Xian

População: 6.500.000 hab

Fuso horário: +11h (horário de Brasília)

Distância de outras cidades: Pequim 1115 km, Xangai 1372 km, Guangzhou 1733 km

No coração da China, uma grande e importante cidade quase que permanentemente envolta em névoa agora atrai turistas de todo o mundo. Xian (ou Xi’an) foi a primeira capital da China unificada. Sob o tirano imperador Qin Shi Huang Di, o país agora teria um sistema de pesos e medidas universal, estradas bem montadas e caligrafia e idioma uniformizados — por decreto e força, claro. Os poucos vestígios desse período podem ser vistos a alguns quilômetros do Centro, no gigantesco mausoléu do imperador. O supersticioso governante mandou construir um enorme exército de guerreiros de terracota para proteger sua tumba, com infantaria, carruagens, oficiais e arqueiros. Ainda mais surpreendente é saber que cada estátua possui feições únicas. O amplo complexo ainda não foi totalmente desenterrado e estudado, tanto por sua grandiosidade como pela fragilidade dos artefatos encontrados. Tão logo era desenterrados, os guerreiros perdiam sua cobertura colorida.

Mas esta não é a única atração de Xian. As suas maciças muralhas, muito bem preservadas, protegem o centro da cidade. Atente principalmente aos portões e faça um passeio sobre as amuradas, largas como ruas. Dentro da área protegida estão duas belas edificações, a Torre do Tambor e a Torre do Sino, que se mantém impávidas sobre o barulho das avenidas que a cercam, iluminadas por modernos neons. Próximo a eles está o Bairro Islâmico, um interessante passeio para descobrir um pouco uma China mal conhecida por nós. Como Xian era uma das pontas da mítica Rota da Seda, mercadores islâmicos e de outras regiões da Ásia aportaram por aqui, trazendo sua religião, cultura, ideias e gastronomia. Duas paradas interessantes por aqui são a Grande Mesquita e a muito bem preservada casa de um aristocrata da dinastia Qing. Seus cômodos bem decorados, pátios e lanternas vermelhas oferecem uma autêntica atmosfera da Xi’an do século 19.

Fora do Centro, os olhos se voltam para algumas estupas budistas antigas, construídas no antigo estilo chinês: o Grande Pagode do Ganso (um dos símbolos de Xian, construído no ano de 652 d.c.) e o Pequeno Pagode do Ganso (datado de 709 d.C.).

COMO CHEGAR

Xian é muito servida por serviços aéreos, tanto saindo de cidades chinesas como vindas de países do Extremo Oriente, como Tóquio, Osaka, Seul e Cingapura. O Aeroporto Internacional de Xianyang fica a cerca de 45 minutos do centro da cidade, dentro dos muros. A forma mais prática para fazer o trajeto é usando um ônibus de linha que sai a intervalos regulares. As linhas mais comuns são a número 1, que vai direto até as proximidades da rotatória da Torre do Sino, ou o número 2, que ruma até a Estação Ferroviária. O preço da passagem é cerca de ¥25 e neste caso, a viagem dura uma hora.

Se estiver em grupo e seu hotel não for muito central, uma das alternativas mais convenientes é pegar um táxi. Os preços são mais salgados, partindo de ¥120.

Se preferir vir de trem, os serviços de cabine são razoavelmente bons e confortáveis, mas as viagens são longas. Até a capital Pequim são cerca de 12 horas. Outros destinos são Guangzhou (24 horas), Xangai (20 horas) e Lhasa, no Tibete (36 horas).

COMO CIRCULAR

Os ônibus são a melhor forma de circular por Xian. Eles são baratos (¥1, o trajeto) e algumas linhas básicas são muito convenientes. O número 306 liga a Estação Ferroviária ao Mausoléu de Qin Shi Huang Di (os guerreiros de terracota). A passagem custa ¥7. Da Torre do Sino à estação ferroviária a linha principal é a 611.

ONDE FICAR

Hospede-se próximo à Torre do Sino. Não só a oferta de bons quartos é ampla por aqui, como os serviços disponíveis são variados. Restaurantes, shopping, bancos e ônibus estão todos muito próximos. Além disso, algumas boas atrações, como o Portal da Muralha, a Torre do Tambor e o Bairro Islâmicos estão todos nas proximidades.

ONDE COMER

Há vários e bons restaurantes em Xi’an. O problema será conseguir fazer um pedido, já que muitos estabelecimentos não tem garçons que falam inglês, nem tem cardápios que não sejam em chinês. Bolos de carne grelhados (um tipo de hambúrguer) e sopas de macarrão muito condimentadas são pratos bem comuns.

No desespero, há algumas lanchonetes fast-food no Centro da Cidade.

Informações ao viajante

Línguas: Chinês

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s