Temporada de esqui na América do Norte já começou; veja as melhores estações

Esqui no Hemisfério Norte: pacotes para a temporada 2012 nos Estados Unidos, Canadá e Europa

Quando as temperaturas começam a subir aqui na parte de baixo do globo é sinal de que a neve já começou a cair na América do Norte. A Ski Magazine, principal publicação americana de turismo de esportes de inverno, ranqueou os melhores resorts de esqui daquele continente, na opinião dos leitores. Conheça alguns dos eleitos e descubra em qual deles está a sua turma:

Deer Valley

Onde fica: Utah, Estados Unidos

Melhor para: quem quer conforto e exclusividade

A fama de Deer Valley, resort número um do ranking da Ski Magazine, se deve à sofisticação e exclusividade. Há valets para ajudar a carregar os esquis dos hóspedes e pistas cuidadosamente preparadas e aplainadas todos os dias, para segurança e tranquilidade nas descidas. O snowboard não é permitido, e há um limite de pessoas que podem aproveitar as pistas por dia.

Whistler Blackcomb

Onde fica: Columbia Britânica, Canadá

Melhor para: pistas desafiadoras, que sediaram eventos dos Jogos Olímpicos de Inverno de 2010

Se você adora esquiar, Whistler é o seu lugar. A apenas duas horas de carro de Vancouver, a estação de esqui mais badalada do Canadá ostenta mais descidas verticais, mais teleféricos e mais áreas para esqui que qualquer concorrente na América do Norte. Depois da temporada, durante o verão, também há atividades, como golfe, pesca e passeios a cavalo. Destaque Top of Mind do Prêmio Viagem e Turismo 2011 por sua beleza.

Steamboat

Onde fica: Colorado, Estados Unidos

Melhor para: famílias

É um pouco mais afastada que os demais resorts de inverno ao longo da Rodovia I-70. A neve, bem leve e seca, ganhou o apelido de champagne powder: é boa para esquiar, mas frustra a guerrinha das crianças, já que os “projéteis” se desfazem no ar antes de acertar o alvo. Falando das pistas, são 165 no total, várias de inclinação bem suave. Os mais experientes podem procurar os bolsões intocados nos espaços com árvores entre uma pista e outra.

Beaver Creek

Onde fica: Colorado, Estados Unidos

Melhor para: famílias e experts

Há sempre queima de fogos de artifício nas noites da temporada. Cheia de luxos, como escadas rolantes cobertas no acesso às pistas, cookies grátis no fim da tarde e um rinque de patinação no gelo ao ar livre, esta estação é frequentada por milionários que buscam a exclusividade de um resort mais sofisticado. Beaver Creek ainda tem a pista da única etapa americana do Campeonato Mundial, a Birds of Prey. Os pequenos têm diversão o dia inteiro na escolinha de esqui.

Vail

Onde fica: Colorado, Estados Unidos

Melhor para: iniciados

É a montanha com o maior terreno esquiável dos Estados Unidos. Tem o fora de pista mais bacana do Colorado, no local onde havia uma reserva florestal. Para chegar nesta área mais remota da estação, é preciso embarcar em gôndolas e teleféricos, ir ao topo de Vail e descer do outro lado, usando longas pistas e bacias nevadas. Os leitores da VIAGEM E TURISMO a indicaram como destaque do Prêmio 2011 por sua infraestrutura e variedade de pistas.

Telluride

Onde fica: Colorado, Estados Unidos

Melhor para: experts

Nos confins do Colorado, a 580 quilômetros de Denver, está a estação mais cult do estado. Telluride é perfeita para montanhistas no verão e para os que gostam de extreme skiing no inverno, com descidas bem perigosas, sem espaço para manobras.

Breckenridge

Onde fica: Colorado, Estados Unidos

Melhor para: snowboarders

Foi a estação pioneira em snowboard e talvez por isso seja a preferida dos esportistas da modalidade. É cheia de snowparks com obstáculos, half pipes e rampas para manobras bem malucas. A bela cidadezinha vitoriana de Breckenridge surgiu no auge da corrida do ouro, ficou quase abandonada durante um tempo e ressurgiu como uma das melhores estações de esqui do mundo.

Aspen

Onde fica: Colorado, Estados Unidos

Melhor para: famílias, iniciados e experts

O resort favorito dos leitores da revista Viagem e Turismo. Motivos é que não faltam: Aspen possui uma infraestrutura invejável que serve quatro montanhas com pistas para todos os níveis. Frequentada por celebridades como Kevin Costner, Mariah Carey e Elle Macpherson, as noites por aqui também são bastante agitadas.

 

Manual do esqui: tudo que você precisa saber para aproveitar a neve

Etiqueta

Imagine se um desavisado atravessa uma pista preta (indicada para experts) enquanto um grupo de esquiadores está descendo ou se você se perde em uma montanha que não conhece. Confusão na certa. Respeitar algumas regrinhas básicas dentro das estações e ao trafegar pelas pistas evita acidentes – e uma bela dor de cabeça.

1. Respeite as sinalizações, placas e marcações das pistas;

2. Não se aventure sozinho por pistas desconhecidas ou muito vazias;

3. Dê preferência ao esquiador da frente. Quem vem atrás tem maior visibilidade da montanha e é sua obrigação desviar;

4. Respeite a velocidade da pista;

5. Se tiver dificuldade, procure ocupar a lateral direita da pista, como numa rua;

6. Jamais atravesse pelo meio de um grupo;

7. Tente não passar muito próximo de outros esportistas;

8. Mesmo sendo expert, não se arrisque fora de pista sem um guia que conheça bem a montanha.

Como se divertir na neve

Esqui, snowboard, esquibunda… está na dúvida de qual esporte praticar? Vai depender primeiro e obviamente, do seu gosto. No começo, o snowboard exige um esforço maior para se equilibrar, enquanto nos esquis os bastões auxiliam nessa tarefa. Para adquirir prática, prefira o esqui. Depois de conseguir equilíbrio, experimente o snow: dá para avançar mais rápido, frear com mais facilidade e descer pistas mais radicais.

Esqui alpino: consiste em descer ladeiras nevadas com pranchas finas presas a botas. Você usa os bastões para se impulsionar e se equilibrar, e os esquis para controlar a velocidade, frear e direcionar o corpo.

Snowboard: lembra o skate, mas a prancha é lisa e mais longa. É preciso se equilibrar ao deslizar sobre a neve, sem deixar que a prancha escape.

Esqui de fundo: com esquis mais leves, você percorre planícies ou áreas com pouco declive, utilizando os bastões para impulsionar o corpo e frear. É quase uma caminhada sobre pranchas.

Esqui nórdico: utiliza esquis semelhantes ao de fundo, mas aqui o sobe e desce é mais intenso, o que exige mais preparo físico. É muito praticado em países como Finlândia, Suécia e Noruega, daí o seu nome.

Esquibunda: basta sentar em um trenó individual, no alto de uma subida e impulsionar o corpo para frente.

Enciclopédia da neve

Para nós, brasileiros, neve é tudo igual. Mas a consistência é o que determina o tipo e o nome dela. Conheça o vocabulário básico:

Neve virgem: recém caída ou intocada há dias, que não foi alcançada por máquinas ou esquiadores.

Neve em pó (powder): ocorre em climas secos e longe da costa, mas comumente em altitudes elevadas. A densidade é baixa, com menos de 7% de água. Tem pouca capacidade de coesão, os flocos não grudam uns nos outros (esqueça as guerrinhas de neve).

Neve pisada: fresca, que já foi aplainada pela ação de máquinas da estação ou movimento dos esquiadores. Macia e uniforme, essa neve facilita a evolução de todos os níveis de esportistas pelas pistas.

Neve artificial: produzida por canhões que lançam água pulverizada no ar frio. Cobrem áreas onde não havia neve e servem como base, mas não são ideais para esquiar.

Neve congelada: sofreu processos de derretimento e recongelamento. Trata-se de uma superfície lisa e brilhante. É escorregadia e requer que as bordas do esqui estejam afiadas para obter algum controle.

Neve dura (packed powder): a ação das máquinas aplainadoras cria uma base compacta sobre a qual pode se estender uma fina camada de neve em pó. É a textura mais freqüente nas pistas de esqui.

Neve úmida: quando a chuva ou temperaturas altas misturam a neve com água. Mais comum em estações de baixa altitude. Tem alta densidade, com mais de 15% de água. Pesada, não é ideal para esquiar.

Neve em crosta (crud): mais encontrada fora da pista, ao amanhecer e no final do dia, quando não neva há algum tempo. Tem base macia e superfície inconstante. É a mais difícil de esquiar.

Roupas: o que usar para ficar aquecido e confortável

Casacos e calças impermeáveis são imprescindíveis para se aventurar na neve – é possível alugar essas peças nas próprias estações. Mas a camada externa é apenas o arremate: as roupas que vão por baixo também são importantes e merecem uma atenção extra. O indicado é que elas sejam de material que retenha calor e permita a dissipação da umidade, causada pelo esforço físico. Nem pensar em algodão, que esquenta pouco e tende a ficar ensopado de suor. Tecidos térmicos resolvem a questão. É claro que não dá para alugar as roupas de baixo, mas no Brasil existem lojas e sites especializadas no assunto, como a The North Face (www.thenorthface.com.br), a Casa de Pedra (www.casadepedra.com.br) e a Benevento (www.benevento.com.br).

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s