O que você deve saber sobre Andorra, este país pequeno e marcante

Cenários magníficos, arquitetura medieval, lojas com preços de duty free e esqui badaladíssimo. Entre a França e a Espanha há um pequeno mas impactante país

Um carro alugado em Barcelona e 200 quilômetros de lindos cenários até o teto dos Pirineus (você também pode escolher partir de Toulouse ou de Bordeaux, no sul da França). Esse teto é o principado de Andorra, o único país do mundo onde a língua oficial é o catalão. A fundação é atribuída ao indômito Carlos Magno, no século 9, por reconhecimento aos moradores da região pela ajuda nas batalhas contra os sarracenos. Os limites do território foram estabelecidos em 1278, e desde 1993, quando foi aprovada sua primeira Constituição, Andorra é um Estado soberano. Antes se submetia ao chefe de Estado francês e ao bispo da cidade vizinha de Urgell, na Espanha.

O país é uma “ilha” flutuando nos Pirineus. Seu ponto mais alto, Coma Pedrosa, fica a 2 946 metros de altitude; o mais baixo, no Rio Valira, a 840 metros. Entre a Espanha e a França está esse lugar de 82 mil habitantes e 468 quilômetros quadrados, 92% deles de bosques, lagos, rios e montanhas. Todos os anos, 9 milhões de visitantes chegam a Andorra para desfutar de suas belezas e aproveitar para comprar nesse paraíso fiscal que possui milhares – e isso não é força de expressão – de lojas. Não por casualidade, o turismo representa 80% da receita de Andorra.

Tudo é fácil aqui. Basta uma hora para percorrer os 36,9 quilômetros entre os dois pontos mais distantes – da fonteira espanhola até Pas de la Casa e o túnel que leva à França. No meio do caminho está Andorra la Vella, a charmosa capital, um local para abandonar o carro e percorrer os bulevares à beira- rio; para se deleitar com a comida das bordas, restaurantes que ocupam antigas construções rurais e servem comida típica das alturas; para simplesmente se sentar à mesa de algum café para afastar o fio; ou apenas para fazer o que a maior parte dos turistas faz em Andorra: festejar. E, para isso, não há estação: seja nos meses em que Andorra está coberta de neve ou quando as montanhas ficam verdinhas, o mantra que se ouve em todo lugar é: !Viva la Fiesta, Andorra!

Andorra tem diversas construções do gótico românico, igrejas e casas erguidas entre os séculos 11 e 15. No conjunto de suas sete paróquias (que seriam, grosso modo, seus bairros) existem mais de 40 igrejas, todas pequenas e graciosas. Não perca as três joias da coroa: Sant Cerni de Nagol, na bela paróquia de Sant Julià de Lòria; a Igreja de Santa Colona, erguida ainda no século 11, na paróquia que lhe empresta o nome – atente para o afesco do Cordeiro de Deus ladeado por dois anjos; e Sant Martí de la Cortinada, em Ordino, a paróquia mais remota do país, a “longínquos” 15 minutos de Andorra la Vella.

Deque com vista para a pista Soldeau, em Grandvalira, Andorra Deque com vista para a pista Soldeau, em Grandvalira, Andorra

Deque com vista para a pista Soldeau, em Grandvalira – Foto: Carol da Riva

Quando chega a neve

O ar das montanhas deve conservar bem a população. O país tem a sexta maior expectativa de vida do mundo, 82,5 anos. Viver lá é muito bom, infere- se, mas visitar o destino em férias é também uma delícia. Há muito o que fazer ali, a começar pelo ótimo esqui. As estações são reconhecidas internacionalmente. A neve cai generosa no inverno e até um pouco além, em abril. Assim que o manto branco atinge 40 centímetros, começa a diversão nos 193 quilômetros das 110 pistas de Grandvalira, o que, somado aos 98 quilômetros e às 69 pistas de Vallnord, compõe um domínio esquiável significativo. Um mundo branco se desenha, aproveitando a senhora infaestrutura de lifs e canhões de neve, restaurantes, hotéis, iglu-bares, iluminação para esqui noturno, baladas, festas. Até quem não é íntimo do esqui e do snowboard se diverte com outras formas de descer a montanha. Como o mushing, o passeio de trenó puxado por cães, ou o joring, uma espécie de trenó sob dois pares de esquis. E, para quem vai com filhos pequenos, outra dica: conheça o Naturlândia, um parque basicão em San Juliá de Loria que se destaca unicamente por seu tobogã de 5 quilômetros, o Tobotronc, que desliza em meio aos bosques. Palavra de pai de um menino de 7 anos: é demais.

Verão na montanha

Se você não tem planos imediatos para conhecer o principado, nada a lamentar. No verão é possível fazer várias caminhadas pelas montanhas, passando por picos, lagos e vales. A maior parte das trilhas é autoguiada. Basta seguir as setas vermelhas e brancas para curtir a Grande Rota, que em alguns trechos coincide com a Grande Rota do País – o nome não parece muito apropriado –, de 100 quilômetros, mas sem maiores desafios. Essa rota é dividida em sete etapas que coincidem com a localização dos refúgios. Nesses caminhos é possível dormir nos 26 abrigos de montanha, a maioria de utilização gratuita, mas com comodidades espartanas: lenha e água, basicamente. Muito recomendável para quem procura uma experiência turística mais mãos-à-obra.

Outra coisa boa da estação do calor é aproveitar as pistas de esqui sem neve para grandes descidas de downhill. Graças ao serviço de lif, nem é preciso pedalar na subida, só descer e sentir a emoção. Grandvalira e Vallnord são tidas como algumas das melhores pistas da Europa para as magrelas, com 17 quilômetros de percurso de diversos níveis de dificuldade, passando por bosques e formações rochosas.

A quem não é entusiasta de primeira hora das atividades outdoor, não sonha em esquiar e começa a se coçar já no décimo minuto de caminhada há que se lembrar, novamente, que Andorra está espremida entre França e Espanha, duas potências enogastronômicas, ou, para usar um português bem mais amigável, duas potências da boa vida. É de esperar, portanto, alguns momentos de êxtase, ou quase isso, em seus restaurantes. Não perca a chance de ir a uma típica borda, antigos paióis transformados em acolhedores restaurantes. Recomendo muito o Estevet, com carnes de caça à la plancha que, rememorando a experiência agora para esta reportagem, me fariam pegar de volta a estrada para Andorra não vivesse eu agora em Bali.

As casas da paróquia de Ordinou, em Andorra As casas da paróquia de Ordinou, em Andorra

As casas da paróquia de Ordino – Foto: Carol da Riva

. . : GUIA VT DE ANDORRA : . . Hotéis, restaurantes, compras, passeios e vida noturna

O DDI de Andorra é +376

  • FICAR

O moderno Acta Art Hotel (Prat de la Creu, 15, 760-303, hotel-arthotelandorra.com; diárias desde € 92; Cc: A, M, V), em Andorra la Vella, tem ótimo café da manhã. O Magic Ski (Avinguda del Ravell, 1, 875-500, hotel-magic-ski.andorramania.com; diárias desde € 87; Cc: M, V) fica a passos do lift para a pista de Pal- Arinsal, em Vallnord.

  • COMER

O Plató (Cc: A, M, V), no Acta Art Hotel, provê experiências gourmet. E, das várias bordas, os restaurantes típicos de Andorra, bastante respeitável é a Estevet (335-099, bordaestevet. com), com caças à la plancha.

  • COMPRAR

O eixo Avinguda Meritxell –Avinguda Carlemany tem lojas como Hugo Boss, Levi’s, Tommy Hilfiger e Guess. Para equipamentos de montanhismo, esqui e snowboard, vá à Olympia (Avinguda Meritxell, 74, 861-922, olympiaesports.ad; Cc: M, V). Apreciadores de vinhos também têm oportunidades em Andorra, onde estão os vinhedos mais altos da Europa. Um branco muito recomendável é o Cim del Cel, à venda na Cava Benito (Avenida Carlemany, 82, 820-469, cavabenitowhisky.com; Cc: M, V). Para comprar embutidos, vá à Gourmeterie Marquet (Plaça Coprínceps, 3, 820-722, marquetandorra.com; Cc: M, V) – mas, cuidado, pois eles podem ficar retidos na Alfândega.

  • PASSEAR

O ski pass Ski Andorra (skiandorra.ad; cinco dias por € 196; Cc: A, M, V) dá acesso a todas as pistas de Grandvalira (grandvalira.com) e Vallnord (vallnord.com). Para os experientes, as melhores são a Ordino-Arcalís (arcalis.andorramania.com), em Vallnord, e a El Tarter (soldeu-andorra.com), em Grandvalira. Nas horas livres, conheça as igrejas Sant Cerni de Nagol (Carretera de Certés, 744-045), Santa Colona (Carrer Major, 873- 103) e Sant Martí de la Cortinada (878-173), do século 12. Para crianças, o tobogã de 5 quilômetros do Naturlândia (Carretera de la Rabassa, 741- 444, naturlandia.ad; desde € 20; Cc: M, V) é tiro certo.

  • AGITAR

Em Andorra La Vella, existem mais de 60 pubs e discos, caso da Buda Bar (Avinguda Salou, 32, 720-777, budaespaiandorra.com; Cc: A, M, V).

Leia mais:

Check-in ##– Veja outras reportagens da edição de JANEIRO de 2013 da VT

 

Invernada espanhola ##– Reportagem da Viagem e Turismo

 

Os 100 lugares mais lindos do mundo ##– Reportagem da Viagem e Turismo

 

Festa nos Bálcãs ##– Reportagem da Viagem e Turismo

 

Pequeno manual dos trens na Europa ##– Reportagem da Viagem e Turismo

 

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s