ano, vai abrir também cinco chalés de montanha (para até oito pessoas cada um). Lá há 34 pistas e, bem perto do resort, a bonita Laguna del Inca na paisagem. O après-ski inclui eventos como a disputada Semana do Vinho, de 3 a 10 de agosto, com degustações. (skiportillo.com)

  • Boa para Famílias com crianças, que contam com a praticidade de uma estação pequena ski-in/ski-out, e também esquiadores mais experientes.
  • Como chegar São duas horas desde Santiago com o transfer do resort
  • Quem leva A Ski Brasil (skibrasil.com.br) tem sete noites com pensão completa e passes desde US$ 2 743.

Valle Nevado

Estação mais estruturada do Chile, tem as maiores inaugurações da temporada: um teleférico com cabines cobertas, único no país, nova área de serviços com armários, bilheteria e loja, equipamento disponível para aluguel renovado, uma nova pista (agora são 42) e um snowpark maior para aqueles que praticam freestyle tanto no esqui quanto no snowboard. Lá há três hotéis ski-in/ski-out, ou seja, que ficam próximos das pistas e você pode chegar e sair esquiando. (vallenevado.com)

  • Boa para Esquiadores de todo tipo e gente que opta por ficar em Santiago.
  • Como chegar Há empresas de transfer e ônibus que cumprem os 60 quilômetros de Santiago até lá, como a Skitotal (skitotal.cl), desde US$ 52.
  • Quem leva A Maktour (maktour.com.br) tem pacote de sete noites com meios de elevação desde US$ 1 488.

Leia mais:

Check-in ##- Veja outras reportagens da edição de JUNHO de 2013 da VT

Os melhores resorts de esqui de Argentina e Chile ##- De Bariloche a Valle Nevado, o melhor do continente

Argentina e Chile: neve acima, morro abaixo ##- O que pega nas estações de esqui mais bombadas da América do Sul

Argentina ##- Hotéis, restaurantes e atrações

Chile ##- Hotéis, restaurantes e atrações

Cerro, cerro meu ##-Estações de esqui na Argentina e no Chile com crianças, para gastar pouco, com ou sem balada. Escolha a sua!

Comentários

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.