Munique: Oktoberfest, surfe, pretzel, parques e mais

Site: http://www.muenchen.de

População: 1.450.000 hab. (dado de 2016)

Fuso horário: +4h (horário de Brasília)

Distância de outras cidades: Berlim 585 km, Dresden 461 km, Nuremberg 166 km, Hamburgo 775 km, Lübeck 834km, Colônia (Köln) 576 km, Heidelberg 344 km.

Com certeza foi de Munique, a capital da Bavária, que importamos todos os estereótipos alemães: Oktoberfest (que começa em setembro), joelho de porco, copos gigantes de cerveja e um jeito meio bipolar de tratar as pessoas – ora nos cascos, ora beijando as bochechas.

Lá, em cenários que achamos fácil em folhetos de viagem, quase tudo acontece ao ar livre quando é verão – começando com os Biergarten, jardins onde as pessoas se juntam para beber cerveja.

Placa de Biergarten, Munique, Alemanha

Placa de um Biergarten (em alemão “jardim da cerveja”) (Ana Claudia Crispim/Viagem e Turismo)

O Hirschgarten, por exemplo, pode receber até 8 mil pessoas de uma vez só; no famoso Englisher Garten, bebe-se e comem-se pretzels plus-size ao pés de um pagode chinês de 25 metros de altura, o Chinesischer Turm.

Englisher Garten, Munique, Alemanha

Sol, bike e preguiça no Englisher Garten, onde dá ainda para beber bastante cerveja (Konrad Whotte/Getty Images)

Além de se acabar nesses lugares, os felizes alemães e turistas podem surfar no Eisbach, um braço do Rio Isar, ou se refrescar em uma das várias fontes espalhadas pela cidade.

Se o clima não ajudar (pode soprar um vento chato dos Alpes ou chover muuuito em Munique), dá para aproveitar o espírito da cidade mesmo assim.

Surfe no Rio Isar, Munique, Alemanha

Surfe dentro da cidade no braço do Rio Isar (Ana Claudia Crispim/Viagem e Turismo)

Não dá pra deixar de comer mil tipos de pretzels e linguiças do mercado Viktualienmarkt. Ou pelo menos dar uma olhada na tradicionalíssima cervejaria Hofbräuhaus, com bandinhas alemãs que animam o vaivém de bandejas de comida (e os maiores copos de cerveja já vistos) sobre a nossa cabeça.

Pretzel

O pretzel é um tipo de pão muito comum na Alemanha. Em forma de nó, é seco, estaladiço, normalmente é assado, podendo ser doce ou salgado (Ana Claudia Crispim/Viagem e Turismo)

Ou então dividir uma mesa com um estranho na ainda cervejaria Augustiner-Bräu, que mantém um estábulo – sim, com cavalos – pertinho da vitrine cheia de Schweinshaxe (a parte logo abaixo do joelho de porco), o prato mais pedido da casa.

Augustiner-Bräu, Munique, Alemanha

Estábulo da Augustiner-Bräu (Augustiner-Bräu/Divulgação)

Na região central, o programa é acompanhar o tradicional espetaculozinho no relógio da torre da Neues Rathaus, a gótica prefeitura. Três vezes ao dia, bonecos representam a história da cidade: o casamento do duque Wilhelm V e de Renata de Lorraine na Idade Média e a dança tradicional da Bavária.

Fora do Centro, não faltam monumentos fincados em largas avenidas como o Siegestor – caso do Arco do Triunfo de Munique.

Arco do Triunfo de Munique, Alemanha

Arco do Triunfo de Munique (Mylini/Pixabay)

Um passeio fora das atrações de verão pode levar a experiências surpreendentes. No dia em que eu estava na região da florida e circular praça Gartnerplatz, chovia torrencialmente, sem parar. Ao procurar um lugar quente pra me abrigar, ouvi ao longe o trovejar de vozes cantando em coro. Seguindo o som, encontrei uma porção de homens com trajes folclóricos bávaros e com coletes e chapéus enfeitados com uma pena.

Em vez de ser uma miniedição da Oktoberfest, tratava-se – de repente ficou claro – de uma festa gay de rua, com drag queens agitando os braços entre músicas tradicionais e de Lady Gaga.

Bávaros e modernos

Pinakothek der Moderne

Integra um conjunto de pinacotecas, umas bem pertinho das outras. Esta é dedicada às artes gráficas, ao design e à arquitetura. Logo na entrada, a tela Converse Extra Special Value, 1985-86, de Andy Warhol, funciona como cartão de boas-vindas.

Brandhorst Museum

O prédio, revestido de tubos coloridos como se fosse uma grande caixa de lápis de cor, já é uma obra de arte. O acervo conta com obras de Damien Hirst, Jeff Koons, Bruce Nauman e (ele de novo!) Andy Warhol, cuja A Foice e o Martelo (1976) está logo na entrada.

Brandhorst Museum, Munique, Alemanha

Fechada do Brandhorst Museum, feita de tubos coloridos (Brandhorst Museum/Divulgação)

Guia VT

Ficar e passear

O Eden Hotel Wolff mescla uma vibe clássica com móveis de madeira. Mais luxuoso, o Bayerischer Hof tem um restaurante estrelado Michelin. Considere o popular mercado Viktualienmarkt e as cervejarias Hofbräuhaus e Augustiner-Bräu, onde também se degustam bons joelhos de porco. 

Língua

Alemão.

Saúde

Para entrar no país, nenhuma vacina é obrigatória..

Documento

O passaporte é necessário mas dispensa de visto, por até 90 dias.

Por Ana Claudia Crispim

Busque hospedagem em Munique

Veja tudo sobre a Alemanha

Comentários

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.