Piauí

Site: http://www.pi.gov.br

Capital: Teresina

População: 2.840.969 hab

Tudo bem, o Piauí não aparece mesmo nas listas de destinos turísticos mais procurados do Brasil. Para começar, a capital, Teresina, é a única no nordeste que não é banhada pelo mar. Quem procura a brisa marinha para abrandar o calor característico do estado precisa apontar para o alto do mapa, a quase 360  quilômetros da capital. É para balneários como Luís Correia que os próprios piauienses correm nos fins de semana para curtir as areias da bela Praia Macapá, na foz do rio de mesmo nome, e a agitada Atalaia, com uma sequência de bares de madeira cobertos de carnaúba, sempre lotados. Fica ali também a deserta Carnaubinhas, com mata nativa e dunas de areia branca, cujo acesso é feito por estrada sem sinalização ou por trechos de areia pelos quais só passam veículos com tração nas quatro rodas. E você cada vez mais vai ouvir falar de Barra Grande, cujos ventos já atraíram os praticantes de kitesurfe. Em geral quem visita essas paragens parte de Parnaíba, cidade-base para conhecer um dos lugares mais procurados do Piauí, o Delta do Parnaíba, onde longos passeios de barco pelos igarapés do rio vão revelando mangues, dunas, carnaubeiras e lagoas fluviais. A paisagem única desse poderoso encontro do rio com o mar lembra um quebra-cabeça, um labirinto de mais de setenta ilhas fluviais.

Quem resolve explorar a diversidade geográfica do Piauí a partir de Teresina e se dispõe a passar um tempinho ali descobre um lugar acolhedor, com praças e parques que lhe renderam o apelido de Cidade Verde, belas amostras da arte santeira talhada em madeira e o Parque Ambiental Encontro dos Rios Poty e Parnaíba – área de preservação com trilhas, mirantes e passeios pelos dois rios que cortam a capital. Teresina, com moradores simpáticos e falantes – são poucos mais de 800 mil habitantes –, pode ser ponto de partida para o surpreendente Parque Nacional das Sete Cidades, a 200 quilômetros. As estranhas formas rochosas da área despertam a imaginação e há quem enxergue nelas cabeças de índios, tartarugas e elefantes. O calor é muito intenso, por isso o melhor período para fazer a visita é entre janeiro e julho, quando as cachoeiras e piscinas naturais da região estão mais cheias. Os movimentos de placas tectônicas foram responsáveis pela formação desse território misterioso que há centenas de milhares de anos era o fundo do mar.  O mesmo fenômeno criou, ao sul do estado, a 500 quilômetros de Teresina, o fantástico sítio arqueológico do Parque Nacional Serra da Capivara, com vestígios que indicam a presença dos grupos humanos ali ainda na pré-história. Em 1991, o parque entrou para a lista de Patrimônio Cultural da Humanidade da Unesco, e não é para menos: numa área de mais de 129 mil hectares, mais de 900 sítios arqueológicos foram catalogados, com a presença de pinturas e gravuras rupestres que têm entre 6 e 22 mil anos. Uma das maneiras mais confortáveis de chegar a São Raimuno Nonato, cidade que em geral é procurada para ter acesso ao parque, tem como ponto de partida Petrolina, em Pernambuco, que tem aeroporto e fica a 300 quilômetros de distância.

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s