Casa de Jorge Amado conta a história de um dos escritores mais prestigiosos do Brasil

Museu tem objetos pessoais, espaços interativos, fotografias e hologramas do baiano

Após uma restauração, avaliada em R$ 6 milhões, a casa onde viveram Jorge Amado e Zélia Gattai, em Salvador (BA), está aberta para visita desde novembro de 2014, com seus 20 espaços temáticos sobre a vida do casal de escritores que morou no número 33 da rua Alagoinhas, no bairro Rio Vermelho.

Vídeos, objetos pessoais, fotografias e hologramas contam de forma interativa a história do segundo autor mais vendido do Brasil, depois de Paulo Coelho, e de sua obra, reconhecida com o Prêmio Camões – um dos mais importantes da literatura lusófona – e famosa por títulos como “Capitães da Areia” (1937), “Dona Flor e Seus Dois Maridos” (1966) e “Tieta do Agreste” (1977), todos adaptados para o cinema e a televisão.

A atração turística é o segundo motivo de visita à capital baiana, segundo dados da Demanda Turística Internacional do Ministério do Turismo. Em primeiro lugar, claro, estão as praias, com mais de metade da preferência dos turistas.

Uma variedade de objetos pessoais, entre fotografias, documentos e correspondências com personalidades nacionais e internacionais mostram a vida pessoal de Jorge Amado, que adquiriu a casa na década de 60 com o dinheiro da venda dos direitos do romance “Gabriela, Cravo e Canela” para o estúdio MGM.

No quintal, uma série de depoimentos intitulada “Roda de Conversa” retrata Jorge Amado através dos relatos de famosos, amigos e familiares.

Outra atração da capital baiana que homenageia o escritor é a Fundação Casa de Jorge Amado, no Pelourinho. O casarão azul antigo expõe objetos pessoais, como a farda da Academia Brasileira de Letras, trechos dos livros e rascunhos escritos à mão por Amado.

• Casa do Rio Vermelho

Endereço: Rua Alagoinhas, número 33, bairro Rio Vermelho.

Horários: sextas, sábados e domingos, das 10h às 17h.

Entrada: R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia-entrada).

 

• Fundação Casa de Jorge Amado

Endereço: Largo do Pelourinho, número 51.

Horários: de segunda a sexta, das 10h às 18h, e sábado, das 10h às 16h.

Entrada: R$ 3 (menores de 5 anos não pagam). Às quartas-feiras, a entrada é gratuita.

Leia mais:

Do barroco ao neoclássico: igrejas de Salvador (BA) que merecem uma visita

Dez grandes livros e seus inspiradores destinos

48 Horas em Salvador

13 praias do litoral sul da Bahia para ter sossego

As 10 mais belas igrejas do Brasil

8 experiências baianas imperdíveis

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s