Achados Adriana Setti escolheu uma ilha no Mediterrâneo como porto seguro, simplificou sua vida para ficar mais “portátil” e está sempre pronta para passar vários meses viajando. Aqui, ela relata suas descobertas e roubadas

O lugar que escolhi para o Réveillon pós fim do mundo

Por Adriana Setti Atualizado em 27 fev 2017, 15h45 - Publicado em 16 nov 2012, 16h25

Siargao: se o mundo acabar, eu não vou ficar sabendo

Se o mundo realmente acabar no final de dezembro, é provável que eu não fique sabendo. Dessa vez, a ideia foi fugir de tudo mesmo. E o lugar escolhido foi… Siargao. Siar… que?

 

Pegue o mapa das Filipinas. Esta ilhota fica ao sul do país, ao norte da região do Mindanao. Poucos turistas chegam até lá porque algumas partes do Mindanao são alvos frequentes de terrorismo islâmico. E ainda que Siargao esteja totalmente fora de perigo, no lado oposto da boca quente, muita gente fica com o pé atrás.

 

Se você surfa, já pode ter ouvido falar do Cloud 9. Esse pico de surfe que recebe competições internacionais é o maior cartão postal da ilha. Mas eu estou mais interessada nas praias de areia branca e água cristalina, nas cachoeiras e, acima de tudo no sossego.

Continua após a publicidade

 

Ah, em tempo: meu hotelzinho com piscina, de frente para o mar, num quarto com ar condicionado, está saindo por €28 euros ao dia. Ou seja, pouco mais de R$ 70…

 

A passagem por Siargao será uma das etapas de (mais) uma longa viagem pela Ásia, que vocês vão acompanhar de perto, como sempre, aqui no Achados.

 

Siga @drisetti no Twitter.

Continua após a publicidade
Publicidade