A sustentável leveza de um hotel

Do minhocário ao trato com os cadeirantes, um hotel de Socorro (SP) mostra com quantas lâmpadas fluorescentes se faz um lugar ecofriendly

Reaproveitar a toalha do banho? Placas solares para esquentar a água? Minhocário? Confesso que foi com certa desconfiança que me hospedei no Hotel-Fazenda Campo dos Sonhos (diárias desde R$ 300, com refeição completa), referência entre os hotéis que adotam protocolos ecofriendly. Mas, ainda bem, quebrei a cara. Comprovei que a experiência de ficar em um hotel sustentável em nada restringe a vida do hóspede – a água do chuveiro esquentou rapidinho. em Socorro, a 130 quilômetros de São Paulo, o empreendimento ganhou o prêmio de hotel sustentável de 2011 do Guia Brasil – eles cumprem 11 das 17 iniciativas verdes estabelecidas pela publicação. “Reciclamos tudo”, diz o dono José Fernandes. “As pessoas não entendem que lixo é dinheiro.” Para cadeirantes como eu, o hotel é ainda mais exuberante: é o único do país a respeitar todas as normais de acessibilidade (junto com o Hotel Parque dos Sonhos, também de Fernandes). Lá dentro, curti uma tirolesa e andei a cavalo numa sela adaptada. Deram-me também uma cadeira motorizada para circular pela grande propriedade. Grande, não só no tamanho.

HAJA MINHOCA

Veja em detalhes alguns dos expedientes sustentáveis do Campo dos Sonhos

  • HERE COMES THE SUN

Nos telhados do hotel, placas fotovoltaicas (ilustração 1) transformam a luz do Sol em energia elétrica. Ela é utilizada para aquecer a água em um sistema comumente usado no país, com boiler.

Placas voltaicas Placas voltaicas

Placas voltaicas (/)

Ilustração 1 – Alex Afonso

  • E FEZ-SE A LUZ

No hotel só entram lâmpadas econômicas:

8 mil horas são a vida útil da lâmpada econômica (fluorescente), oito vezes mais que a da convencional

80 mil horas são a duração de uma lâmpada de led, modelo que está sendo implantado aos poucos no hotel

  • FORÇA DE SANSÃO

No lugar de cercas de arame ou portões de madeira, o hotel usa sansão-do-campo, uma planta espinhosa, para proteger a propriedade

  • MINHOCAS AOS MILHÕES

O hotel produz mensalmente cerca de 4 toneladas de lixo orgânico. Para transformar todo esse resíduo em adubo, são utilizadas cerca de 250 mil minhocas. Elas devoram os dejetos e devolvem o lixo decomposto. Este, por sua vez, é empregado como adubo na horta orgânica (ilustração 2)

Ilustração 2 Ilustração 2

Ilustração 2 (/)

Ilustração 2 – Alex Afonso

  • TROCANDO O ÓLEO

200 litros de óleo são reciclados por mês. Parte é transformada em sabão, e o restante é levado por um fornecedor, que em troca traz detergente.

Leia mais:

Check-in ##– Veja outras reportagens da edição de NOVEMBRO de 2012 da VT

Chegou o novo Guia Brasil 2013 do GUIA QUATRO RODAS

Compre o Guia Brasil 2013 do GUIA QUATRO RODAS pela internet

Nau Royal é o hotel sustentável do ano no Guia Brasil 2013

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s