De viagem marcada? Conheça novas formas de pagamento

Elas podem fazer muita diferença no montante necessário para viabilizar o passeio

Por Abril Branded Content Atualizado em 18 jul 2022, 11h30 - Publicado em 15 jul 2022, 16h35

Quando se decide pegar um avião para outro país, além de pensar onde se hospedar e no que colocará dentro da mala, é preciso também planejar com cuidado a forma como vai fazer o câmbio e como vai utilizar o dinheiro no destino. O jeito mais tradicional é levar a quantia em espécie, mas não é o mais indicado, pois a cotação pode variar bastante e, se a pessoa for roubada, não terá como recuperar. Os cartões de crédito internacionais também foram por muito tempo uma das principais opções para esse fim, pela praticidade, comodidade e acúmulo de pontos ou milhas. Entretanto, eles acabam saindo muito caro, pois a taxa de IOF cobrada nas compras internacionais com essa modalidade aumentou bastante e, atualmente, está em 6,38%. Além disso, costuma haver cobrança de ágio do banco emissor do cartão embutida na conversão das despesas para o real, o que pode chegar a até 7% do valor gasto. Há ainda a possibilidade de utilizar os cartões pré-pagos, conhecidos como travel money, vendidos em casas de câmbio. Eles também não são a melhor escolha, pois, para realizar a recarga, cobram o mesmo IOF dos cartões de crédito, sem oferecer as vantagens, como pontos.

A boa notícia é que uma nova modalidade surgiu no mercado: contas digitais com moeda estrangeira. Um ótimo exemplo é a opção oferecida pelo hub financeiro global Passfolio. “Nesse caso, o IOF cobrado é de apenas 1,1% para que o dinheiro seja encaminhado para os Estados Unidos, onde a conta será aberta”, conta David Gobaud, CEO da empresa. O primeiro depósito deve ser de pelo menos 100 dólares e depois não há valor mínimo. Então, o usuário recebe o PassCard, um cartão de débito em dólar com a bandeira Mastercard, mas que pode ser utilizado no mundo todo, com a vantagem de ter todas as transações realizadas pela administradora do cartão, o que faz com que elas sejam bem mais baratas. Isso sem falar que a conversão para moeda local é feita sempre com dólar comercial, sem nenhuma taxa adicional. Outra vantagem é que a taxa de câmbio na Passfolio é de 1,9%, enquanto em bancos tradicionais pode chegar a até 6%, e o IOF só é descontado no momento de depositar e sacar em reais, nenhuma taxa extra é aplicada, nem mesmo nas compras que envolvam câmbio.

 

David Gobaud, CEO da Passfolio
David Gobaud, CEO da Passfolio/Divulgação

Como se tudo isso não fosse razão para optar pelo PassCard, não há taxa de abertura da conta ou anuidades e, caso a pessoa precise recorrer às notas físicas de dólar, o cartão possibilita saques gratuitos em mais de 55 000 caixas eletrônicos da rede AllPoint presentes nos Estados Unidos. E, para finalizar com chave de ouro, a Passfolio ainda coloca à disposição do cliente o PassEarn. Trata-se de uma conta de rendimentos passivos na qual fica guardado o valor que não foi utilizado, rendendo para que possa ser usado na próxima viagem. “Não é cobrada nenhuma taxa para movimentar os dólares do PassCard para o PassEarn e nem para guardá-los no PassEarn, e os juros se acumulam diariamente e são pagos todo mês com um rendimento anual de 5% para todos os usuários e 7% para os usuários Pro”, explica David.  

IOF

  • 6,38% no cartão de crédito
  • 1,1% no PassCard

TAXA DE CÂMBIO

  • Até 6% nos bancos tradicionais
  • 1,9% no PassCard

Se você curtiu e quer aproveitar todas essas vantagens em sua próxima viagem, a Passfolio está dando 10% de desconto na taxa de câmbio para novos usuários até o final de novembro de 2022! Basta criar a sua conta aqui e utilizar o cupom VIAGEMETURISMO10. 

Continua após a publicidade

Publicidade