Voos da Latam são cancelados após casos de Covid-19 e Influenza

A medida afeta 1% da malha aérea da companhia, que registra alto número de dispensas médicas entre seus funcionários

Por Bárbara Ligero Atualizado em 12 jan 2022, 20h41 - Publicado em 10 jan 2022, 12h24

A Latam anunciou o cancelamento de voos nacionais e internacionais que aconteceriam entre os dias 9 e 16 de janeiro por falta de tripulação. A companhia aérea afirma que 1% de sua malha aérea teve que ser alterada depois que um número significativo de funcionários teve que ser afastado de suas funções por testar positivo para a Influenza ou para a Covid-19.

A recomendação é checar o status do voo antes de se dirigir ao aeroporto. Caso a viagem tenha sido de fato cancelada, o passageiro deve realizar o login no site da Latam, clicar em “Minhas viagens” e “Administrar suas viagens”, onde é possível remarcar o voo ou solicitar o reembolso da passagem, sempre sem incidência de multas e diferenças tarifárias.

Lembrando que, no início de janeiro, as regras de reembolso de voos nacionais voltaram a seguir a resolução nº 400 da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac). Na prática, isso significa que a Latam deve devolver o dinheiro aos passageiros afetados no prazo de até sete dias.

Já os voos internacionais continuam sendo regidos pela lei emergencial que foi criada durante a pandemia. Dessa forma, a companhia aérea tem o direito de fazer o reembolso em até 12 meses. Além disso, os passageiros afetados que estiverem no exterior e só tomarem conhecimento do cancelamento no aeroporto não terão direito à assistência material (saiba mais aqui).

Atrasou, cancelou. O que fazer?

=> A aérea deve informar o passageiro eventuais mudanças de itinerário até 72 horas antes da decolagem em caso de voos domésticos e até 24 horas no caso de voos internacionais.

=> Com base no que foi dito acima, as aéreas podem alterar o horário da partida em até meia hora no caso de voos nacionais e em até uma hora no caso de voos internacionais, sem que isso acarrete ônus para a empresa.

=> Quando alterações acontecem e o passageiro não é informado, a empresa deve reembolsar o valor integral da tarifa ou reacomodar o passageiro em outro voo da própria empresa ou de outra.

=> Se o passageiro descobrir a alteração do voo somente no aeroporto, a empresa deve reembolsar o valor da tarifa, reacomodar em outro voo ou viabilizar outro tipo de transporte como táxi ou uber até outra cidade onde exista um voo que sirva ao passageiro.

=> Em caso de atraso de voo, as obrigações acontecem de acordo com o tempo: acima de 1 hora = alimentação; acima de 2 horas = alimentação e telefone/internet; acima de 4 horas = alimentação, comunicação, traslado e pernoite.

=> Ao comprar uma passagem com 7 dias ou mais de antecedência, o passageiro tem até 24 horas para desistir do bilhete e receber de volta o valor integral.

=> No caso de fechamento de fronteiras e de voos internacionais, a aérea não é obrigada a prestar auxílio como assistência material ou arranjar hospedagem. Essa regra, presente na Lei emergencial 14.174/2021, fica em vigor até 31 de março. O Idec, no entanto, orienta que o passageiro tire fotos, guarde recibos e na volta tente reaver os gastos na Justiça.

=> Em caso de diagnóstico de covid ou influenza, o passageiro deve apresentar à empresa o resultado do exame e, segundo o Idec, tem o direito de remarcar a viagem sem custo para outra data ou pedir reembolso.

Continua após a publicidade

 

Veja, a seguir, todos os voos da Latam que foram cancelados:

9 de janeiro: LA8146 (Guarulhos-Lisboa), LA8112 (Guarulhos-Cidade do México), LA3476 (Guarulhos-Salvador), LA3377 (Salvador-Guarulhos), LA3055 (Congonhas-Porto Alegre), LA3392 (Porto Alegre-Congonhas), LA3123 (Congonhas-Florianópolis), LA3122 (Florianópolis-Congonhas), LA3008 (Guarulhos-Manaus), LA3012 (Manaus-Guarulhos).

10 de janeiro: LA8190 (Guarulhos-Miami), LA8180 (Guarulhos-Nova York), LA8147 (Lisboa-Guarulhos), LA8113 (Cidade do México-Guarulhos), LA4676 (Guarulhos-Salvador), LA4679 (Salvador-Guarulhos), LA3320 (Guarulhos-Maceió), LA3607 (Maceió-Guarulhos), LA3509 (Guarulhos-Belém), LA4500 (Belém-Guarulhos), LA3055 (Congonhas-Porto Alegre), LA3806 (Porto Alegre-Congonhas). 

11 de janeiro: LA8064 (Guarulhos-Madri), LA8114 (Guarulhos-Barcelona), LA8195 (Miami-Guarulhos), LA8181 (Nova York-Guarulhos), LA8195 (Miami-Guarulhos), LA8180 (Nova York-Guarulhos), LA3176 (Guarulhos-João Pessoa), LA3177 (João Pessoa-Guarulhos), LA4580 (Guarulhos-Natal), LA4652 (Natal-Guarulhos).

12 de janeiro: LA8115 (Barcelona-Guarulhos), LA8065 (Madri-Guarulhos).

13 de janeiro: LA3320 (Guarulhos-Maceió), LA3607 (Maceió-Guarulhos), LA3476 (Guarulhos-Salvador), LA3377 (Salvador-Guarulhos).

15 de janeiro: LA3476 (Guarulhos-Salvador), LA3377 (Salvador-Guarulhos), LA3008 (Guarulhos-Manaus), LA3012 (Manaus-Guarulhos), LA4580 (Guarulhos-Natal).

16 de janeiro: LA4652 (Natal-Guarulhos), LA3377 (Salvador-Guarulhos), LA3476 (Guarulhos-Salvador), LA4580 (Guarulhos-Natal).

Azul e Gol também demonstram preocupação

A Azul informou que vai precisar cancelar centenas de voos em janeiro devido à falta de tripulação. Segundo a companhia, o número de dispensas médicas entre seus funcionários aumentou 405% no início do mês. A Gol, por sua vez, emitiu um alerta para possíveis impactos em seus voos devido ao aumento no número de casos de Covid-19 e Influenza. No último domingo (9), a Anac disse estar acompanhando os casos de doenças respiratórias em pilotos, comissários e demais profissionais do setor aéreo.

Continua após a publicidade

Publicidade