Destino: Libertadores da América

Acompanhe as aventuras do nosso repórter corintiano na tentativa de assistir à final da Libertadores em Buenos Aires

Por Fernando Souza, de Buenos Aires Atualizado em 16 dez 2016, 08h35 - Publicado em 27 jun 2012, 13h01

De tanto corintiano, a fila do check-in da Gol em Guarulhos parecia a bilheteria do Pacaembu, e no “busão” que nos levou do embarque até o avião, a batucada nos vidros embalava o coro TIMÃÃÃÔÔÔÔ-Ô-Ô-Ô. Nem o passageiro hare krishna escapou: “DOUTOR, EU NÃO ME ENGANO, O HARE KRISHNA É CORINTIANO”.

Quando o Airbus acelerou na pista, pipocou o clássico VAAAAI CORINTHIANS!!! Apesar de toda a euforia, nove entre dez torcedores que estavam no voo para Buenos Aires, ontem à noite, viajavam sem ingresso para o primeiro jogo da final da Copa Libertadores 2012, contra o Boca Juniors, que deverá colocar meia São Paulo na frente da TV nesta quarta-feira. No avião, a esperança era a de conseguir as entradas hoje – em La Bombonera, o palco do jogo, na Calle Florida ou onde quer que elas existam.

Mais de 5 mil fiéis alvinegros já estariam na capital argentina, contra não mais de 2,5 mil ingressos destinados aos corintianos. Informalmente, os bares da Recoleta concentrarão os torcedores que ficarem na mão.

Meu ingresso ainda é uma incógnita. Comprei-o em um pacote na internet, pelo site Vamos a La Cancha, por US$ 220, traslados incluídos. O setor, porém, é a “popular” do Boca, que, nas palavras do gerente do Hotel Ibis, pode ser quase qualquer lugar do estádio – menos onde estará a torcida do Timão. E, como diz o canto, EU SOO-OOOOOU CORINTHIANS! Haveria tortura maior do que ver o Corinthians fazer um gol na Bombonera, na final da Libertadores, e não poder vibrar?

Mas eis que Nacho, o representante (dono?) da empresa que me vendeu o pacote, aventou a possibilidade de me colocar na Fiel por US$ 350. Respondi o e-mail dele, e agora aguardo o retorno com o fim da negociação. Hoje, no meio da tarde, trocarei o Ibis pelo Hotel Boca (!), uma hospedagem temática e descoladex que em nada lembra as origens proletárias dos xeneizes. Quero conhecer. Será que tratarão bem o hóspede com camisa do Corinthians? E os ingressos, vão rolar mesmo? Na torcida do Boca ou na do Corinthians? Ou terei de ir pros bares da Recoleta? Em breve, mais novidades da minha aventura de corintiano sofredor.

Leia mais:

Clubes organizam acampamentos de futebol para crianças que só pensam em jogar bola

Continua após a publicidade

48 Horas em Buenos Aires

48 Horas – Destinos Internacionais

Continua após a publicidade

Publicidade